• Central de atendimento 24h (011) 4780-5608
  • O que você sabe sobre cremação de animais?

    O processo de cremação de animais é bem parecido com o da cremação humana, entretanto, ainda não é tão conhecido. Confira mais sobre ele!

    Para quem ama animais, a perda de um deles é um momento extremamente doloroso. Afinal, eles são companheiros que ficam ao nosso lado ao longo de uma vida e, infelizmente, vivem pouco perto das experiências que ainda gostaríamos de construir com eles. Contudo, a cremação de animais pode ajudar  com essa dor.

    Afinal, uma das opções para lidar com esse processo de luto de uma forma saudável e demonstrar admiração e respeito ao seu pet, é cremar o seu pet. Isso porque a cremação de animais é um processo sustentável, prático e que permite a você e seus familiares prestar as últimas homenagens.

    Por isso, neste artigo vamos mostrar como é feita a cremação de animais e tirar suas dúvidas sobre o tema. Continue lendo para saber mais!

    Por que não é recomendado enterrar os animais após a morte?

    Muitos donos, diante da morte dos seus animais, realizam o processo funerário enterrando os pets em terrenos próprios, quintais, fazendas, entre outros locais. Porém, esse é um processo complicado, porque, normalmente, não são cumpridos os protocolos de segurança para evitar a contaminação do terreno.

    Solicitação de DPVAT

    Afinal, com o passar do tempo, o corpo do animal entrará em decomposição. Se ele faleceu por alguma doença contagiosa (como a cinomose), o agente contaminante poderá adentrar o lençol freático e, assim, levá-lo para a água da região. 

    Criança tomando água de um bebedouro público

    Outras doenças que podem ser propagadas assim são a toxoplasmose, a raiva e a leptospirose — todas elas afetam humanos e animais.

    Além disso, o próprio processo de decomposição causa contaminação local por meio de necrochorume. Isso pode gerar doenças como tétano e hepatite, caso chegue ao lençol freático.

    Em muitos casos, também pela realização do enterro de forma inadequada, pode-se gerar cheiros fortes e desagradáveis na região, incomodando sua família e vizinhos. Nada bom, não é mesmo?

    Por isso o processo de cremação de animais é importante. Continue lendo para saber mais!

    O que é a cremação de animais?

    Antes de mais nada é preciso diferenciar cremação de incineração. Ao optar pela cremação, o desgaste ambiental e a poluição do ar são evitados, graças ao cuidado adequado com o corpo. Diferente do que acontece com a incineração. 

    A cremação consegue, só seguir todas as normas e exigências do procedimento, inibir a transmissão de doenças que o animal pudesse carregar, sem riscos de exposição e contaminação do solo ou do ar. 

    Ainda que não seja uma prática muito comum, o cuidado necessário é uma discussão recorrente em nível mundial, de forma que a ACEMBRA (Associação dos Cemitérios e Crematórios do Brasil) é uma das precursoras das técnicas corretas em cremação de animais por aqui. 

    Como vimos acima, o enterro de animais não é a maneira mais indicada para se despedir de um pet. Sendo assim, a cremação funciona como uma alternativa bastante viável para aqueles que desejam encerrar o ciclo de vida de seus companheiros com muito respeito. 

    Além disso, a cremação também auxilia a evitar o contágio do solo e lençol freático, o que por si só já é uma ótima justificativa para fazer uso desse método. 

    Dessa maneira, o processo de cremação de animais funciona a partir de uma técnica bem específica, sem a emissão de poluentes e evitando o contato direto com os restos mortais do pet.

    Os corpos são manejados em forno adequado para a prática que chega à temperatura de 1000°C. 

    O processo completo dura cerca de 40 minutos e nenhum objeto pode acompanhar o corpo do animal. Logo em seguida, ocorre um segundo processo capaz de dissolver o restante dos ossos que porventura ainda estejam em tamanhos grandes. 

    Assim, o corpo é transformado em cinzas na consistência ideal para ser guardado na urna funerária. 

    Nesse momento, o cliente tem a opção de escolher a urna que mais se identifica, além de incluir outros objetos para compor, como um porta retrato, estatuetas ou placas memoriais.

     Se você tem interesse em saber um pouco mais sobre o processo de cremação em geral, não deixe de visitar nosso blog e ler o artigo sobre como funciona essa técnica e tire todas as suas dúvidas. 

    Como é feita a cremação de animais?

    A cremação dos animais segue um processo bem parecido com o da cremação humana. Os donos podem realizar uma cerimônia de despedida para o animal, incluindo imagens, músicas, flores, entre outros elementos. Isso ajuda, por exemplo, a lidar melhor com o luto, de uma forma menos dolorosa. Seria como uma espécie de velório.

    Depois da cerimônia, o corpo pode ser mantido em refrigeração para aguardar o processo de cremação. Nesse momento, ele é levado para um forno de duas câmaras que impede a liberação dos gases para o meio ambiente, evitando gerar poluentes para a atmosfera. 

