• Central de atendimento 24h (011) 4780-5608
  • Você sabe o que é morte súbita? Entenda tudo sobre essa fatalidade!

    Confira agora o que significa morte súbita neste artigo e saiba como se prevenir desse problema indesejado!

    A morte súbita, também conhecida como mal súbito, é uma questão de saúde definida pela medicina como um quadro que se desenvolve repentinamente, sem que ninguém esteja esperando, ou seja, uma fatalidade que pega as pessoas desprevenidas.

    Algumas pessoas vêm a falecer imediatamente, enquanto outras podem vir a manifestar sintomas antes do óbito. 

    Ainda assim, algumas doenças inesperadas não levam à morte instantânea, de maneira que é possível salvar a pessoa, se a mesma for socorrida rapidamente.

    Independentemente do caso, essa é uma situação extremamente assustadora, que marca as memórias de quem já presenciou algo semelhante, especialmente por ser inesperada e por causar danos devastadores.

    Claro que toda perda de um ente é desoladora, mas a morte repentina de alguém aparentemente saudável causa um transtorno maior em relação às burocracias pós-morte. 

    Afinal, o tempo de escolher e planejar os detalhes cerimoniais é curto e tudo precisa ser cuidadosamente decidido em meio a um luto fortuito.

    Diante disso, é sempre bom conhecer as experiências alheias e estar ciente dos males a que estamos suscetíveis. Definitivamente, para morrer basta estar vivo.

    Apesar de parecer um tanto mórbido, preparar-se para uma fatalidade inesperada é importante. Se quiser saber mais sobre o assunto, leia também: Tudo que você precisa saber sobre reserva de emergência e a importância de um plano funerário.

    De toda maneira, no artigo a seguir, apresentaremos aos nossos leitores algumas curiosidades sobre morte súbita que todo humano vivo deveria conhecer. 

    Desejamos uma ótima leitura!

    Como acontece a morte súbita?

    A morte súbita condiz a uma parada cardíaca. Cada pessoa pode vir a incorrer tal fatalidade por motivos diversos.

    O que é comum em todos os casos é a taquicardia inesperada, ou seja, a vítima sofre o mal súbito sem qualquer aviso, sem sinais de mal-estar ou qualquer desconforto anterior.

    Não pense que esta é uma doença moderna. Há registros de mortes súbitas que ocorreram no Egito Antigo

    Além disso, o filósofo grego Hipócrates (460 a.C. – 370 a.C), considerado o pai da medicina, descreveu o primeiro fator de risco desse problema: a obesidade.

    Ao longo do tempo, os casos foram tornando-se mais recorrentes

    Atualmente, a Organização Mundial de Saúde estima que ocorrem 17 milhões de mortes no mundo por insuficiência cardiovascular anualmente e 4 milhões desses óbitos configuram morte súbita.

    Por que a morte súbita acontece?

    80% dos casos de morte súbita estão relacionados a doenças cardiológicas e neurológicas. O AVC e a crise convulsiva aguda são exemplos de enfermidades que causam morte súbita.

    O mal súbito acontece pela arritmia, quando a pulsação do coração perde seu ritmo, interrompendo o bombeamento do sangue e debilitando o fluxo sanguíneo ao longo do corpo.

    Esse mecanismo é popularmente conhecido como enfarte ou infarto.

    Sabendo que as causas da morte súbita estão relacionadas a doenças cardiológicas e neurológicas, vamos elaborar a seguir quais são as mais comuns. Confira abaixo.

    Cardiológicas

    As doenças cardiológicas são aquelas que atacam o coração. Todas são muito perigosas e, em grande parte, fatais. Não era de se esperar por menos, uma vez que o coração é responsável pelo funcionamento de todos os outros órgãos.

    Um problema no coração pode acarretar muitos outros problemas no funcionamento dos sistemas biológicos que mantém a máquina do corpo humano saudável e eficiente.

