• Central de atendimento 24h (011) 4780-5608
  • Velório: entenda tudo sobre esse ritual e saiba como realizá-lo

    O evento do velório é um momento difícil vivenciado por muitas famílias. Nesse sentido, conhecer mais sobre ele e da sua importância simbólica é fundamental para lidar melhor com a perda.

    Homem olhando para o túmulo.

    O processo da perda de alguém que amamos e a dor do luto, infelizmente, são situações a serem vivenciadas por todos nós, em algum momento das nossas vidas, já que lidar com a morte de alguém que amamos é algo inevitável na vida de qualquer pessoa. Mas, além das dificuldades emocionais enfrentadas nesse processo tão complicado, também temos que resolver todas as burocracias e ritos realizados após a morte, dentre eles o velório.

    Nesse sentido, estar informado acerca dos processos e decisões que acompanham esse evento facilita o seu desdobramento durante uma fase tão difícil. 

    Já que, a preparação do velório envolve desde a escolha do lugar para o sepultamento, como a definição das flores e a busca por determinados documentos, como certidão de óbito.

    Para te ajudar a lidar melhor com esse turbilhão de emoções, nesse artigo iremos esclarecer algumas dúvidas comumente existentes acerca do velório, a sua definição, o que ele envolve, quais as suas burocracias e a importância de programá-lo antecipadamente. Aproveite e boa leitura!

    Solicitação de DPVAT

    O que é o velório?

    O velório é um evento realizado por familiares ou amigos, após a perda de um ente querido, onde velam o corpo, realizam orações e homenagens ao falecido. 

    Ele pode ser sucedido de uma cremação ou de um sepultamento. Trata-se, então, de um ritual de despedida que integra os momentos do processo de luto em determinadas culturas.

    Historiadores referem que o velório data da época da Idade Média, onde as pessoas viviam o momento da partida expressando os sentimentos e momentos vividos com aquela pessoa. 

    Já os hebreus aguardavam o tempo de um dia para sepultarem os seus mortos, pois acreditavam que o espírito ou a alma demandavam desse tempo para sair do corpo. 

    Qual a diferença entre velório e funeral?

    Ambos os eventos são momentos de muita dor e sofrimento para os familiares e amigos, mas possuem algumas diferenças sutis entre os termos. 

    Enquanto o velório é o momento em que o corpo é velado e são prestadas homenagens, orações e condolências aos familiares, o funeral é a junção de todos os outros momentos do ritual fúnebre. 

    Dessa forma, o funeral abarca desde o velório e suas etapas ao momento de sepultamento ou cremação, dependendo da escolha de cada família. 

    Nesse sentido, os funerais podem variar de cultura para cultura ou família para família, existindo aqueles que pulam o velório e vão direto para o sepultamento e aqueles que oferecem comes e bebes para os convidados que participaram da cerimônia de funeral. 

    Qual a importância da organização de um funeral?

    Fores, cemitério, túmulos.

    Em nossa cultura, não costumamos planejar ou pensar no processo de morte e no funeral antes que o fato ocorra. Isso se deve, muitas vezes, por um sentimento de temor ou negação do fim da vida. 

    Nesse sentido, muitos precisam tomar decisões difíceis e burocráticas em meio à dor e ao sofrimento, o que leva a uma angústia ainda maior.

    No entanto, mesmo diante de todas as dificuldades, o processo de organização é imprescindível para que todas as etapas envolvidas aconteçam no período correto e em conformidade com lei, de forma a evitar dores de cabeça e problemas burocráticos aos familiares durante ou após o sepultamento. 

    Nesse sentido, uma documentação errada, como o atestado de óbito, por exemplo, pode atrasar a liberação do corpo e aumentar a angústia e o sofrimento da família. 

    Esses erros e atrasos podem causar, ainda, muitos transtornos em relação a questões burocráticas que deverão ser resolvidas futuramente, como um inventário ou a execução de um seguro de vida.

    Além das questões documentais, o momento do funeral é marcado pela realização de algumas vontades daquele que partiu

    E essas vontades podem ser desde da cremação, a doação de órgãos ou certos rituais atípicos para determinada cultura, mas que devemos buscar respeitar e cumprir, como uma forma de homenagear aquele que se foi. 

    Como organizar um funeral?

    Diante da importância de organizar corretamente um funeral e todas as etapas envolvidas, devemos seguir alguns pontos principais para garantir a sua fluidez tanto no aspecto legal quanto de certas formalidades.

    À vista disso, existem diversas questões a serem consideradas na hora de organizar o processo de despedida de um ente querido. 

    É de extrema importância, então, que algum familiar ou alguém próximo a família assuma a responsabilidade pela cerimônia. Além disso, é vital que essa pessoa saiba, minimamente, como organizar um velório de maneira correta para que não haja falhas e consequências dolorosas para a família.

    Confira abaixo um passo a passo de como organizar um funeral de maneira prática, segura e barata.

