• Central de atendimento 24h (011) 4780-5608
  • Saiba tudo sobre a decomposição do corpo humano

    Veja o passo a passo e quanto tempo demora o processo em que o corpo começa a apodrecer e se desfazer.

    O que acontece após a morte no plano espiritual é um mistério, porém o pós morte física já foi estudado pela ciência e tem etapas muito bem definidas, incluindo todo o processo de decomposição do corpo humano.

    Assim, já foi comprovado que a decomposição do corpo resulta em apodrecimento e cada quilo se desfazendo até se tornar um mero esqueleto.

    O fim é inevitável, e o processo de decomposição é na prática o que dizemos sobre que “da vida não se leva nada”. 

    O final do corpo físico não é nada bonito ou glamouroso, como fazem parecer alguns enterros. No fim da vida, somos engolidos por nosso próprio organismo, insetos e larvas até que nada sobre.

    Após as homenagens e o corpo no caixão ou jazigo, em até 3 anos todo o organismo já se transformou em apenas ossos.

    O processo acontece em cinco estágios, são eles a decomposição inicial, putrefação, putrefação escura, fermentação butírica e esqueletização. 

    Porém, o processo de decomposição pode ser evitado utilizando técnicas como embalsamento.

    Porém, é uma ação cara e que demanda manutenção, já que a ciência desconhece qualquer substância que torne o corpo livre de decomposição para sempre.

    Para saber tudo sobre a decomposição do corpo humano, continue neste artigo.

    O que acontece após a morte?

    Por mais que pareça que após a morte o corpo é simplesmente transportado direto para a funerária e para o velório, na realidade, essa ação não é assim tão simples. 

    Dessa forma, o corpo, quando a morte não é natural, passa por perícia, pelo técnico de necropsia que o ajuda a identificar a causa da morte e após por tanatopraxia.

    Para deixar isso mais claro, vamos usar como exemplo uma morte suspeita, tudo bem? Acompanhe os passos!

    Digamos que o sujeito morreu com um tiro depois de um assalto. Então, o médico legista tenta compreender de onde vem o tiro e faz as suas suposições sobre a morte. 

    Após essa ação inicial, é trabalho do técnico de necropsia manejar o corpo e, por exemplo, retirar a bala e definir qual foi o calibre do tiro e o que causou a morte – apontando qual órgão a bala atingiu, por exemplo.

    Depois disso, o médico legista pode emitir o laudo com a causa da morte.

    Em uma próxima etapa, o corpo é levado para o técnico de tanatopraxia que higieniza-o e faz as correções com maquiagem necessárias para que o corpo não cause desconforto no velório, a chamada necromaquiagem.

    Além disso, o corpo também recebe uma injeção com algumas substâncias – incluindo formol – que retarda por até 48h o processo de decomposição do corpo, para que permaneça intacto para o velório.

    Com o fim do efeito dessa aplicação, se inicia o processo de decomposição.

    O processo de decomposição começa com a falta de nutrição das células que se autodestroem e depois começa a ser consumido por bactérias.

    Conheça todas as fases da decomposição no próximo tópico.

    Substâncias sendo estudadas em tubos de ensaios

    O que é a decomposição?

    A decomposição é o que acontece com nosso organismo quando não há mais oxigênio e sangue correndo em nossas veias. 

    Quando a oxigenação para, o organismo se desequilibra. Então as células do corpo começam a devorá-lo em busca de encontrar alguma forma para sobreviverem.

    Os primeiros organismos a se manifestarem são os da flora intestinal, e em pouco tempo todos estarão ajudando no trabalho e em algum tempo o corpo fica irreconhecível até que só restem ossos.

    Os ossos não são interessantes para os organismos, então estes não são atacados e permanecem intactos.

    A decomposição do corpo humano acontece em cinco fases, e para conhecer cada uma delas, continue neste artigo. Aproveite a leitura!

    Decomposição inicial

    Após a morte, o corpo fica desregulado e, explicando de forma simples, as células tentam compreender o que está acontecendo.

    Nesta primeira fase acontece um fenômeno chamado autólise, que é quando as células se autodestroem já que a circulação de sangue pelas veias e oxigênio nos pulmões foi interrompida.

    Dessa forma, as células não recebem novos componentes essenciais para a nutrição pela corrente de plasma, e portanto é hora de se auto destruírem.

    Esse processo ocorre também quando há um tecido morto ou órgão que falhou. E é por isso que ocorre a amputação, para que não afete outras áreas do corpo.

    Putrefação

    Nessa etapa o cadáver fica inchado devido às bactérias.  Dessa forma, algumas áreas do corpo começam a estourar. 

    Esse rompimento é causado pelas larvas e começa a acontecer entre 25 e 48 horas após a morte.

