• Central de atendimento 24h (011) 4780-5608
  • Entenda o que é um agente funerário e o que ele faz em sua profissão

    Conheça os detalhes da profissão do agente funerário, descubra por que este profissional é tão importante e quanto ele ganha!

    Pessoa dando o último adeus ao ente querido

    A perda de um ente querido é um momento muito delicado para as famílias que vivenciam esta dor. Nesse sentido, é fundamental ter, nesta ocasião, um profissional especializado que possa fornecer todo suporte necessário. 

    Este profissional é o agente funerário e, no conteúdo de hoje, você irá entender o que ele faz, quais são as suas atribuições, como atuar na área e quanto esse profissional recebe.

    O falecimento de uma pessoa marca um momento de fragilidade e sofrimento, por isso, é muito importante que haja uma pessoa devidamente preparada, tanto profissionalmente quanto no âmbito pessoal, para auxiliar os familiares e amigos do ente querido. Desse modo, a profissão do agente funerário figura como uma das mais importantes no mercado de trabalho e tem sido cada vez mais valorizada.

    Por isso, se você tem interesse em conhecer um pouco mais dessa profissão e entender qual é o campo de atuação e os requisitos para se tornar um agente funerário, acompanhe a leitura e aproveite esse artigo.

    Agente funerário: quem ele é e o que ele faz?

    Corpo sendo deslocado para o sepultamento

    O agente funerário é o profissional incumbido de cuidar de todos os trâmites burocráticos que envolvem o falecimento, bem como de prestar assistência à família e demais pessoas próximas ao ente querido. 

    Assim, ele é o primeiro profissional a quem a família deve contatar no ato do falecimento de um ente querido, pois ele é designado a realizar desde os primeiros procedimentos, como a preparação do corpo, até os processos legais.

    Além disso, este profissional é responsável por uma grande parte dos processos que envolvem o óbito de uma pessoa. 

    Por isso, é crucial que ele seja um trabalhador ético e comprometido com o que faz, pois seu trabalho é extremamente importante e necessário.

    De modo geral, podemos dizer que o agente funerário é o profissional com o qual toda família enlutada precisa contar em um momento tão delicado como o falecimento de alguém querido. 

    Elencamos, a seguir, algumas das principais atribuições do agente funerário. Confira!

    Remoção e preparação do corpo

    Inicialmente, é preciso preparar adequadamente o corpo do ente querido para o velório. Esta preparação tem início ainda no hospital, caso o óbito tenha acontecido neste local, no qual é realizada a limpeza do cadáver. Este primeiro processo é feito pela equipe de enfermagem do hospital.

    Logo após a limpeza, é realizada a desinfecção funerária, e é neste ponto que começa o trabalho do agente funerário. 

    Assim, é imprescindível que este procedimento seja feito, pois ele protege as pessoas que irão participar do velório, impedindo que haja infecção por possíveis bactérias ainda existentes no corpo.

    Nesta etapa, também é realizada a retirada dos pelos da face, do pescoço e da garganta do cadáver. 

    São mantidos apenas os cílios e as sobrancelhas. Posteriormente, o corpo deverá passar pelo processo de conservação, que pode ser feito o método do embalsamento ou o da tanatopraxia.

    É necessário, ainda, realizar a reconstrução da face para que a feição do ente querido esteja mais apresentável durante o velório. Além da reconstrução facial, outros cuidados com a aparência do falecido são tomados.

    Os cabelos são lavados e arrumados adequadamente e, sequencialmente, o corpo é vestido com as roupas fornecidas pela família.

    O último passo da preparação do corpo do ente querido para o velório é a necromaquiagem. É feita uma maquiagem semelhante ao estilo que o ente querido costumava utilizar em vida. 

    Esta etapa é importante, pois visa preservar a imagem da pessoa falecida na mente dos familiares e amigos.

    Ornamentação das salas de velório

    A decoração das salas de velório também é uma das responsabilidades do agente funerário. É dever dele ornamentar o local do velório, tornando o ambiente mais aconchegante e visualmente belo.

    Embora pareça uma etapa simples, a ornamentação do local do velório deve ser feita com muito cuidado, atenção e delicadeza, afinal, os familiares e amigos do ente querido precisam sentir-se acolhidos e terem um momento de despedida mais leve.

    Os elementos utilizados para decorar as salas de velório são, geralmente, arranjos florais, velas, véus e também artigos religiosos, respeitando a fé que o ente querido professava em vida.

