• Central de atendimento 24h (011) 4780-5608
  • Livros sobre o luto

    O conhecimento é algo muito importante para qualquer pessoa, em qualquer momento da vida, inclusive, no luto. Por isso, a leitura durante esse processo é incentivada por psicólogos. O luto é considerado um estado emocional que ocorre após uma grande perda.

    Contudo, o luto pode surgir de outras formas além da morte de um ente querido, explica a psicóloga analítica Victoria Kimmelmann e Silva. De acordo com ela, o luto é um processo de superação que pode estar atrelado a uma mudança de cidade, separação conjugal, perda de um membro do corpo, aposentadoria, dentre outros acontecimentos.

    O luto pode apresentar tristeza profunda, crises de choro, culpas, frustração, isolamento, irritabilidade, crenças irracionais e em alguns casos até agressividade, explica também Damião Silva, psicólogo e analista de comportamento. A compreensão do luto é muito importante para que se possa evitar problemas de saúde.

    Quando estamos passando por uma situação de luto pela morte de um ente querido, muitas pessoas sofrem com isso, mas se estamos bem, podemos ajudar os demais a passar pela dor da perda com mais serenidade. Só no Brasil, mais de 600 mil pessoas morreram em decorrência da pandemia da Covid-19, com isso, muitas famílias perderam pessoas especiais e isso vem causando uma espécie de luto coletivo.

    Por isso, quanto mais se informações temos, mais saberemos lidar com a dor do luto. Ainda de acordo com a psiquiatra Elisabeth Kübler-Ross, o luto é composto por cinco etapas, são elas: negação, raiva, negociação, depressão e aceitação. Mas, essas etapas podem não ocorrerem na mesma ordem ou a pessoa pode não passar por todas elas.

    As fases do luto

    Normalmente, a primeira etapa é a da negação, que ocorre logo em seguida ao falecimento. Segundo Damião, nessa fase, a pessoa busca um mecanismo de defesa, onde surgem pensamentos e questionamentos, do tipo, “’Poderia ter sido comigo e não com ela” etc.

    Quando se chaga ao período da raiva, a pessoa sai da fase da introspecção gerada pela negação e começa a externalizar seus sentimentos, que podem aparecer de forma revoltada e até agressiva.

    Na fase de negociação, começam a aparecer pensamentos de que tudo possa voltar ao que era antes e a pessoa começa a tentar negociar com ela mesma, com outras pessoas e até com a própria perda.

    Já a fase de depressão pode ser uma das mais dolorosas, pois ela surge normalmente quando se começa lidar verdadeiramente com a perda do ente querido ou amigo. Nesse período, a pessoa já começa a lidar com os sentimentos de forma mais realista e, de acordo com os especialistas, quanto mais tempo passar em negação, mais tempo você levará para chegar a fase de aceitação, que é a última etapa do luto.

    Segundo a psicóloga Victoria Kimmelmann e Silva, durante o período de luto, é possível aparecer sintomas físicos. A dor física e a dor psíquica surgem, bem como a insônia, a falta de apetite, a apatia, as dificuldades de organização, dentre outros sintomas. Isso pode atrapalhar a vida de uma pessoa.

    Respeitar o próprio tempo

    De acordo com Silva, cada pessoa passa pelo seu próprio processo e o tempo de duração depende de vários fatores. Pois existem sintomas que são comuns à maioria das pessoas, mas cada uma delas vivencia o processo de luto de uma forma única e exige um tempo diferente para cada um.

    O acolhimento é muito importante no processo de luto. A dor do luto é interna e nem sempre está evidente. Por isso, é preciso que a própria pessoa se ajude e encontre acolhimento familiar e até de um profissional de saúde mental, caso necessário. Um bom profissional pode ajudar a pessoa a elaborar melhor as questões relacionadas a perda.

    Sendo assim, separamos para você uma lista de livros sobre luto que podem ajudar muito nesse processo tão doloroso que a vida nos impõe. Confira!

    Menina Nina — Duas Razões Para Não Chorar — Ziraldo — Editora Melhoramentos

    Indicado pelos psicólogos, Victoria Kimmelmann e Silva e Damião Silva, Menina Nina — Duas Razões Para Não Chorar, conta a história de Nina, que é uma criança que tem que lidar com a morte de sua avó.

    Esse livro é recomendado para pessoas de todas as idades, especialmente para as crianças. O livro parece simples, mas possui uma complexidade que os adultos irão compreender muito bem.

    Mulheres que Correm com os Lobos — Clarissa Pinkola Estée — Editora Rocco

    Esse famoso livro conta várias histórias e mitos, que trazem reflexões sobre os ciclos da vida e morte. Clarissa Pinkola Estés é uma analista junguiana, que estuda as mulheres em sua ampla forma na natureza. Ela fala a importância da mulher moderna e suas conquistas.

    Conversando Sobre o Luto — Edirrah Gorett Bucar Soares e Maria Aparecida Mautoni — Editora Ágora

    De acordo com Victoria Kimmelmann e Silva, Conversando Sobre o Luto é um livro de autoajuda e se propõe a auxiliar as pessoas a lidarem com suas angústias.

    É complicado lidar com uma grande perda, por isso, as autoras trazem depoimentos, reflexões e orientações para ajudar as pessoas a lidarem melhor com esse momento.

    A Roda da Vida – Elisabeth Kübler-Ross — Editora Sextante

    A psiquiatra Elisabeth Kübler-Ross relata em seu livro a sua experiência com pacientes portadores do vírus HIV, que desenvolveram Aids e também com idosos com doenças terminais.

    De acordo com Victoria Kimmelmann e Silva, o livro mostra várias descobertas e mensagens de amor e compaixão, que são sentimentos muito necessários nos tempos atuais.

    Sobre a morte e o morrer – Elisabeth Kübler-Ross — Editora WMF Martins Fontes

    Também escrito pela psiquiatra Elisabeth Kübler-Ross, a indicação do psicólogo Damião Silva fala sobre os estágios do luto. Na história, a autora fala sobre suas experiências com pacientes terminais e tudo que circunda essa fase da vida. O livro tenta ainda encorajar as pessoas a não se afastarem de pacientes que estejam em fase terminal.

    A Morte é Um Dia que Vale a Pena Viver — Ana Claudia Quintana Arantes — Editora Sextante

    O livro de Ana Claudia Arantes, de acordo com o psicólogo Damião Silva, é fácil, fluido e apresenta alguns temas que ainda são considerados tabus pela nossa sociedade. De acordo com a autora, que também é médica, os pacientes merecem atenção, mesmo quando não há chances de cura.

    Ela fala sobre as dificuldades que passou em sua vida para ser compreendida. O medo e a angústia são tratados no livro de forma leve e ela faz questão de reforçar que nós devemos aceitar a nossa essência para que, segunda ela, o nosso fim seja apenas o “término natural de uma caminhada”.

    As intermitências da Morte — José Saramago

    Esse clássico de José Saramago é também uma indicação de Damião Silva e, de acordo com ele, o livro mostra que a morte faz parte de nossa existência enquanto seres vivos e não há como fugir dessa realidade.

    No livro, o autor faz algumas reflexões acerca da morte e de como ela é comum a todas as pessoas, independentemente de classe social, pois ela é uma condição humana e natural. Para tornar o tema um pouco mais descontraído, o autor traz suas reflexões com humor e dor na medida certa.

    Deixe um comentário