Central de atendimento 24h
(011) 4780-5608

O que é seguro decesso e como funciona?

O Seguro Decesso  é um meio de garantia para os momentos mais difíceis que enfrentamos ao perder um parente ou alguém que gostamos profundamente. Nesse artigo pretendemos elucidar várias questões pertinentes a esse tipo de seguro e quais são as vantagens de adquiri-lo. Aproveite a leitura!

Mãos, caneta, papéis sobre a mesa, óculos.

O Seguro Decesso , assim como os planos funerários, serve para dar apoio e assistência à família no momento em que alguém se for, resolvendo várias questões burocráticas e amenizando esse momento de tanta dor.

Assim como contratamos um seguro de saúde ao longo da vida ou mesmo um seguro para a proteção do veículo, o Seguro Decesso  é a garantia de que todos os processos legais envolvidos no falecimento da pessoa (ou pessoas) serão feitos corretamente.

Já que, nos momentos em que mais precisamos de assistência, na perda de alguém importante, é necessário ter um sólido apoio em vários sentidos: mental, emocional e financeiro

Pois, a perda em si já é dolorosa, torna-se ainda mais quando colocamos as preocupações financeiras acima do luto. Dessa maneira, detalharemos tudo sobre o que é o Seguro Decesso , como ele funciona e quem pode contatar. Leia o artigo até o final e descubra tudo sobre esse assunto.

Consulta Gratuita de Benefícios Sociais

Falamos sobre plano funerário pouco mais acima, você pode sentir curiosidade em saber mais sobre isso lendo o artigo: Como ter um bom plano funerário afeta o planejamento financeiro da sua família.

Qual a diferença entre o Seguro Decesso  e o plano funerário?

A principal diferença entre o Seguro Decesso  e o plano funerário é justamente a maneira como ele é contratado e como ele funciona: o seguro pode se encaixar nos planos de vida, planos de saúde e benefícios implícitos a determinados empregos, enquanto que o plano funerário está mais atrelado à contratação por vontade própria.

O plano funerário também pode estar nos benefícios empregatícios, porém, nem todos eles especificam que se trata realmente disso. 

Como assim? Geralmente, é descrito como “plano de vida” ou palavras com o mesmo peso, mas fica acordado algo padrão para a pessoa segurada e não é muito passível de mudanças externas ou mudanças que afetem algo além do empregado.

Por isso, contratar um Seguro Decesso  garante um pacote maior de serviços e mais tranquilidade no momento do luto, como veremos no tópico abaixo.

O que envolve o Seguro Decesso ?

Existem vários planos e assistências funerárias que se prestam a oferecer o Seguro Decesso  com mais amplitude, porém, há alguns serviços mais padrões que quase todas oferecem, são eles.

Urna ou caixão

Ambos em casos específicos. A urna no caso da família optar pela cremação e o caixão no caso do enterro

Há muitos poréns nessa decisão e cabe somente à família decidir o que é melhor para sua despedida. Você pode ler um artigo interessante sobre isso em: Enterro, sepultamento ou cremação? Conheça todas as etapas que envolvem o falecimento de um ente querido.

Carro para enterro

Cuidará do transporte do corpo da casa do segurado até o local de sepultamento

Esse tipo de serviço se difere também do traslado, porque não diz respeito em si ao transporte do corpo desde o local da sua liberação até o sepultamento e sim apenas da casa até o cemitério ou local de cremação.

Serviço assistencial

Comprovadamente um dos melhores serviços, já que se presta a fornecer apoio psicológico para o enlutado (ou enlutados)

Apesar de ser realmente necessário vivenciar o luto e a perda, aceitar e seguir em frente, muitas vezes esse processo pode estagnar em alguma etapa e restringir o enlutado em outras questões da vida.

Fornecer apoio psicológico configura importante maneira de vivenciar os estágios do luto mais tranquilamente, desenvolvendo corretamente os próprios sentimentos.

Benefícios Sociais - DPVAT

Registro de óbito

Declaração de óbito e registro de óbito são coisas diferentes, é importante não confundir. A declaração de óbito só pode ser dada pelo médico responsável pelo paciente, direta ou indiretamente, já o registro de óbito é um documento mais burocrático que se alia à declaração.

Ter alguém para lidar com esse tipo de burocracia num momento tão delicado é realmente importante.

Além das vantagens já mencionadas, outras que fazem parte é a cobertura de taxas de sepultamento ou cremação, repatriamento, traslado e velório.

Quais outras utilidades de contratar o Seguro Decesso ?

“Decesso” é um sinônimo para morte, portanto, quando falamos sobre um seguro nessa área, é como falar numa garantia no período de falecimento. Essa definição parece muito conhecida, não é mesmo? Planos funerários e seguros de vida costumam prestar esse tipo de apoio.

Durante a sua leitura, pode ser que tenha pensado sobre o quão parecido é com o plano funerário, no quesito de oferta de serviços, porém, há algumas cruciais diferenças que lhe mostraremos ao longo desse texto.