    Todo o processo dura aproximadamente duas horas, podendo estender ou diminuir de acordo com o porte do animal.

    No final, ficarão apenas as cinzas, que serão retiradas e entregues para os donos, em uma urna especial. Nesse momento, também, é emitido um atestado de óbito comprovando que todo o processo foi feito de forma segura e de acordo com a legislação vigente.

    O que diz a legislação sobre a cremação de animais?

    Normalmente, o serviço de cremação está vinculado a clínicas veterinárias e, aqui no Brasil, essa é a forma mais comum de se informar sobre o procedimento. Por conta da baixa adesão, a legislação do nosso país ainda é bastante escassa. 

    Atualmente não existe uma lei federal que regulamente o assunto e a legislação existente trata mais especificamente sobre o falecimento de animais em laboratório. Como exemplo temos a Lei número 15.413.2014, do estado de São Paulo, que dispõe sobre as condições do “tratamento térmico por cremação de animais mortos provenientes de estabelecimentos de ensino e pesquisa”. 

    Ainda que não exista nada regulamentando a cremação de animais domésticos, essa lei é um bom direcionamento de como manipular os inúmeros animais que morrem todos os dias respeitando os critérios básicos da saúde pública. 

    Além disso, também existem leis específicas nos Estados e Municípios que desencorajam a prática do enterro sem nenhum cuidado. O Artigo 54 da Lei Ambiental pode ser interpretado como uma regulação e punição para o ato do enterro irregular de animais, quando o mesmo é tido como uma ação que pode incorrer em poluição ambiental. 

    Este tópico tem se tornado cada vez mais importante porque, diversas funerárias que lidam com os animais, não realizam o procedimento de enterro da maneira correta, sem colocar em risco o meio ambiente. 

    Por isso muitos profissionais chamam atenção para o fato de que não basta colocar o seu pet em um cemitério, é preciso saber se o procedimento é realizado de acordo com as normas ambientais e sem colocar em risco a população. 

    Velas acesas enfileirada

    Como o processo de cremação ajuda a lidar com o luto?

    Ao nos depararmos com a morte de um companheiro – humano ou não – nosso primeiro e mais instantâneo sentimento é de tristeza, angústia e sofrimento. É completamente improvável que pensemos em como não causar um impacto ambiental com o enterro, certo?

    Quando um animal próximo morre, as pessoas não sabem o que fazer com o corpo e, muitas vezes, acabam optando por escolher o caminho mais fácil e rápido. Entretanto, o que muita gente não sabe ou simplesmente ignora, é que o corpo do animal doméstico também precisa de um tratamento adequado, assim como o de seres humanos. 

    Em cada cultura os animais e sua despedida do mundo terreno são tratados de maneiras diferentes. A taxidermia, por exemplo, é uma prática de milênios realizada no Egito Antigo que visa respeitar a trajetória dos animais enquanto vivos após a sua morte. 

    Esse é apenas um exemplo de como a morte dos companheiros é capaz de afetar as relações dos seres humanos. Por isso, a cremação de animais auxilia no processo de luto, visto que permite uma despedida digna, atenciosa e totalmente respeitosa do seu pet. 

    Histórico de cremação de animais 

    Ao longo dos anos e com a crescente importância que os pets tomaram nas nossas vidas, a sociedade atual vem desenvolvendo seus próprios rituais para lidar com a morte dos animais. Como ótimo exemplo, podemos observar um cemitério voltado somente para o enterro de animais datado de 1899 e localizado em Paris. 

    O que se iniciou como uma medida sanitária imposta pelo governo local, justamente para evitar o descarte incorreto do corpo e contaminar o solo da cidade. O receio pela contaminação dos lençóis freáticos deu início a uma prática que passou a ser considerada respeitosa pela vida e memória dos animais. 

    Já aqui no Brasil, a Universidade Federal do Piauí (UFPI) pode ser tomada como um modelo a ser seguido país afora. A mesma incluiu nos seus serviços do Hospital Veterinário o Cemitério Cadelinha Sasha, que se tornou o único cemitério público brasileiro totalmente voltado para esse tipo de serviço. 

    Ele tem como foco expandir a prática do cuidado correto com os pets que se foram. Para tal, a universidade inaugurou formalmente a seguinte campanha: “não enterre seu animal de estimação no fundo do quintal!” 

    Desde então, a UFPI se tornou referência sobre o assunto na América Latina e divulga informações importantes sobre o assunto em seus meios de comunicação. Por isso, o Brasil precisa de mais incentivos à informação como esse, visando diminuir o risco ambiental e um tratamento mais respeitoso e digno para com os animais. 

    Diferenças entre a cremação humana e animal

    De maneira geral não existem diferenças muito gritantes entre a cremação humana e animal. É inegável que nos dois casos essa escolha é a mais ambientalmente correta para o mundo. A principal discrepância entre o processo voltado para animais e humanos é o tempo de cremação. 