    Respeite o desejo do falecido

    Antes de dar início aos procedimentos e entender como organizar um velório, devemos saber o que será feito com o corpo do falecido. 

    Dessa forma, cabe ao organizador verificar a existência de alguma recomendação ou desejo registrado ou manifestado pela falecido ainda em vida

    Já que, algumas pessoas avisam antecipadamente a família sobre a preferência de serem cremados  e terem as suas cinzas lançadas em algum lugar especial, por exemplo, ou serem sepultados.

    Defina entre sepultamento ou cremação

    Em muitos casos a opção por sepultamento ou cremação fica a cargo da própria família, o que pode ser um momento difícil ou confuso, por não entenderem os atributos de cada um.

    A cremação envolve queima e redução a cinzas por meio da incineração do corpo após o falecimento. Esse tipo de ritual varia de cultura para cultura, sendo que os ortodoxos judeus, islâmicos e algumas religiões cristãs fundamentalistas não realizam essa prática. 

    O procedimento pode, ainda, ser testemunhado pela família, quando o corpo é colocado na câmara e após isso as cinzas são depositadas em urna e entregue aos familiares.

    Já o sepultamento, consiste no processo de enterrar o falecido no que se denomina jazigo, popularmente conhecido como túmulo, que fica no cemitério público ou particular, escolhido pela família. 

    Envolve, ainda, a contratação da cobertura de aquisição de jazigo, acompanhada de alguns custos.

    Uma dica de leitura que pode acrescentar muito nessa escolha: É mais barato cremar ou enterrar? Respondendo à dúvida que não quer calar.

    Confirme o local do velório

    Após a decisão por cremação ou sepultamento, cabe decidir pelo local do velório que geralmente é próximo a onde ocorrerá o desfecho decidido pela família. 

    Nesses momentos, é importante escolher um local de fácil acesso aos familiares e amigos, para que possam não apenas participar da cerimônia, mas voltar ao local futuramente em lembrança da pessoa. 

    Em alguns cemitérios e crematórios existem salas separadas especificamente para a realização do velório, como uma capela ou um espaço amplo, o que facilita o processo de traslado do corpo.

    Separe a documentação

    No âmbito legal, existem determinados documentos necessários para que um funeral e o velório possam acontecer. O seu preenchimento, apresentação e entrega devem obedecer determinados prazos e regras, que serão esclarecidos adiante.

    Obtenha o atestado de óbito

    Assim que a morte de uma pessoa é declarada e confirmada, o médico que atesta esse falecimento deve emitir um Atestado de Óbito, também chamado de Declaração de Óbito. Apenas com essa declaração será possível sepultar ou cremar o corpo.

    Desta maneira, o artigo de número 77 da Lei de Registros Públicos define que nenhum sepultamento poderá ser feito sem o atestado

    Ele deverá ser emitido pelo oficial de registro no local do falecimento, como um médico, se houver um no local, ou por duas pessoas qualificadas que tiverem presenciado e atestado a morte.

    Obtenha a certidão de Óbito

    Após a emissão do atestado de óbito e do sepultamento, a família tem até 15 dias para fazer a Certidão de Óbito. 

    Esse documento é emitido pelo Cartório de Registro Civil de Pessoas Naturais e só pode ser solicitado com o atestado em mãos. Nele estarão informadas a data e a hora do falecimento, além das informações acerca de filhos, cônjuges e a causa da morte.

    Apenas com a emissão desse documento, que os processos burocráticos envolvendo o falecido poderão acontecer, como, por exemplo, questões judiciais, finalização de contratos existentes, execução de inventários e o acionamento do seguro de vida pelos beneficiários.

    Faça o laudo pericial

    Nos casos em que a morte for decorrente de processos violentos ou acidentes, o corpo será encaminhado para o Instituto Médico Legal para a realização da perícia. 

    Esse procedimento, geralmente, é realizado pelo médico perito que irá emitir o laudo pericial. Trata-se de um procedimento muito importante para evitar problemas futuros que possam levar a exumação do corpo.

    O laudo é um documento que contém o parecer do médico sobre a causa provável da morte e também outras informações que possam ser relevantes para uma possível investigação criminal. 

    Somente com a emissão desse documento que a família poderá dar continuidade ao processo de sepultamento ou cremação.

    Preencha a guia de sepultamento

    O guia de sepultamento é um documento fundamental, entregue ao cemitério ou crematório pela família. Ele contém informações sobre o falecido, e outras informações como a opção da família pelo sepultamento ou pela cremação. 

    Trata-se do último passo, de toda a burocracia envolvida, para que o falecido possa ser sepultado seguindo os devidos procedimentos legais.

    Esse documento pode ser solicitado pela própria família no Cartório de Registros Civil ou, caso a família contrate um serviço funerário, é providenciado pela própria empresa, assim como todos os outros documentos.

