• Central de atendimento 24h (011) 4780-5608
  • Em casos de cremação, não é necessário caixão?

    A cremação é um procedimento que ganha mais adeptos a cada dia que passa, mas ainda existem muitas dúvidas a serem sanadas e tabus a serem esclarecidos sobre essa prática.

    Muitas pessoas se perguntam se existe a necessidade de um caixão para a realização da cremação, já que o corpo será cremado. Sendo assim, preparamos um artigo respondendo essas e várias outras questões relacionadas ao processo de cremação. Confira!

    Entenda o que é a cremação

    A cremação é um processo que visa a incineração de corpos de forma rápida e higiênica. A prática já é realizada há milhões de anos, mas aqui no Brasil, o procedimento vem ganhando mais adeptos nas últimas duas décadas.

    O crescimento das cremações no Brasil se dá principalmente pelo valor, que acaba sendo menor do que um sepultamento tradicional, e, em tempos de pandemia, acaba sendo uma alternativa mais segura para todos. 

    O processo de cremação contribui para a redução da necessidade de ampliação de novos espaços físicos para a realização de enterros. E também evita a necessidade de construir novos cemitérios.

    É preciso ter um caixão para realizar a cremação?

    Não há a necessidade de um corpo ser cremado com um caixão especifico. A cremação pode ser realizada em um recipiente feito para isso, que pode ser em madeira ou de outros materiais parecidos com madeira, para que possa ser levado de maneira segura para a cremação. 

    Contudo, se a família for realizar um velório, será necessário que haja um caixão, que depois será incinerado junto com o corpo. Nesse caso, se o caixão possuir partes metálicas ou de vidro, as mesmas devem ser retiradas antes de ser submetido a altas temperaturas dos fornos crematórios.

    Cremação no Brasil

    Para se realizar uma cremação aqui no Brasil, é necessário que a pessoa registre em cartório o desejo de ser cremado e, mesmo assim, a cremação só poderá ser realizada mediante a autorização de um parente de primeiro grau. 

    Independente do parente que realizar a assinatura para a realização da cremação, é importante informar que é obrigatória também a assinatura de dois médicos na declaração de óbito para a realização do procedimento. 

    O que fazer com as cinzas da cremação?

    Todos sabem que o processo de cremação resulta em cinzas. Após o término do procedimento de cremação, sobram as cinzas e alguns ossos que são triturados e transformados em pó, para depois serem entregues à família do falecido junto com as cinzas.

    O que será feito com as cinzas já é uma questão da vontade da família do falecido. Muitas pessoas optam por espalhar as cinzas ao mar, florestas, parques ou em outros locais que lembrem o falecido ou que tenham sido solicitados pela pessoa falecida.

    Entretanto, algumas pessoas preferem manter as cinzas em algum ossuário ou cemitério, pois eles terão um local para prestar suas homenagens ao falecido em épocas especiais, como, por exemplo, o Dia dos Finados.

    Deixar as cinzas em um local próprio é uma recomendação religiosa, justamente para que os mortos possam ser visitados e ajudar na preservação do meio ambiente. 

    Existe também um objeto chamado de urna ecológica, que vem com uma muda de planta, que pode ser plantada. Ou seja, as cinzas são plantadas com a muda e a lembrança da pessoa falecida estará junto com a árvore. 

    Mas algumas pessoas preferem manter as cinzas em casa, dentro de uma urna comum. Existem ainda outras opções menos acessíveis, mas algumas pessoas optam por transformar as cinzas em objetos diversos e até mesmo em diamantes. Inclusive, para se te ruma ideia, cinzas já foram mandadas até para o espaço.

    Existe cremação de vários corpos?

    A cremação é um procedimento realizado individualmente, ou seja, o procedimento é realizado em apenas uma pessoa por vez. Isso ocorre primeiro pela questão da ética, pois as cinzas devem ser entregues a família. 

    Além disso, vale ressaltar que os espaços das urnas crematórias comportam apenas um corpo de cada vez, sendo impossível cremar mais de uma pessoa naquele espaço.

    Uma opção mais viável e ecologicamente correta

    Em tempos de pandemia a cremação é um tópico que vem sendo cada mais discutido, tornando-se uma opção cada vez mais escolhida por muitas famílias. Os órgãos de saúde apontam a cremação como uma forma mais segura de se despedir dos seus entes queridos.

    A pandemia tem afastado muito as pessoas, até mesmo na hora do velório. Isso porque, para que o vírus não se espalhe ainda mais, é necessário que muitas medidas de segurança sejam tomadas, principalmente quando se trata de aglomeração de pessoas, porque nesse tempos de pandemia o ideal é sempre evitar aglomerações.

    A cremação também tem a questão ecológica a seu favor e a população está cada vez mais consciente da necessidade de se preservar a natureza.

    Sem falar que a cremação também acaba por otimizar e aproveitar melhor os espaço urbanos em comparação ao sepultamento. A cremação ainda não é totalmente aceita por falta de conhecimento sobre o assunto por parte da sociedade, mas isso está mudando aos poucos e é bem provável que o crescimento da prática seja cada dia maior.

    Deixe um comentário