    Por conta do tamanho do corpo, obviamente a cremação humana pode chegar a durar quatro horas, enquanto dependendo do animal, pode levar apenas alguns minutos. Tudo varia de acordo com o que está sendo cremado, é claro. Mas via de regra, se compararmos um cachorro com um humano, por exemplo, o tempo do pet será invariavelmente menor. 

    Além disso, não é comum que mais de um corpo seja cremado junto, a não ser que haja um acordo especial para realizar a cremação dos membros da família que morreram juntos. Entretanto, em crematórios especializados em animais, é normal que ocorra a cremação em massa para mais de um animal. 

    Cravo Branco

    Quais as vantagens de optar pela cremação de animais?

    Escolher a cremação de animais pode ser, além de um ato de amor pelo seu pet, mais benéfico para o meio ambiente e mais vantajoso para você e seus familiares. Isso porque a cremação é uma forma linda e digna de se despedir do seu pet.

    A seguir, vamos mostrar as vantagens de optar pela cremação de animais em vez do enterro. Acompanhe!

    Sustentabilidade

    Em primeiro lugar, você honrará a história do seu pet protegendo o meio ambiente. Afinal, cuidar da natureza é cuidar do espaço que pode ser usado e habitado por muitos outros animais. Tanto no processo de cremação em si quanto posteriormente, não há danos ao meio ambiente, por isso esse processo é considerado o mais sustentável.

    Redução das chances de disseminação de doenças

    Como falamos, ao optar pelo enterro sem os cuidados necessários, pode ocorrer contaminação tanto do solo próximo quanto do lençol freático que abastece a região. Com isso, doenças sérias podem ser passadas para animais e seres humanos.

    A cremação evita esse tipo de situação, não gerando poluentes para o solo. Mesmo que você decida, por exemplo, realizar um ritual de despejar as cinzas em algum lugar, isso não gerará problemas para a população próxima.

    Possibilidade de guardar as cinzas

    Muitos tutores gostariam de ter a possibilidade de estar com os seus bichinhos para sempre perto deles, mesmo após o falecimento. A cremação permite que você destine um lugar para homenageá-los e relembrar o quanto eram especiais para você.

    Caso não queira armazenar as cinzas em sua casa, um outro ritual de despedida pode ser feito para dar melhor destino a elas. Por exemplo, que tal depositá-las debaixo da árvore preferida do seu cachorro? É uma forma de honrar essa lembrança.

    Conheça mais sobre o sentido da cremação no artigo: qual a simbologia por trás da cremação!

    Praticidade

    Na cremação, todo o processo é conduzido por meio de profissionais responsáveis. Com isso, você não precisa se preocupar com nada, apenas em vivenciar o luto pela perda do seu animal.

    Para quem normalmente opta por enterrar, há toda uma preocupação em encontrar o lugar ideal, abrir o espaço para enterrá-lo, solicitar uma pessoa querida que ceda um espaço (no caso de quem não tem quintal ou more em apartamento), entre outras questões. 

    Então, a cremação traz mais praticidade para quem não pode ou não quer ter um maior trabalho com isso.

    Cerimônia de despedida

    Para muitos, o momento da cerimônia de despedida é fundamental para vivenciar o luto pela perda do seu pet. 

    Na cremação, é oferecida a oportunidade para que aqueles que amavam o bichinho possam relembrar fotos, prestar homenagens, contar histórias e ter o apoio de pessoas queridas.

    Menor sofrimento para os donos

    O processo do enterro é doloroso, por isso muitas pessoas não querem lidar com as imagens desse momento. Vivenciar isso pode, até mesmo, ser traumático, principalmente para as crianças. Inclusive, é importante saber como falar com elas sobre a perda.

    Ao optar pela cremação, o processo de despedida é realizado longe dos olhos dos tutores, caso queiram. Assim, a família terá apenas as lembranças dos bons momentos com o bichinho.

    Porém, também é possível escolher a cremação coletiva, na qual o pet passará por isso junto com outros animais.

    Mas, afinal, quanto custa a cremação de animais? Descubra a seguir!

    Qual o valor da cremação de animais?

    Assim como o valor da cremação humana, no Brasil o valor da cremação de animais pode variar. Os valores vão de R$700,00 a R$1.300,00, sem a inclusão de outros serviços como o velório, a funerária etc. 

    Além disso, outro fator que pode influenciar no preço é o peso do animal e a região em que se vive. O preço da cremação em São Paulo, por exemplo, pode ser bem diferente do valor em Curitiba. Por isso, é importante que você faça essa pesquisa na região em que você mora.

    Agora que você sabe como é feita a cremação de animais e os benefícios de optar por ela, pode entender a importância de contar com um plano de saúde que ofereça essa opção para os contratantes. 

    O plano funerário familiar da Amar Assist considera que o seu pet também é um membro da família. Assim, ele oferece a proteção necessária para lidar com um momento tão doloroso para os tutores.

    Conheça nosso plano funerário familiar e tire suas dúvidas sobre o tema. Temos certeza de que ele será útil para trazer maior conforto em momentos difíceis.

    Deixe um comentário