    Confira a seguir os principais problemas cardíacos que afetam a população nos tempos atuais:

    • Obstrução das artérias do coração: há mais de uma enfermidade que afeta a entrada e a saída do sangue neste órgão vital, como a isquemia miocárdica e o infarto, em especial. Geralmente afeta pessoas que já ultrapassaram os 35 anos.
    • Doenças do músculo cardíaco: é uma doença genética cujo efeito é aumentar a espessura do coração. Ocorre um desarranjo muscular, que resulta em graves arritmias. É muito comum em pessoas que praticam atividades físicas sem os devidos cuidados, ultrapassando os limites do próprio corpo. Diferente do quadro anterior, as vítimas normalmente são jovens abaixo de 35 anos. 
    • Distúrbios elétricos do coração: essas são propriamente as arritmias, também conhecidas como doenças de canais moleculares. Essas enfermidades prejudicam o funcionamento dos canais por onde passam substâncias essenciais para a saúde humana.

    Neurológicas

    As doenças neurológicas afetam diretamente o sistema nervoso, causando danos cerebrais

    A impossibilidade do cerébro enviar sinais para o restante do corpo faz com que tenhamos parte do funcionamento corporal debilitado, mas também pode vir a incorrer em morte súbita, quando interfere em algum sinal vital. Veja alguns exemplos:

    • Crise de convulsão aguda: pode estar vinculada à meningite e à epilepsia. Os efeitos são muitas vezes irreversíveis, especialmente quando causam hemorragias.
    • AVC hemorrágico: condiz a uma lesão do tecido cerebral devido a hemorragia no interior craniano. Os efeitos desse distúrbio são imediatos.
    • AVC isquêmico: diz respeito à perda de fluxo neural no cérebro, que pode ocorrer por conta do bloqueio do fornecimento de sangue e oxigênio.

    Homem sentindo dor no peito

    Outras doenças que podem levar à morte súbita

    Os distúrbios listados anteriormente são realmente assustadores e muitas vezes inevitáveis. Mas são contornáveis, no sentido de que nem sempre levam à morte súbita, só realmente vêm a falecer pessoas que tiveram uma grande área afetada ou aquelas que já possuem idade avançada.

    Trataremos a seguir de doenças ligadas a outras partes do corpo e que afetam uma variedade maior de pessoas. 

    Além disso, elas não são genéticas, estando relacionadas, por vezes, à descuidos para com a saúde, de maneira que poderiam ser evitadas através de um estilo de vida saudável. 

    • Overdose: consumo exagerado de álcool ou entorpecentes;
    • Doenças metabólicas: como diabetes; 
    • Embolia pulmonar: proveniente de trombose;

    Confira outro artigo pelo qual você também pode se interessar: Tudo o que você precisa saber sobre testamento 

    Quais os grupos de risco da morte súbita?

    Pessoas entre 60 e 70 anos fazem parte do maior grupo de risco. Isso acontece porque, nesse período da vida, as pessoas estão mais fragilizadas e vulneráveis à obstrução de artérias do coração, de maneira que 60% dos casos de morte súbita estão relacionados a doenças cardiovasculares

    É interessante ressaltar que raramente o problema ocorre com crianças. As escassas situações em que uma criança falece subitamente são enquadradas como Síndrome da Morte Súbita do Lactente (SMSL), o que simplesmente significa que o bebê morreu sem causa aparente.

    Entre as causas que podem levar uma criança na primeira infância à morte se destacam

    • O atraso na maturidade do tronco cerebral do recém-nascido; 
    • Sufocamento por conta de cama compartilhada; 
    • Calor excessivo no ambiente; 
    • Ou problemas gerados por que a mãe fuma durante a gravidez ou após o parto.

    Da mesma forma, a juventude não está totalmente protegida da morte súbita. As doenças cardiovasculares e neurológicas citadas, ainda que mais raramente, também podem alcançar os jovens.

    Ainda assim, o grande índice de morte súbita entre os jovens está relacionado a prática de alguma atividade física

    De antemão, os grupos que precisam ficar mais atentos são:

    • Pessoas que possuem histórico de infarto na família ou doenças hereditárias do coração;
    • Quem sofre de insuficiência cardíaca;
    • Pessoas que tiveram infarto recentemente.

    Por que os atletas também são vulneráveis a morte súbita? 

    Geralmente, os atletas são submetidos a alta exigência física. Outro fator relevante é o abuso de substâncias para ganhar massa muscular e para melhorar a performance, tais como: anabolizantes, termogênicos, entre outros.

    No caso de adolescentes e jovens esportistas, os que possuem doenças genéticas relacionadas a problemas cardíacos podem ser afetados ou mortos pelo mal súbito.

