• Central de atendimento 24h (011) 4780-5608
  • Jazigo perpétuo ou temporário: Como saber qual é a opção ideal?

    Entenda as diferenças entre o jazigo perpétuo ou temporário e descubra qual é a opção mais adequada para atender à sua necessidade.

    Cemitério com diversos jazigos

    É fato que a morte é um tema sensível para a maioria das pessoas. Embora saibamos que este é um acontecimento inevitável e imprevisível, nunca estamos prontos para lidar com ele e nem nos preparamos para esse momento. Assim, ficam muitas dúvidas, como saber, por exemplo, se é melhor adquirir um jazigo perpétuo ou temporário.

    Por isso, a despeito da sensibilidade que este tema suscita na maior parte das pessoas, é preciso começar, desde cedo, a cuidar de aspectos que envolvem a morte, para que não haja maiores transtornos futuramente e que esse momento não se torne ainda mais complicado do que já é.

    Já que, quando evitamos pensar sobre a morte e sobre os planejamentos que precisamos fazer para enfrentar este momento, estamos nos colocando a nós mesmos e à nossa família em uma situação de desamparo.

    E um dos cuidados a serem tomados diz respeito à escolha do jazigo, para o caso das famílias que optam pelo sepultamento. 

    Solicitação de DPVAT

    Por isso, optar previamente pelo jazigo ideal para você e sua família é uma escolha que deve ser tomada de forma consciente e bem pensada, tendo em vista que esta escolha visa proteger você e seus familiares de possíveis problemas.

    Assim, no texto de hoje, reunimos as principais informações sobre os diferentes tipos de jazigo que existem, as vantagens e benefícios de cada um deles e, ainda, orientações importantes para que você escolha o seu jazigo sabiamente. Confira!

    O que é um jazigo?

    Todos os cemitérios, sejam eles públicos ou privados, possuem uma estrutura específica construída especialmente para receber os caixões contendo os corpos que serão sepultados ali. Essas construções são chamadas de jazigos, os quais são popularmente conhecidos como túmulos. 

    A estruturação dos jazigos pode variar de acordo com as peculiaridades que o cemitério apresenta, tendo em vista que cada cemitério possui especificidades próprias. Há cemitérios horizontais, verticais e ecológicos, por exemplo. 

    Nos cemitérios horizontais, os jazigos são construídos de forma subterrânea. Já nos cemitérios verticais, os jazigos são dispostos em cima do outro, verticalmente, como o próprio nome sugere. 

    Nos cemitérios ecológicos, por sua vez, os jazigos também são subterrâneos, mas o que os diferenciam dos cemitérios horizontais é que há uma cobertura de grama sobre eles. Além disso, este tipo de cemitério também conta com bosques em sua estrutura.

    Como funciona o jazigo temporário?

    Como mencionamos anteriormente, o jazigo é o local onde o caixão será acomodado após o sepultamento. 

    Nesse sentido, o jazigo temporário é um tipo de túmulo no qual permanecerá por um tempo limitado, isto é, ele deverá ser removido após o tempo limite exceder. 

    Geralmente, o prazo de sepultamento no jazigo temporário dura de 3 a 5 anos, tempo que pode variar de acordo com os termos e condições de cada funerária. Após este prazo se completar, o cadáver passará pelo processo de exumação.

    Este procedimento consiste na retirada dos despojos mortais do jazigo para acomodá-los em uma urna menor, ou, como em alguns casos, realizar a cremação. 

    O objetivo da exumação é liberar o espaço do túmulo para que outro corpo possa ser acomodado nele, por isso, este tipo de jazigo recebe o nome de temporário.

    De modo geral, o jazigo temporário funciona como uma locação provisória. O uso da propriedade é concedido à família, mediante contrato, para que o seu ente querido seja sepultado nele. 

    Você tem dúvidas sobre o auxílio-funeral e a assistência funeral? Então aproveite para ler este artigo: Você sabe a diferença entre auxílio-funeral e assistência funerária?

    Quais as vantagens do jazigo temporário?

    A principal vantagem do jazigo temporário é o fato de que, como ele é uma locação momentânea, a família é isenta de pagar as taxas de manutenção da propriedade. 

    Desse modo, há uma redução expressiva nos custos que a família do ente querido poderia ter após o falecimento.

    Entretanto, é importante ressaltar que os custos do procedimento de exumação, bem como os valores relacionados ao local para onde serão deslocados os despojos mortais do ente querido são arcados pela família. 

    O jazigo temporário é especialmente vantajoso para pessoas que não possuem familiares próximos que possam usufruir de um jazigo perpétuo, como cônjuge e filhos, por exemplo. Nesses casos, o mais interessante é, de fato, optar pelo sepultamento momentâneo.

