• Central de atendimento 24h (011) 4780-5608
  • Como é a cremação ao redor do mundo?

    A cremação é uma forma de sepultamento muito antiga e até hoje é empregada em diversas culturas e sociedades em várias partes do planeta.

    A cremação ao redor do mundo ocorre de maneira semelhante com relação à prática da incineração, mas em relação aos costumes e crenças, elas podem ser bem diferentes de uma região para outra. 

    A cremação vem se tornando cada vez comum no Brasil e é um serviço que vem ganhando destaque, passando a ser muito mais oferecido em assistências funerárias. Principalmente pelo aumento no número de crematórios, que disponibilizam preços mais interessantes e muito mais acessíveis.

    Entretanto, é importante lembrar sempre que é essencial buscar um crematório de confiança, ou, então, um cemitério também realize a cremação e seja confiável. Ou seja, é importante que você encontre um lugar que garanta que o procedimento de cremação seja realizado de acordo com as normas da Anvisa.

    Confira mais detalhes sobre esse assunto a seguir!

    A cremação pelo mundo

    A cremação ao redor do mundo ganha mais adeptos a cada dia que passa. A prática vem crescendo juntamente com a consciência ambiental dos povos, como também, pela questão financeira, pois a cremação acaba sendo um processo mais prático e barato do que o sepultamento tradicional.

    Vamos conferir como funciona a cremação em diferentes culturas espalhadas pelo mundo, focando em regiões, países e religiões que mais se utilizam da cremação para falarmos sobre as diferenças nas tradições de cada cultura ou lugar. Confira!

    A cremação no Oriente

    Os países que mais utilizam a cremação são os orientais, principalmente aqueles que as crenças predominantes são o budismo e o hinduísmo, pois a prática é considerada sagrada para essas religiões. 

    Essas religiões consideram que o fogo é uma forma de purificar e libertar a alma para adentrar um plano de existência mais elevado. Por isso, a maioria dos países orientais, são adeptos à cremação.

    A Cremação em países Hindus 

    A cremação nos países hindus é  uma tradição muito antiga e alimentada por crenças religiosas muito enraizadas. Os hindus, como dissemos anteriormente, acreditam que o fogo é capaz de purificar a alma de alguém, fazendo com que a pessoa possa adentrar os reinos superiores.

    De acordo com a crença hindu, a cremação favorece para que a pessoa falecida renasça e se liberte dos maus espíritos. Contudo, com a modernidade, muitos hindus acabam deixando de lado suas tradições, principalmente nas grandes cidades.

    Uma dessas mudanças é em relação ao local de cremação. Hoje em dia muitas famílias hindus cremam seus falecidos em crematórios ao invés das cerimônias ao ar livre, que eram muito mais comuns antigamente.  

    Antes de a cremação ser realizada, existe o cortejo fúnebre, que é quando os parentes do falecido do sexo masculino transportam o corpo que está enrolado em pano e cercado por flores. A cor do pano que envolve o corpo varia de acordo com o sexo do falecido, sendo de branca para os homens e vermelho para as mulheres. 

    Após a cremação, as partes que não viram cinzas eram atiradas ao Rio Ganga. Os hindus acreditam que as crianças e as pessoas acometidas por doenças contagiosas não completaram o ciclo da vida porque seus corpos foram invadidos por maus espíritos. 

    A cremação no Japão 

    A maior parte da sociedade japonesa é budista e, por isso, o costume de realizar cremações de mortos é muito forte. O povo japonês, antes de iniciar o processo de cremação, realiza uma cerimônia fúnebre, que é conduzida por membro da família da pessoa que será cremada. 

    A cremação ao redor do mundo pode contar com rituais diferentes, mas no Japão como quase tudo, o ritual é muito mais tradicional. Antes da cremação, os japoneses realizam a preparação do corpo, que é feita normalmente pelos Nokanshi, que são agentes funerários específicos  treinados para esses rituais. 

    Nesse processo, o falecido é banhado e vestido com um quimono, no caso das mulheres, ou com um terno, no caso dos homens. No Japão existe ainda a tradição de algumas famílias levarem o falecido para passar uma última noite em sua antiga casa antes de eles serem cremados.

    Essa é a oportunidade dos familiares realizarem suas homenagens e se despedirem de seu ente querido. A cremação japonesa segue ainda algumas tradições bem específicas, como, por exemplo, a superstição de Tomobiki, que garante existir os dias que são desfavoráveis à realização de um funeral.

    Essa crença é oriunda da antiga lenda chinesa do ciclo lunar. Os japoneses acreditam que se o funeral for realizado nesses dias considerados impróprios, que seriam noites de lua nova, os espíritos maus poderão levar os amigos do falecido para junto dele. 

    No Japão existe uma tradição bem diferente do Brasil, lá existe o costume de que os amigos e parentes do falecido contribuam com as despesas do funeral. Para isso, as pessoas entregam o dinheiro em um Koden, envelope específico para condolências.

    O valor da quantia doada varia de acordo com o relacionamento que a pessoa tinha com o falecido. Uma curiosidade interessante é que as quantias doadas não podem ter relação com o número 4, pois em japonês o som desse número é muito semelhante ou praticamente igual ao da palavra morte. 

    Após a cremação, os familiares retiram os ossos do corpo do falecido com grandes pinças de metal e vão passando de um a um por todos da família até serem depositados nas urnas. Geralmente, o processo é iniciado com os ossos dos pés, passando para as pernas e segue para a parte superior do corpo até chegar ao crânio. 

    Para concluir todo o processo de cremação, as cinzas são enterradas na cerimônia nokotsu e a urna com as cinzas é então guardada no jazigo da família, que é um pequeno túmulo coberto com uma pedra e com o nome da família gravado.

    Contudo, existe ainda a possibilidade de a família deixar a urna das cinzas do falecido em casa no butsudan, um altar doméstico budista.

    A cremação no Ocidente

    No ocidente a cremação ainda não é tão tradicional, ou seja, não é tão praticada quanto no ocidente, mas existem vários países que, dependendo da religião, acabam optando pela prática em detrimento ao sepultamento tradicional.

    A cremação é uma prática que cresce no mundo inteiro e, em especial, no ocidente, onde o campo para a expansão da prática é muito extenso. 

    Países que cremam quase 100% dos mortos

    A cremação pelo mundo não é mais do que uma questão apenas de crença religiosa. Isso porque, hoje em dia, a questão abrange uma discussão sobre o meio e sobre o espaço físico das cidades.

    O Japão é o país que tem o maior percentual de cremação por habitante do mundo, onde 99,9% dos falecidos são cremados.

    A média de cremação nos Estados Unidos é de 37% dos seus falecidos e o país possui um grande número de crematórios, contando com 2.100 crematórios. O estado Califórnia é o que realizar o procedimento de cremação no país, a média chega a 80%. 

    Outros países que apresentam número muito relevantes de cremações são Hong Kong, Índia, Inglaterra e Canadá. No Brasil, a cremação vem ganhando muito espaço e a tendência é que o número de cremações cresça consideravelmente nos próximos anos.

    Deixe um comentário