O que acontece é que os planos funerários apenas prestam serviços do momento do falecimento até o enterro do falecido. É menos comum o plano funerário prestar o auxílio psicológico dos enlutados, por exemplo.

No Seguro Decesso , é uma vantagem compartilhada por quase todas as instituições que o ofertam e algumas mais. Comumente, as instituições que fazem esse tipo de seguro também verificam a saúde dos familiares e garantem que passem pelo processo de forma mais saudável possível.

Essa verificação, no entanto, não é garantida antes ou depois do processo de despedida do falecido, mas durante. É uma maneira de garantir que os sentimentos estejam sendo processados corretamente e tudo ocorra de forma pacífica.

Além dessas questões, o Seguro Decesso  possui algumas outras particularidades que diferem ou se aproximam muito do plano funerário, veja abaixo:

Se esse conteúdo te interessou, achou os termos interessantes ou apenas gostaria de saber mais, pode ler mais sobre isso em: Entenda a diferença entre tanatopraxia e autópsia e por que estes métodos são importantes.

Duas pessoas, papel.

O que sai mais em conta: Plano funerário ou Seguro Decesso?

Na realidade, o Seguro Decesso  pode ser inserido no plano funerário e acaba saindo mais barato dessa forma, na maior parte das vezes.

Ainda assim, existem vários poréns e podemos analisar algumas similaridades e divergências entre os dois, confira abaixo!

Poder de escolha

O plano funerário geralmente possui uma “equipe” pré-definida quando é acionado, comumente é a própria empresa, se você estiver contratando um plano diretamente de uma funerária ou de uma empresa especializada em serviços fúnebres.

No Seguro Decesso  essa é uma questão relativa, porque esse serviço pode vir de várias empresas maiores que contratam outras tão grandes quanto ou menores para prestar todos os serviços.

Dessa maneira, a semelhança entre esses dois é que o poder de escolha fica mais para quem está prestando o serviço que para o próprio usuário. Mas, obviamente, há mais poder de escolha com o plano funerário, pois foi você que o contratou, supõe-se.

Nesse caso, a vantagem do Seguro Decesso  ter isso como pré-definido é o fato de que a empresa contratada (isso se não for a mesma que mantém o seguro) foi selecionada por se destacar das demais.

Reembolso

Ainda que não seja necessário repetir, pois já falamos em outros momentos durante esse texto: um funeral é realmente caro. O valor que é pago desde os trâmites iniciais até a despedida final ao falecido excede em muito o valor que nós aguentamos numa única parcela.

Por esse motivo, uma garantia prévia num momento tão doloroso é fundamentalmente importante. Ainda mais quando você tiver a certeza de que, caso o dinheiro investido não seja totalmente gasto no velório e em todo o processo de despedida, ele retornará (o excedente) para você.

Essa é uma garantia que a maior parte dos seguros decesso oferecem, mas que também pode ser compartilhada pelos planos funerários. A questão sobre isso é que demanda muita burocracia com os planos funerários, enquanto que os seguros sempre se prestam a dizer que isso é feito da maneira mais humana possível.

Você pode ler sobre os diferentes tipos de morte e o que fazer nessas circunstâncias aqui.

Folha de papel, caneta.

O diferencial do Seguro Decesso: assistência psicológica

Durante a perda e todo o processo do luto, há muita coisa em que pensar e muito o que fazer para lidar com a situação. Tudo muda, a maneira de enxergar as coisas, as relações e a forma como nós enfrentamos a perda.

sequelas que podem permanecer se não externamos nossos sentimentos corretamente, conversando sobre o que dói e celebrando quem a pessoa falecida foi em vida, as palavras que disse e os caminhos que percorreu.

Dessa forma, é sumariamente importante que o apoio emocional e psicológico nesse momento seja feito de forma sólida. O Seguro Decesso , em grande parte, oferece essa assistência enquanto o período de luto permanecer.

Nós não sabemos quais os caminhos que iremos trilhar amanhã e, após perder alguém que amamos, podemos desenvolver sentimentos muito depreciativos ou negativos para nosso convívio social.

A Síndrome do Impostor ou mesmo a depressão após a perda de um ente, há tanto pelo qual nossa mente passa até conseguir processar tudo.

Para além disso, a assistência psicológica também é necessária para pensarmos de maneira mais racional sobre o luto: é um ciclo natural da vida que chegou ao fim nesse momento e que precisa ser visto como uma passagem.

A pessoa da qual nos despedimos não deixará de existir em nossa memória e seus traços permanecerão no mundo. É claro que acaba sendo pouco empático dizer isso quando o falecido foi vítima de morte violenta, o que deixa ainda mais complexo o período de luto.

Um artigo que pode te interessar sobre essas questões é: Como aceitar a morte?

