• Central de atendimento 24h (011) 4780-5608
  • O que é necropsia, quanto ganha e como se tornar um auxiliar nessa área?

    Descubra na prática o que é a necropsia, quanto esses profissionais recebem de salário e como se tornar um

    Você já ouviu aquela história de que há muitos estudantes de medicina que desistem do curso quando é necessário utilizar cadáveres como fonte de estudo do corpo humano?

    Se isso é realmente verdade, não sabemos dizer, porém se há alunos que trancam o curso por conta de cadáveres, há também estudantes de necropsia que se aplicam para a faculdade justamente para mexer com gente morta. Mas, afinal, o que é necropsia e como trabalhar nessa área?

    São essas questões que responderemos neste artigo, já que há muita gente interessada em atuar nesse segmento, principalmente, quem ama séries de investigação e quer ser aquele profissional que descobre um crime apenas investigando um corpo, no melhor estilo CSI.

    Só que, na prática e dependendo do local onde você trabalha, lidar com cadáveres não é tão emocionante quanto nas séries de televisão.

    Assim, apesar de não ser o emprego dos sonhos para a maioria da população, isso não é problema para os que estão empenhados em se tornarem auxiliares de necropsia

    Afinal, quanto menor a concorrência, melhor para conseguir empregos públicos na área. 

    Além disso, essa é uma profissão na qual você pode atuar apenas com um curso técnico ou profissionalizante e prestar concursos que pagam até R$6 mil de salário.

    Mas afinal, o que o auxiliar de necropsia faz na prática? Descubra neste artigo tudo sobre essa atividade e os profissionais que investem nela.

    O que é necropsia na prática?

    O objetivo da necropsia é constatar a causa de uma morte analisando o cadáver, em um trabalho conjunto entre o médico legista e um auxiliar de necropsia.

    Isso envolve avaliar as cavidades de lesões externas e internas, abrir o corpo e examinar órgãos e avaliar o calibre de alguma munição que tenha atingido o corpo, por exemplo. 

    Digamos que uma morte misteriosa tenha ocorrido e seja verificado que o corpo foi baleado. 

    Então, o médico legista é o responsável por avaliar a cena do crime para tentar entender de onde veio o tiro, qual a altura de quem efetuou o disparo e outras informações importantes que somente o local do crime pode fornecer. 

    Então, o corpo vai para o IML e o médico legista faz as suas suposições sobre o crime e dá as coordenadas para o auxiliar de necropsia, que se encarrega pelo manejo do corpo, verificar as lesões, identificar o calibre da arma e verificar quais órgãos o tiro atingiu.

    Então, o processo da necrópsia é feito em conjunto: o médico legista faz suas suposições, o auxiliar de necropsia confere na prática e, com esses dados, o médico emite o laudo oficial com a causa da morte.

    Médico negro analisando exame de paciente

    O que faz um auxiliar de necropsia?

    Na prática, o auxiliar de necropsia pode trabalhar em funerária e necrotérios, no Instituto Médico Legal (IML) ou em um departamento de polícia.

    Enquanto no IML ele auxilia o legista a encontrar a causa da morte, nas funerárias ele ajuda a deixar o corpo pronto para o sepultamento.

    O auxiliar de necropsia é o responsável pelo manejo do corpo. Isso envolve desde coletar amostras para exames até higienizar o cadáver. 

    Aqui vão algumas das responsabilidades de um auxiliar de necropsia:

    • Examinar cavidades para identificar a possível causa da morte;
    • Abrir o corpo para coletar e examinar órgãos;
    • Reconstituição de cadáveres;
    • Identificação e higienização do corpo;
    • Preparação do corpo para o sepultamento;

    O trabalho braçal e o lidar diretamente com o corpo sem vida é responsabilidade do auxiliar de necropsia, sendo comum que o médico legista apenas faça a avaliação final e emissão do laudo que constata a causa da morte apurada pelo auxiliar.

    Além disso, a sua função é indispensável para desvendar a causa de mortes violentas, por exemplo. 

    Já que é o auxiliar de necropsia que verifica a dimensão de um tiro e, assim, possibilita que o legista faça a conexão do calibre e descubra a arma usada no crime.

    O auxiliar de necropsia também tem treinamento para fazer suturas e retirada e avaliação de órgãos, além de reconstituir o corpo após essa retirada para que ele siga para o sepultamento intacto.

    Logo, o auxiliar de necropsia tem um papel importantíssimo no processo pós morte e o seu trabalho junto com o médico legista é de suma importância para desvendar crimes e mortes violentas.

    É seguro atuar como auxiliar de necropsia na pandemia?

    Outra função do auxiliar de necropsia é o de higienizar o local por onde os cadáveres passam e também as ferramentas de trabalho e sutura – quando não descartáveis. 

    Então, o material que cobre as macas é trocado e as mesmas são higienizadas, assim como o auxiliar utiliza máscaras descartáveis, luvas de procedimento e utiliza proteção sob sua vestimenta. 

    Por isso, o procedimento a respeito de pacientes com Covid-19 ou quaisquer outras doenças – contagiosas ou não – permanece o mesmo, porém com atenção redobrada. 

