• Central de atendimento 24h (011) 4780-5608
  • Tudo que você precisa saber sobre reserva de emergência e a importância de um plano funerário

    Entenda o que é essencial para formar uma reserva de emergência e conheça os principais motivos para garantir o auxílio de um plano funerário 

    Alguma vez você já se sentiu desamparado(a)? Precisando muito de ajuda, mas podendo contar somente com a própria sorte, já que não se preparou para imprevistos.

    Bom, se a resposta para essa pergunta for sim, você provavelmente entende a importância de estar preparado (a) para certos imprevistos da vida e até mesmo da morte.

    Não que seja possível ter uma solução pronta para todos os problemas futuros, pois como o nome já diz, imprevisto diz respeito àquilo que não podemos prever. 

    Por outro lado, ser inteligente e organizar soluções possíveis para algumas emergências não é mérito de quem pode prever o futuro, mas sim de quem entende a importância de se planejar até mesmo para aquilo que não sabemos que vai, ou quando vai acontecer.

    Continue a sua leitura e aprenda a se preparar da melhor forma para momentos emergenciais. Confira agora o que é uma reserva de emergência e como utilizá-la!

    Benefícios Sociais INSS

    O que é uma reserva de emergência?

    Como o próprio nome sugere, a reserva de emergência é uma quantia em dinheiro que separamos e guardamos para usar em momentos de necessidade e urgência. 

    É considerado um investimento que tem por objetivo assegurar uma estabilidade financeira para lidar com problemas inesperados que surgem em nosso cotidiano.

    Ao estar preparado para emergências, o indivíduo que passa por um momento conturbado não compromete outros investimentos e finanças pessoais. Pois, não precisa recorrer a empréstimos de última hora que o deixam sujeito a juros e outras complicações para sua vida financeira. 

    Quando usar a reserva de emergência?

    A consciência de que o uso da reserva de emergência deve ser feito somente em situações extremamente necessárias, é o primeiro passo que precisa ser dado antes de dar início a esse importante investimento. 

    O celular de última geração da sua marca preferida que chegou às lojas hoje e está com um “desconto” de lançamento, não é emergência. 

    Saiba reconhecer situações em que a reserva de emergência pode e deve ser usada, com base nos exemplos a seguir:

    Saúde

    A reserva de emergência serve para despesas médicas como consultas, exames, cirurgias não eletivas e medicações que não são cobertas por planos de saúde ou possuem uma fila de espera demorada pelo sistema de saúde pública. 

    A nossa saúde e a de quem amamos sempre será prioridade e precisamos estar preparados para esses momentos. Pois o sofrimento é sempre maior quando falta dinheiro nessas horas. 

    Reparos 

    O cano do banheiro estourou e você precisa fazer reparos antes que a sua casa fique alagada; o motor do seu carro queimou e você precisa recorrer a um mecânico; o computador que você usa para trabalhar não quer ligar e você precisa levar para uma assistência técnica.

    Todas essas situações hipotéticas citadas acima são acontecimentos de emergência que necessitam que consertos e reparos sejam feitos imediatamente e, numa hora como essa, a reserva de emergência deve ser usada;

    Morte

    Ninguém está totalmente preparado para a morte, nem para a própria ou a de um ente querido. No entanto, existem pessoas que relegam de tal forma essa preocupação que quando falecem, acabam pegando a família totalmente desprevenida, já que não contam com uma reserva de emergência. 

    O falecimento de algum parente que não possui plano funerário pede o uso da reserva de emergência, pois são muitas decisões que precisam ser tomadas em um momento de fragilidade e luto;

    Dívidas

    Se você possui um planejamento que permite o pagamento de parcelas correspondente a certas dívidas, não precisa se preocupar em pagá-las antecipadamente. 

    Mas, caso apareça uma boa oportunidade com ofertas e descontos que façam valer a pena a dívida ser paga à vista, você pode usar a reserva de emergência, pois dessa forma economiza evitando os juros do parcelamento. 

    Além disso, dívidas inesperadas, como multas de trânsito, também permitem o uso da reserva. Pois quitando antecipadamente você consegue descontos e se livra rapidamente desse problema.

    Veterinário 

    Se o seu animal doméstico ficou doente, a reserva de emergência irá ajudar muito. Procedimentos veterinários não costumam ser baratos e, na hora do desespero, quem ama seu pet fará o possível e o impossível para ajudá-lo.

    Não possuindo uma reserva, o tutor muitas vezes entra em intermináveis dívidas no cartão de crédito com juros a perder de vista.

    Desemprego 

    Caso você perca sua principal fonte de renda, seja por ficar desempregado ou declarar falência de um empreendimento, a reserva de emergência pode dar um respiro, até você encontrar um novo emprego ou abrir outro negócio.

    Com um montante de valor correspondente às despesas mensais e ao tempo para qual a reserva será necessária, será possível que você viva por tempo suficiente para se organizar e ter uma nova renda sem ter que apelar para dívidas.

    Como fazer uma reserva de emergência?

    Poupar não é um hábito muito comum entre os brasileiros, seja pela economia instável do país que não permite que isso seja uma tarefa fácil ou pela falta de estímulo de uma boa educação financeira na vida dessas pessoas.

    Como resultado disso, formar uma reserva de dinheiro para situações inesperadas é, antes de mais nada, um exercício de muita disciplina e perseverança.

    Confira agora algumas dicas para você começar a sua reserva de emergência:

    Defina um objetivo e as metas para alcançá-lo

    O primeiro passo para formar uma reserva de emergência satisfatória é ter bem definido qual o seu objetivo e as metas para que ele seja possível.

    Por exemplo: se o seu objetivo é que dentro de um ano você tenha uma reserva para suprir suas despesas durante seis meses com um valor total de 7.000,00 reais, a sua meta deve ser guardar 583,33 reais por mês para que o seu objetivo seja alcançado.