    Além disso, este modelo de jazigo também é interessante para quem pretende ter o seu corpo cremado, tendo em vista que, após o prazo da locação ser excedido, o corpo será exumado. 

    Dessa forma, o cadáver pode ficar temporariamente alocado no jazigo temporário até que os trâmites burocráticos da cremação sejam efetuados.

    O que é o jazigo perpétuo?

    O jazigo perpétuo é um bem que pode ser adquirido por uma família, tal qual um imóvel ou um terreno, por exemplo. 

    Assim, a partir do momento em que o jazigo é comprado, ele passa a ser uma propriedade permanente da família, podendo ser utilizado sempre que houver necessidade.

    O processo de aquisição de um jazigo perpétuo assemelha-se à compra de um imóvel, como mencionamos anteriormente. A compra do jazigo é realizada mediante escrita e as leis que regem este tipo de transação são as mesmas aplicadas no setor imobiliário.

    Se por um lado o jazigo temporário acomoda momentaneamente o corpo do ente querido, o jazigo perpétuo, por outro lado, acomoda o cadáver para sempre, sem haver necessidade de posteriores deslocamentos.

    Vale salientar que o jazigo perpétuo pode ser utilizado tanto pelo titular quanto pelos seus familiares. Ele é um bem pertencente à toda a família. 

    Uma vez que ocorre o falecimento do titular, a titularidade do jazigo é passada para os seus sucessores. 

    Como funciona o jazigo perpétuo?

    O jazigo perpétuo se difere do jazigo temporário em alguns aspectos. Um deles é o seu funcionamento, isto é, os termos e condições deste tipo de jazigo. Em linhas gerais, o jazigo perpétuo funciona da seguinte forma:

    • Uma vez que o jazigo é adquirido, o seu proprietário precisa pagar somente a taxa de manutenção, não sendo necessário arcar com outros custos, como é o caso do jazigo temporário;
    • Como a utilização do jazigo é vitalícia, não há a necessidade de realizar o procedimento da exumação após três anos, como acontece com o jazigo temporário. 

    Leia também: Quem não chora não liga: mitos sobre o luto que todo mundo deveria evitar

    Quais os benefícios do jazigo perpétuo?

    Jazigo com flores

    Este modelo de jazigo oferece grandes benefícios para as famílias que optam por adquiri-lo, dentre os quais podemos destacar as seguintes vantagens:

    Uso vitalício

    Conforme mencionamos acima, no momento em que o jazigo perpétuo é adquirido, ele passa a ser um bem permanente da família, podendo ser utilizado sempre que for necessário. 

    Dessa forma, o uso do jazigo é vitalício e a família não precisará se preocupar com essa questão em um momento que, por si só, já é imensamente delicado e doloroso. 

    Em casos de morte súbita, por exemplo, a família tende a sofrer ainda mais, pois o choque da morte inesperada causa imensa dor. 

    Nesse sentido, ao optar pelo jazigo perpétuo, a preocupação de providenciar um jazigo no qual o ente querido poderá ser sepultado é evitada, uma vez que a família já possui o seu próprio.

    Segurança

    O principal benefício do jazigo perpétuo é a segurança que ele oferece à família. Uma vez que o jazigo é adquirido, seus compradores não terão preocupações relacionadas aos pormenores que envolvem o processo de sepultamento. 

    Além de ser uma aquisição que visa proteger e assegurar a sua família, o jazigo perpétuo também evita maiores transtornos para os familiares do ente querido no momento em que ocorre um falecimento. 

    Assim, a família não precisará ter gastos exorbitantes devido à urgência, pois ela já se precaveu adquirindo um jazigo a longo prazo.

    Suporte funerário

    Com a aquisição do jazigo perpétuo, a família também conta com a assistência funerária para auxiliá-la e fornecer suporte no momento em que ocorre o falecimento de um integrante da família. 

    É preciso apenas entrar em contato com a funerária, a qual tomará todas as providências e irá realizar os procedimentos necessários neste momento.

    Sabemos que o falecimento de uma pessoa querida tende a deixar seus familiares e amigos desnorteados e imensamente abalados. 

    Por isso, é fundamental que haja uma equipe preparada para cuidar de todos os trâmites que envolvem o sepultamento. Este é um dos benefícios que a aquisição do jazigo perpétuo oferece.

    Manutenção de um patrimônio familiar

    A aquisição de um jazigo perpétuo é, antes de tudo, a certeza de proporcionar mais tranquilidade e conforto para a sua família em um momento difícil como a perda de um ente querido.