    Condução do sepultamento

    O agente funerário é a pessoa designada a conduzir o sepultamento do ente querido. É atribuição dele organizar o cortejo fúnebre, direcionar a celebração da cerimônia, bem como cuidar de todos os demais detalhes que envolvem o momento de sepultar o corpo da pessoa falecida.

    O sepultamento é uma das partes mais delicadas do processo de despedida dos familiares e amigos de uma pessoa falecida. É neste momento que o último adeus é dado, portanto, é natural que seja um momento doloroso e de muita fragilidade.

    Por isso, toda a cerimônia deve ser conduzida primorosamente, com profissionalismo e cuidado.

    Auxílio nos serviços administrativos

    As demandas administrativas também são da alçada do agente funerário. Ele é responsável por providenciar os registros de óbito, cuidar da liberação do corpo e também do translado funerário, nos casos em que há a necessidade. 

    Ademais, o agente funerário também é responsável por publicar avisos fúnebres e cuidar de toda a documentação solicitada para realizar os trâmites burocráticos do falecimento de uma pessoa.

    Acolhimento aos familiares

    O acolhimento aos familiares é uma das principais funções do profissional agente funerário. Este acolhimento é oferecido em todos os detalhes. 

    Ele está no modo como a sala do velório foi ornamentada, na forma como a cerimônia é conduzida, no apoio e solidariedade direcionados à família e aos amigos, etc.

    Todas as ações realizadas pelo agente funerário devem demonstrar solicitude, sensibilidade e respeito, a fim de que as pessoas que amavam o seu ente querido sintam-se acolhidas e amparadas pelo suporte funerário.

    O que é preciso para ser um agente funerário?

    Como você já deve ter percebido durante a leitura deste texto, a profissão do agente funerário é extremamente importante e muito necessária. 

    Nesse sentido, algumas competências e habilidades são requisitos indispensáveis para exercer com excelência esta atividade laboral. 

    Além de possuir uma formação específica para atuar na área, o agente funerário também precisa apresentar algumas habilidades pessoais indispensáveis para que possa realizar o seu trabalho. Confira a seguir!

    Formação 

    Para ser um agente funerário, é necessário possuir a educação básica, como o ensino fundamental e o ensino médio, e também cursos específicos da sua área de atuação.

    É preciso investir na especialização em ciências mortuárias, bem como em outros cursos que garantam o conhecimento das técnicas de conservação de cadáver, isto é, a tanatopraxia, além de adquirir noções de necromaquiagem e reconstrução facial.

    A formação nesta área prepara o profissional para atuar diligentemente na função, bem como amplia as suas possibilidades de trabalho, valorizando ainda mais o profissional e garantindo sua empregabilidade. 

    Habilidades pessoais 

    Para além da capacitação formal, o profissional que trabalha como agente funerário também precisa dispor de competências pessoais que vão aperfeiçoar expressivamente o desenvolvimento do seu trabalho. Algumas das principais habilidades necessárias são:

    1. Paciência e compreensão 

    O segmento funerário é um campo de trabalho naturalmente difícil, tendo em vista que é preciso lidar constantemente com o falecimento de pessoas e com o sofrimento da família enlutada. 

    Nesse sentido, o agente funerário precisa ser um profissional paciente e compreensivo com o processo de luto dos familiares e amigos, buscando sempre entender possíveis reações expansivas ou coléricas.

    1. Ética e responsabilidade

    A principal característica que um profissional precisa deter, independentemente da esfera em que atua, é a ética e princípios morais sólidos. 

    Não é diferente com o agente funerário. Ele precisa ter comprometimento e responsabilidade com o trabalho desenvolvido, estando disposto a sempre prestar um serviço transparente e satisfatório.

    1. Respeito e tolerância

    O agente funerário lida constantemente com um público diverso, composto por pessoas que possuem características diferentes, como religião, etnia e orientação sexual, por exemplo. Diante da pluralidade do público deste profissional, é um requisito indispensável ser um agente respeitoso e que não possua preconceitos em si. 

    O respeito também perpassa o ato de atender diligentemente as orientações da família quanto à organização do velório, da cerimônia fúnebre e do sepultamento, inserindo, se for solicitado, elementos que representam os valores e crenças da pessoa falecida.