    Defina uma funerária para cuidar do processo

    Durante o processo do luto, é vital o acompanhamento de uma empresa qualificada e experiente, para garantir que o velório ocorra sob os conformes e que nenhum tipo de imprevisto cause outros problemas.

    Assim, a empresa escolhida ficará responsável pelas etapas de transporte da ente perdido, solicitação de alguns documentos e a preparação do corpo para as próximas fases. 

    Dessa forma, devemos escolher uma empresa com experiência, bem reconhecida no mercado e confiável para cuidar de um momento tão delicado e que requer tantos cuidados.

    Comunique os amigos e os familiares

    Após a definição da hora e do local do sepultamento é necessário e importante avisar as pessoas que eram próximas do falecido. 

    Esse aviso busca garantir que todas as pessoas que foram importantes para o falecido e sua família tenham a chance de se despedir e de dar apoio aos que estão passando pelo processo e pela dor do luto.

    Essa informação pode ser divulgada de maneira rápida e eficiente, alcançando todos aqueles que são esperados, via telefone ou redes sociais. Além desse meio, é claro, podemos transmitir o aviso pessoalmente para aqueles que convivem ou estão próximos de nós.

    Leia também em nosso blog: Aprenda a escrever uma nota de falecimento.

    Prepare uma homenagem

    O momento de homenagens não necessariamente seguirá um padrão. Elas poderão ocorrer de diferentes maneiras, como flores, canções e orações, respeitando as crenças e valores de cada família. 

    Se dedicar a escolha das flores ou das velas pode parecer algo bobo em um momento tão triste, mas pode ser um meio de demonstrar carinho e preocupação com aquele que partiu e a sua memória.

    Trata-se de um momento de demonstrar amor e a falta que o ente querido fará em nossas vidas e a forma como externamos isso varia de pessoa para pessoa. 

    Alguns podem realizar discursos, outros podem cantar, orar, soltar balões ou levar flores, e todas as formas de demonstrar carinho e acolhimento são muito importantes.

    Qual a importância de contar com um plano funerário?

    Cemitério, árvores e banco.

    Uma das principais vantagens em contratar um plano funerário é poder contar com o suporte de uma empresa que é qualificada e especializada no assunto, em um momento tão delicado onde precisamos de todo o suporte. 

    Já que, muitas pessoas nunca enfrentaram a morte antes e ficam perdidas ao ter que lidar com gastos relacionados ao funeral, traslado do corpo, taxas e todas as demais questões relacionadas ao processo de cremação ou enterro. 

    Nesse sentido, o plano funerário é um serviço de assistência que permite a realização e organização documental necessária para que seja possível iniciar os rituais funerários de forma segura e viável. 

    Esse tipo de serviço pode funcionar como um seguro, sendo contratado previamente e que quando o fato vem a ocorrer a pessoa responsável pelos trâmites deverá entrar em contato na central de atendimento e passar os dados referentes. 

    O titular deve pagar uma mensalidade para garantir a execução dos serviços das coberturas disponíveis.

    Existem diferentes modalidades de plano funerário, como assistência funeral, que cobre todos custos e os eventos relacionados ao funeral, e o auxílio funeral. Neste último tipo, a empresa responsável pelo serviço realiza o reembolso de todos os custos demandados para a realização do funeral do titular do plano, pré estabelecidos em contrato.

    Além das diferenças de modalidade, também existem diferentes tipos de plano funerário a serem contratados. 

    Dentre os principais tipos, destacamos o plano individual, mais em conta e com cobertura apenas para o contratante, e o familiar, que garante proteção para mais de um membro de uma mesma família.

    Benefícios do plano funerário

    Dentre os benefícios oferecidos pelo serviço funerário está a garantia de economia pois, geralmente, os planos funerários cobrem todos os custos como caixa, enfeites no local do velório, preparação do corpo, transporte do falecido e todas as burocracias envolvidas. 

    Sendo assim, os familiares conseguem viver o luto sem outras preocupações e sem precisar se deslocar para cartórios ou floriculturas naquele período, por exemplo.

    Além da economia, esse tipo de serviço garante uma certa segurança em momentos de tanta vulnerabilidade. 

    Isso se deve ao fato da família definir todas as suas necessidades e coberturas no momento em que assina o contrato, ficando assegurada de qualquer imprevisto e de que tudo será cumprido no devido tempo.

    Isso é fundamental, já que, como vimos até aqui, um velório é um evento marcante na vida de todos os envolvidos e envolve muitas etapas e burocracias. Assim, contar uma ajuda nesse processo gera uma tranquilidade para organizá-lo da melhor forma possível.

    Com essas informações, esperamos ter esclarecido algumas de suas dúvidas acerca dos detalhes relacionados a essa cerimônia como um todo e, também, a importância de sua organização como um todo. 

    Se gostou desse artigo, acesse o nosso blog e fique por dentro de vários assuntos interessantes. 

    Deixe um comentário