    Investir na manutenção deste patrimônio é investir, sobretudo, no amparo e cuidado da sua família. Desse modo, é um planejamento a longo prazo para evitar dores ainda maiores no momento da perda.

    Flexibilidade no pagamento

    O investimento em um jazigo perpétuo é consideravelmente alto, tendo em vista todos os benefícios que ele oferece. Entretanto, há flexibilidade no pagamento, sendo possível negociar a quantidade de parcelas e o valor delas. 

    Além disso, como o jazigo perpétuo não é adquirido em situações emergenciais, é possível pesquisar e comparar os preços do mercado, a fim de identificar qual é o que mais se encaixa com o perfil financeiro da família. 

    Aproveite para ler também: Qual a diferença entre funerária e plano funerário? Descubra agora!

    Posso vender o meu jazigo perpétuo?

    Como qualquer outro bem, o jazigo perpétuo adquirido por você pode ser vendido. Esta venda pode ser efetuada com o proprietário ainda em vida, mas é preciso que seja em um cemitério particular. 

    Além disso, a venda precisa ser formalizada via contrato, garantindo a lisura do processo.

    Neste contrato de venda, algumas informações muito importantes devem ser apresentadas, como quem foi o antigo proprietário do jazigo e quem será a pessoa que tomará posse dele no ato da venda.

    Este contrato é fundamental para casos de herança, além de deixar registrado quem é o responsável pelo pagamento das taxas de manutenção do jazigo perpétuo.

    Jazigo perpétuo ou temporário: qual o ideal?

    Cemitério ao ar livre com vários jazigos 

    Você aprendeu, ao longo desse texto, que existem dois tipos de jazigos os quais podem ser adquiridos. O jazigo temporário e o jazigo perpétuo possuem particularidades que devem ser avaliadas detalhadamente para que você possa adquirir o que melhor se encaixa na sua realidade e atende às suas demandas. 

    Além disso, outros aspectos devem ser considerados na hora de escolher o jazigo que mais se adequa ao que você deseja. 

    Assim, para que você faça uma escolha assertiva, sugerimos que avalie bem quais são as suas prioridades e também busque conversar com profissionais da área, os quais podem orientar a sua escolha dentro do que é melhor para você e sua família.

    Avalie as suas prioridades

    Se a sua prioridade é proteger você e sua família, assegurando que ambos terão um bem comum o qual poderão utilizar no momento em que algum integrante da família falecer, o jazigo perpétuo é a melhor alternativa.

    Como foi exposto ao longo do texto, este tipo de jazigo é um patrimônio da família. Ele passa a ser um símbolo de conforto e segurança para você e os seus, evitando dores de cabeça em um momento tão delicado e de tanta fragilidade como é o falecimento de uma pessoa querida.

    É válido mencionar que, embora o jazigo perpétuo seja uma propriedade vitalícia, é possível perder o direito sobre este bem caso as regras estabelecidas não sejam cumpridas. 

    Assim, algumas situações que podem fazer com que você perca o seu jazigo são: falta de pagamento da taxa de manutenção, abandono físico e a não transferência do direito de uso.

    Por outro, se a sua prioridade é evitar gastos e optar por um sepultamento econômico, o jazigo temporário pode ser a opção mais adequada para você. O valor da aquisição de um jazigo temporário é menor, comparado ao jazigo perpétuo.

    Mas, é preciso lembrar que, após o término do limite de tempo que o corpo pode ficar acomodado neste jazigo, haverá custos com a exumação para remover os despojos mortais. 

    Aproveite para ler também: Autista que trabalha como coveiro faz sucesso no TikTok ao contar sua rotina de trabalho

    Converse com um profissional da área

    Caso você ainda tenha dúvidas sobre que tipo de jazigo é melhor para você e sua família, busque orientação com profissionais da área. 

    Eles podem fornecer informações importantes, bem como compartilhar experiências que podem auxiliar você em sua escolha. 

    O importante é que o jazigo seja escolhido de forma consciente e assertiva, tendo em vista que ele é um elemento fundamental no momento em que um ente querido vem a óbito. A escolha do jazigo pode evitar complicações e problemas futuros, bem como também pode representar um símbolo de comunhão familiar.  

    Assim, busque avaliar o que se adequa melhor ao seu perfil e às suas necessidades e busque o serviço que atende de forma mais completa o que você busca para você e sua família. 

    Gostou do texto de hoje? Então não deixe de compartilhar com outras pessoas. Aproveite para deixar um comentário e acessar o blog para ler outros textos interessantes.

    Deixe um comentário