    Nenhum setor é tão atento a esses detalhes quanto o da saúde.

    E respondendo a pergunta do título: sim, é seguro atuar em tempos de pandemia. Afinal, no treinamento que esses profissionais recebem é frisada a importância da higiene, tanto para os cadáveres quanto para a própria segurança.

    Além disso, é comum que setores que lidam especificamente com cadáveres que faleceram devido a doenças contagiosas tenham uma sala de procedimentos própria para estes casos.

    Qual formação devo ter para trabalhar com necropsia?

    Não há uma resposta certa para essa pergunta. Afinal, cada empresa/instituto tem suas preferências na hora da contratação. 

    Se você planeja se tornar médico legista, deve optar por uma formação mais completa e abrangente e escolher cursar enfermagem, medicina, biomedicina e biologia e, após o término do curso, se especializar em Medicina Legal.

    A Medicina Legal é, além de uma especialidade médica, uma especialização jurídica. E é por isso que somente os médicos legistas emitem laudos.

    Porém, se você deseja se tornar auxiliar de necropsia, pode simplesmente fazer o curso técnico de Necropsia ou o curso profissionalizante de necropsia forense

    Porém, pela formação + especialização ser a opção mais completa, é comum que isso seja exigido para cargos públicos e em instituições de pesquisas até mesmo para as vagas auxiliares.

    Já para trabalhar como auxiliar em funerárias e necrotérios, você não terá dificuldades contendo apenas o curso técnico ou profissionalizante em seu currículo.

    Embora haja opções a distância, a recomendação é que você escolha fazer o curso de forma presencial.

    Afinal, na teoria é indiferente o formato do curso, mas para a parte prática o ideal é estar perto e atento a cada detalhe que pode fazer a diferença na sua atuação na área.

    Para fazer o curso técnico ou profissionalizante você precisa ter no mínimo 18 anos e de 12 a 20 meses de disponibilidade para cursar.

    Dito isso, para decidir qual formação você deseja fazer é importante saber onde você deseja chegar na sua carreira lidando com necropsia, já que as formações têm tempos e custos diferentes, assim como remuneração bem contrastante também.

    Médica branca com cabelos castanhos com máscara cirúrgica descartável

    Quanto ganha um auxiliar de necropsia e um médico legista?

    O site Glassdoor apurou que os auxiliares de necropsia no Brasil podem receber de R$2 mil a R$6 mil por mês, sendo R$2 mil um salário considerado baixo e R$3.800 a média.

    Já os médicos legistas, também de acordo com o Glassdoor, podem receber até R$10 mil por mês.

    E é importante levar em consideração o quão puxado pode ser esse trabalho: as pessoas não se limitam a falecer de segunda à sexta de 9h às 18h, então é claro que seu trabalho também não seguirá o horário comercial de outras profissões.

    É comum que a escala seja em plantões alternados entre outros colegas da mesma função. Dependendo da demanda, você talvez precise ficar além do seu horário de trabalho. Logo, poupar os fins de semana talvez não seja uma opção.

    Com isso, queremos dizer que a profissão tem um salário acima de muitas profissões de nível técnico e talvez te interesse, mas é importante colocar na ponta do lápis se essa rotina faz sentido para você.

    Como prestar concurso público para auxiliar de necropsia?

    No Brasil os concursos públicos são sinônimo de estabilidade e renda alta, em comparação ao sucateado mercado de trabalho que muitas profissões possuem.

    E a profissão de auxiliar de necropsia tem muitas vagas para se tornar empregado do estado. Então, se você tem essa pretensão, veja algumas dicas:

    Você pode buscar no Google por “concurso auxiliar de necropsia + nome da cidade” e verificar as opções disponíveis. 

    Como estamos em épocas de pandemia, há muitos concursos aprovados mas que ainda não estão aceitando inscrições. Por isso, encontre o concurso e depois pesquise sobre o edital dele no Google para encontrar mais informações. 

    Antes de se inscrever, leia o edital atentamente. É chato, sem dúvidas, mas ali há detalhes importantes que podem te desclassificar. 

    É preciso verificar qual formação o edital demanda. E, se você se encaixa, basta que tenha mais de 18 anos, o diploma em mãos e nenhum antecedente criminal. Feito isso, basta pagar o boleto da taxa de inscrição. 

    Embora dependa do concurso, a prova costuma ser constituída por questões de língua portuguesa, lógica, informática, biologia e noções de direito e criminologia.

    Por fim, se você se sair bem nas provas é a hora da burocracia: avaliação psicológica, comprovação de idoneidade, exames físicos e coleta de documentos e diplomas.

    E pronto! Você estará empregado numa profissão que, apesar de não ser muito conhecida, é muito importante na sociedade e pode render um bom salário.

    Você sabia o que um auxiliar de necropsia fazia na prática, ou apenas conhecia esse trabalho pelas séries de suspense? 

    O que você acha de trabalhar nessa área? Acha que conseguiria? Deixe a sua resposta nos comentários!

    Deixe um comentário