    Por fim, nos atletas de meia-idade e idosos as complicações ocorrem mais comumente por conta de doenças ateroscleróticas, ou seja, que estão relacionadas ao fluxo sanguíneo.

    É possível identificar a morte súbita?

    A morte súbita desencadeia uma série de situações que levam à parada cardíaca. Com tantos anos de experiência no assunto ao longo da história da humanidade, já podemos elencar alguns sinais para os quais devemos sempre estar atentos:

    • Dor no peito;
    • Falta de ar;
    • Fraqueza no corpo;
    • Tonturas repentinas;
    • Palpitações no coração;
    • Desmaios inesperados.

    É possível evitar uma morte súbita?

    No momento da disfunção é preciso agir de forma rápida, assim há chances de recuperação. Ainda que restem alguns danos, é possível evitar uma morte súbita. 

    Para isso o atendimento precisa ser imediato e de qualidade, com profissionais que dominem as técnicas de ressuscitação cardiopulmonar.

    As sequelas, no entanto, infelizmente não são raras. Geralmente pessoas que driblam a morte súbita podem desenvolver problemas neurológicos

    Em casos em que a vítima tem uma arritmia grave, a ponto de perder a consciência, é possível prevenir uma nova crise usando um CDI (Cardioversor Desfibrilador Implantável). Este é um aparelho que é instalado no tecido subcutâneo.

    É importante saber que a morte cerebral ocorre no período de quatro a seis minutos após a parada cardíaca. Por isso, se a assistência médica não atender a vítima em até 10 minutos, será bem difícil obter sucesso nas tentativas de ressuscitação.

    Como agir diante uma crise que pode levar à morte súbita? 

    A verdade é que ninguém está preparado para um evento como esse. Por isso essa informação que selecionamos é tão preciosa, afinal é uma fatalidade que pode acontecer com qualquer um a qualquer momento e em qualquer lugar. 

    Por isso, disponibilizamos um passo a passo de como funciona esse tipo de socorro:

    • Mantenha a calma ao ver alguém tendo um mal súbito;
    • Acione imediatamente o serviço do SAMU (192);
    • É preferível o uso de um desfibrilador, mas, caso não haja, o socorrista fará uma massagem cardíaca. Isso melhora a circulação do sangue e mantém a pessoa viva;
    • Garantindo a sobrevida nesses primeiros minutos, a pessoa é levada pelo SAMU para a continuidade do atendimento.

    Mulher praticando ioga

    É possível prevenir? 

    Em caso de doenças neurológicas é difícil a prevenção, pois diz respeito a disfunções naturais do corpo.

    Contudo, em casos cardiológicos é possível pôr em prática alguns cuidados referentes a um estilo de vida saudável. Confira:

    • Se, de repente, você sentir que algo está errado com a sua saúde, percebendo sintomas que não costumam ser normais, não hesite em procurar um profissional para avaliar o caso; 
    • Realize atividades físicas controladas, com orientação de um profissional, isso melhora significativamente o funcionamento cardiovascular;
    • Alimente-se bem, nada como uma alimentação equilibrada para garantir a saúde do coração;
    • Sempre beba muita água, isso é essencial para manter a saúde em dia;
    • Consuma com bastante moderação aqueles alimentos gordurosos, salgados ou até muito doces, pois a gordura afeta diretamente os vasos sanguíneos;
    • Evite cigarros e abuso de qualquer substâncias tóxicas e químicas;
    • Procure fazer atividades para diminuir o estresse, fazer ioga, por exemplo, é uma boa pedida, às vezes até alguns minutos de meditação pode resolver;
    • Controle o seu sono, tenha uma rotina rígida quanto a isso;
    • Evite a obesidade (gordura abdominal) e o sedentarismo, movimentando-se;

    Agora você sabe tudo sobre a morte súbita, pode prevenir-se ou ficar atento aos singelos sinais do seu corpo

    De fato, “viver é mesmo muito perigoso”, como nos disse o querido escritor brasileiro Guimarães Rosa, e muitas pessoas são tão apegadas à vida que desenvolvem fobia da morte. Conheça essa doença lendo o artigo: O que é tanatofobia e quais são os sintomas dessa doença?

    Gostou do conteúdo? Explore nosso blog e tenha acesso a muito mais informações importantes sobre os males que podem nos afetar. 

    Deixe seu comentário na caixa abaixo dando-nos sua opinião!

    Deixe um comentário