Faça o planejamento para todos os momentos da vida e da morte

Como em todos os aspectos da nossa vida, é necessário saber que medidas tomar e que planos fazer antes que o pior aconteça. Nem sempre por uma questão de esperar o pior, mas sim como uma forma de amenizar a situação.

Lidar com a perda já é doloroso o suficiente sem que precisemos lidar com todas as questões financeiras envolvidas com ela. E, além das questões financeiras, ainda existe toda uma burocracia com a qual será necessário lidar. 

Dar adeus ao falecido, reunir os familiares, chorar a perda de maneira correta, são todas ações que já, por si só, exigem muita energia emocional e desgastam nosso corpo e mente de maneiras inimagináveis, então planejar previamente é a melhor maneira de lidar com esse tipo de questão.

Garantir uma passagem digna para aqueles que já se foram é dever dos vivos, mas precisamos fazer isso enquanto cuidamos de nós mesmos para que, em todos os sentidos, possamos ter uma vida saudável e longa.

Isso significa, entre outras coisas, se planejar corretamente não apenas com a própria saúde, mas também sobre imprevistos e acidentes que não estão no nosso controle.

Não queremos incutir o medo e o pensamento constante de que a morte está logo ali, mas sim levantar a questão de que ela não precisa ser enxergada de maneira realmente negativa e negacionista.

Faz parte da realidade imutável a que nós, humanos, estamos sujeitos desde o princípio.

Saiba também: Quais as providências legais após a morte de um ente querido.

Impacto financeiro no momento da perda

Dentre todas as dificuldades na perda, aquela que mais se sobressai, com exceção da dor emocional envolvida na situação, é o impacto financeiro de todos os trâmites necessários.

Segundo pesquisas, os gastos necessários para se despedir de um ente querido são realmente altos, aparentemente, o brasileiro trabalha muitos dias para pagar um único velório.

O Seguro Decesso , plano de vida ou plano funerário, o que decidir ser o melhor para si mesmo e para sua família, precisa ser visto como um investimento futuro que prevenirá questões problemáticas.

Não sabemos o dia de amanhã e menos ainda quando o destino decidir que está na nossa hora, podemos apenas viver nossas vidas ao máximo e aguardar que, ao final dela, seja satisfatório e não nos arrependamos de nada. 

Porém, uma medida cautelar que pode ser tomada para não atrair esses problemas é a contratação de um serviço funerário.

Seja de que maneira for, pensar nisso é também pensar na sua família e em todos que precisarão lidar com essa questão. Enxergar como um ciclo natural da vida que precisa ser fechado da forma mais natural possível.

Não apenas de maneira natural, mas simplificada. Garanta que profissionais capacitados tragam conforto à sua família ou a si mesmo cuidando de todo o processo para a passagem do falecido, amenizando, de uma certa maneira, a dor do luto.

Uma reflexão: é preciso falar sobre a morte

Agora que você sabe o que é Seguro Decesso  e para quê ele serve, deve ter compreendido muitas coisas.

Uma delas é que, sim, é algo necessário em nossas vidas e funciona com a mesma ótica de um plano de saúde. Deveria funcionar, pelo menos, mas o tabu em torno do assunto é realmente alto.

Essa é a segunda coisa que você deve ter percebido: falar sobre a morte é desconfortável. Ainda que saibamos que o processo é natural e que é uma realidade imutável em nossas vidas, ainda é desconfortável e parece desnecessário falar sobre ela.

Esse tabu precisa ser quebrado para que outras coisas possam mudar também, por exemplo: se conseguirmos falar sobre a morte e todos os processos que a envolvem, antes e depois, conseguiremos enxergar o próximo e a nós mesmos de maneira mais respeitosa.

Importância de falar sobre a morte

Dar valor à própria vida e àquela que os outros vivem são coisas imprescindíveis para agirmos com empatia e respeito mútuo, mas também para sabermos reconhecer que a vida é realmente bonita.

Com isso não quer-se dizer que o único motivo pelo qual o tabu de falar sobre a morte precisa ser quebrado é porque precisamos dar mais valor à vida, mas sim que é um processo necessário.

A morte faz parte da vida, é com ela que fechamos o ciclo de ações nessa terra e depositamos em cada uma das pessoas que conhecemos alguns sentimentos duradouros e intensos para que não sejamos esquecidos.

A forma como você decide fazer isso diz respeito somente a você, porém, sempre significa a mesma coisa: você, como um ser humano completo, encheu-se da experiência de outros seres humanos e as transmitiu por aí, deixando partes suas em todos os que chegaram perto de ti.

Assim, ao despedir-se deles, sempre viverá em cada parte sua que ficou em cada um ou em cada lugar pelo qual visitou e amou. Você sempre estará vivo neles e em suas memórias.

Se você se interessou por esse conteúdo, há muitos outros aguardando a sua leitura por aqui, dê uma olhada no nosso blog. Saiba mais sobre esse momento delicado, porém de suma importância na nossa vida e muitas outras questões que poderiam te interessar.

Deixe um comentário