    1. Postura profissional

    Um bom agente funerário precisa demonstrar uma postura profissional exemplar. Ele precisa saber mediar negociações, transmitir confiança e profissionalismo e atender bem todas as necessidades dos seus clientes. 

    1. Empatia e inteligência emocional

    A profissão exercida pelo agente funerário requer muita sensibilidade e empatia. O óbito de um ente querido deixa marcas profundas de sofrimento e dor nas pessoas enlutadas, de modo que é muito importante que o profissional que atende a família seja empático e sensível à tristeza e ao luto dos familiares e amigos.

    Além disso, estar exposto diariamente ao falecimento e luto das pessoas podem trazer alguns danos à saúde emocional do agente funerário. 

    Por isso, é preciso que o profissional trabalhe bem a sua saúde emocional, para que ele desenvolva inteligência emocional e saiba lidar com os desafios da sua profissão sem que haja implicações à sua saúde.

    Quanto ganha um agente funerário?

    A remuneração do agente funerário pode variar mediante aspectos como a região na qual ele exerce a profissão, a instituição em que ele está vinculado, o seu currículo e também os seus anos de experiência. 

    Entretanto, a despeito das variações salariais, um agente funerário no início de sua carreira pode começar ganhando R$1.300,00 trabalhando sob as diretrizes da CLT. 

    Um profissional mais experiente, por outro lado, pode receber um valor superior a R$6.000,00 como remuneração, contando com as comissões de vendas e os serviços oferecidos.

    É importante salientar que, quanto mais especializações o profissional tiver, mais o seu currículo será valorizado. 

    Por isso, investir em conhecimento, formação e aperfeiçoamento é fundamental para ser um profissional bem sucedido na área e receber uma remuneração justa.

    Como é o mercado de trabalho para o agente funerário?

    O mercado mortuário no Brasil está em efervescência. Embora seja um assunto considerado delicado para muitas pessoas, sobre o qual evita-se falar, a morte é uma realidade inalterável para todas as pessoas. Visto isso, o mercado para o agente funerário é consideravelmente aquecido.

    Além disso, o ramo oferece estabilidade para os profissionais e propicia a possibilidade de um plano de carreira atraente, bem como uma remuneração proporcional ao trabalho desempenhado, que pode ser ampliada dependendo da formação do agente funerário.

    Nesse sentido, é possível afirmar que o mercado de trabalho para o profissional desta área é consideravelmente bom, especialmente se o profissional apresentar as habilidades e competências necessárias para realizar uma prestação de serviços satisfatória.

    Como em toda profissão, o trabalho do agente funerário possui desafios, mas as perspectivas certamente se sobrepõem, principalmente quando o profissional é comprometido com o seu trabalho e gosta de realizá-lo.

    Por que esta profissão é tão importante?

    Cemitério

    A perda de uma pessoa gera muitas dores e sofrimentos às pessoas que amavam o falecido. No momento em que alguém que amamos morre, uma parte de nós também se vai um pouco. Este momento torna as pessoas frágeis, vulneráveis e desnorteadas.

    Além de lidar com a dor e o choque da perda, os familiares do ente querido também precisam cuidar de todos os processos que envolvem o falecimento, como o atestado de óbito, os rituais fúnebres, a notificação da morte aos demais parentes e amigos da pessoa falecida, entre outras atribuições.

    Diante disso, é fundamental contar com uma pessoa preparada para cuidar de todos estes detalhes e gerenciar as demais burocracias inerentes ao falecimento. 

    Assim, o agente funerário é responsável por executar todas as tarefas que a família não está preparada para realizar, tendo em vista a imensa dor causada pelo falecimento do ente querido.

    Sem a presença de um agente funerário, os transtornos seriam inevitáveis, e a família e amigos da pessoa falecida seriam expostas a grandes dores de cabeça que certamente serviriam para potencializar o seu sofrimento neste momento tão delicado. 

    Portanto, estes profissionais pouco reconhecidos, mas muito necessários, figuram entre os trabalhadores mais importantes da nossa sociedade, pois eles asseguram que o processo do luto será vivenciado pelas famílias com menos problemas a serem resolvidos, bem como garantem uma despedida bela, marcante e bem orquestrada. 

    Você já sabia quais eram as especificidades desta profissão? Aproveite para compartilhar estas informações interessantes com mais pessoas, e não esqueça de deixar um comentário para nós. Iremos adorar ler o que você achou.

    Deixe um comentário