    Quando você tem bem claro quais são os seus objetivos e as suas metas, é como ter um mapa que facilite a escolha de quais caminhos seguir.

    Conheça as suas despesas e receitas 

    O controle do quanto você gasta e do quanto você ganha é o que permite uma organização mais eficaz do seu orçamento como um todo, e contribui também para facilitar a tarefa de poupar dinheiro. 

    Além de conhecimento sobre a quantia de dinheiro que entra todos os meses no seu orçamento, tenha bem especificado todos os seus gastos contínuos, por menores que eles sejam, desde o aluguel da casa ao cafezinho de todos os dias. 

    Não esqueça das despesas sazonais, que variam conforme certos períodos, como IPVA ou material escolar. 

    Transforme em rotina a economia 

    O nosso consumismo é estimulado o tempo todo. Quando ligamos a TV, entramos na internet ou saímos na rua, a publicidade nos bombardeia com lembretes do que (não) precisamos comprar. 

    Resistir a esses estímulos é quase uma prova de fogo e é aqui que a disciplina se encaixa perfeitamente. 

    O investimento em uma reserva de emergência deve ser encarado como uma despesa que precisa ser paga, nunca como algo que pode esperar o dinheiro sobrar, porque o dinheiro nunca sobra, mas costuma faltar quando mais precisamos. 

    Por isso, poupar para a reserva de emergência precisa se transformar em uma rotina levada a sério. 

    Não gaste a reserva de emergência

    Essa é uma dica um tanto quanto óbvia mas, não custa nada reforçar a sua importância. A reserva de emergência, como já explicado antes, é para momentos de necessidades emergenciais. 

    Então, leve em consideração que esse capital não está disponível para ser usado em situações normais, mas sim que é um investimento a longo prazo para te dar segurança em momentos difíceis.

    Qual o valor ideal de uma reserva de emergência? 

    A definição da quantia ideal para uma reserva de emergência precisa levar em consideração as necessidades pessoais e familiares de quem visa começar esse investimento.

    Para a maioria dos especialistas em educação financeira, o valor ideal dessa quantia deve cobrir as despesas de uma pessoa ou família num período que varia de seis a doze meses.  

    Supondo que suas despesas mensais sejam equivalentes a 2.000 reais, o ideal seria que o valor da sua reserva variasse 12.000 a 24.000 reais. 

    Não existe um valor certo, porque a possibilidade de guardar a quantia necessária pode variar de acordo com uma série de fatores, o importante é começar e seguir o planejamento aumentando a quantia assim que possível. 

    Como escolher o investimento certo? 

    O principal requisito a ser considerado na hora de escolher um investimento para a reserva de emergência é a liquidez que ele oferece e que, para esse fim, precisa ser alta. 

    Sendo assim, o investimento é transformado em dinheiro mais rapidamente e, havendo a necessidade de usar o valor aplicado, será a liquidez que permitirá, ou não, que ele esteja disponível.

    Outra questão a ser considerada é a rentabilidade do investimento, quanto maior for a possibilidade de retorno financeiro, melhor. Outra característica importante é que a aplicação seja de baixo-risco, para que você sempre saiba com quanto dinheiro pode contar.

    Por que é tão importante ter um plano funerário?

    Por mais difícil que seja falar sobre a possibilidade de morte, nossa ou de algum ente querido, esse é um assunto que precisa ser discutido pois, a tristeza que envolve esse momento não impede que burocracias precisem ser resolvidas de forma urgente. 

    Desse modo, estar amparado nessas horas é essencial e, é um plano funerário, que irá garantir mais tranquilidade para quem precisa tomar decisões nesse momento de dor.

    Razões para investir em um plano funerário 

    Entenda agora por que ter um plano funerário é imprescindível:

    Assistência funerária 

    Diante da morte de alguém, são muitos os serviços necessários que precisam ser contratados. Preparação do corpo, velório, coroas de flores, caixão, cremação, traslado do corpo, entre outros serviços que podem variar. 

    Possuindo um plano funerário, essa assistência dará conta dos serviços que precisam ser feitos. 

    Economia 

    Um plano funerário também é uma eficiente ferramenta de planejamento financeiro que nos disponibiliza pagamentos facilitados e preços acessíveis que são garantidos antecipadamente. 

    Evitando assim que no momento de fragilidade, as pessoas caiam em armadilhas e golpes de empresas que aproveitam o momento para cobrar preços abusivos pelos serviços necessários. 

    Amparo 

    Um plano funerário tem como principal objetivo amparar as famílias em um momento tão difícil, pois será a empresa contratada a responsável por tomar as providências quanto a prestação dos serviços estabelecidos. 

    Só quem já passou por uma situação tão difícil como a perda de alguém, entende a importância que essa ajuda tem neste momento.

    Benefícios em vida 

    Apesar do nome, planos funerários não servem apenas para funerais. Muitos oferecem oportunidade de uma vida melhor, disponibilizando planos com acesso a condições especiais para consultas e exames, descontos em educação e lazer, entre outras possibilidades que variam de acordo com cada plano.

    Cabe a você pesquisar as empresas que oferecem esse serviço e escolher a melhor assistência funerária para você e sua família.

    Quando as ocasiões dolorosas acontecem é que percebemos a importância de se estar preparado para elas. Seja em um momento de dificuldade proveniente da perda de um emprego, seja no luto da morte de um ente querido, ter amparo se faz mais que necessário.

    Você já passou por situações de emergência? Está preparado (a) caso algum desses problemas aconteçam com você?

    Conte sua experiência nos comentários e se gostou do artigo, compartilhe para que mais pessoas possam entender a importância de estar preparado para esses acontecimentos.

    Deixe um comentário