    As principais bactérias a iniciarem o processo de putrefação são as do intestino que comem as proteínas e soltam gases que causam um odor extremamente desagradável.

    Os gases começam a se acumular na área do abdômen provocando, além do inchaço, um aspecto de cor verde no corpo.

    O odor atrai insetos que se esforçam para entrar no caixão e depositam ovos que fazem com que a decomposição aconteça ainda mais rápido.

    Putrefação escura

    Lá entre o 10º e 25º dia a putrefação avança devido aos insetos. Nesse momento, os organismos envolvidos começam a entrar em colapso, pois suas opções de nutrição estão chegando ao fim. A essa altura da decomposição, o odor é ainda pior.

    Fermentação Butírica

    Neste momento da decomposição do corpo humano, já não existe mais pele e nem alimento para os organismos que iniciaram a decomposição.

    Assim, estes morrem e as larvas terminam de consumir o que sobrou até deixar o caixão ou jazigo com apenas ossos.

    Esqueletização

    Quando do corpo restam somente os ossos e cartilagens, as larvas já não se alimentam.

    Nesse momento, os ossos se reduzem, os tecidos moles se desintegram e restam apenas os ossos e outras partes mais duras do esqueleto. 

    Todo o restante do corpo foi consumido: pele, olhos, cabelo e, principalmente, carne.

    É nesse momento – aproximadamente três anos depois- que a família pode retirar os restos mortais do jazigo e levar para o ossuário.

    Porém, dependendo do peso do indivíduo, pode ser que ao fim dos três anos o processo de decomposição não esteja completo.

    Assim, é preciso esperar mais algum tempo para fazer a retirada dos ossos.

    Fisioterapeuta movimentando braço de paciente

    O que acontece quando alguém morre sozinho em casa?

    É comum que pessoas que moram sozinhas morram e os vizinhos só descubram devido ao cheiro ruim vindo da casa.

    Lembra do que falamos sobre a decomposição ocorrer mais rápido em lugares úmidos e quentinhos? Então, um corpo na sala de casa tem obviamente menos calor envolvido do que dentro de um caixão a sete palmos da terra.

    Por isso, a decomposição fica um pouco mais lenta. 

    Em contrapartida, quando a morte acontece, o corpo passa pela tanatopraxia – técnica que injeta um coquetel de substâncias que retarda em até 48 horas o início da decomposição.

    Sem isso, o corpo daquele que morreu em casa inicia o processo de decomposição rapidamente e em três dias já é possível sentir o odor da putrefação.

    Logo, a decomposição para quem morreu e não foi socorrido demanda o mesmo tempo que aqueles que foram logo acudidos pelo serviço funeral.

    É possível evitar a decomposição do corpo humano?

    Sim, é possível, porém não é algo acessível a qualquer pessoa. 

    Quem não conhece a história de que o Walt Disney manteve o seu corpo congelado para que no futuro, se um dia vivenciarmos essa tecnologia, ele retome a vida?

    A história é bem fantasiosa, mas a lógica não está de todo errada: o gelo mantém o corpo longe da decomposição devido a baixa temperatura.

    Afinal, um lugar úmido e escuro – como um caixão – é o que acelera esse processo. 

    Isso explica o por quê você pode deixar uma maçã por até 7 dias em cima da sua mesa da cozinha e ela permanecerá intacta, mas se deixá-la dentro da bolsa em três dias estará podre.

    E também é por isso que carne deve ser transportada e permanecer congelada. Senão, ela apodrece. Esse apodrecimento é, na verdade, decomposição.

    Além do gelo, você pode manter um corpo longe da decomposição com técnicas de tanatopraxia. Essa técnica envolve fazer uma aplicação no cadáver que o mantém longe de decomposição por até 48 horas.

    Porém, para mais tempo do que isso, é necessário a manutenção.

    Outra forma de manter o corpo fora de decomposição é o embalsamento. Essa técnica é utilizada, por exemplo, no mausoléu na Rússia onde o corpo de Vladimir Lenin está embalsamado em sua memória.

    Porém, a ciência ainda desconhece qualquer espécie de aplicação de substâncias ou técnicas que mantenham o corpo eternamente conservado. O corpo embalsamado de Lenin, por exemplo, passa por manutenção mensal e será sempre assim.

    Esses exemplos, porém, são de personalidades famosas nas quais as famílias – ou o governo, no caso de Lenin – dispõem de recursos para bancar o tratamento.

    Porém, para os mortos de cada dia, não há qualquer forma de evitar a decomposição.

    Você já sabia algo sobre decomposição? Como você imaginava que acontecia na prática? 

    Deixe sua opinião nos comentários, vamos adorar saber mais sobre!

    Deixe um comentário