• Central de atendimento 24h (011) 4780-5608
  • Descanse em paz: o que é reinumação?

    Descubra o que é reinumação, um procedimento que se aplica à maioria das pessoas sepultadas e que posterga o momento do descanso final.

    Pintura “Enterrar a los muertos”, de Olivuccio di Ciccarello da Camerino, exposta no museu do Vaticano.

    Que, enfim, descanse em paz: essas são as palavras mais comuns nas cerimônias de sepultamento, mas você sabia que enterrar o ente querido não significa realmente seu destino final? A grande maioria das pessoas sepultadas em cemitérios passarão por reinumação. Mas, afinal, o que é essa técnica e como ela funciona? São respostas que traremos ao longo desse artigo. 

    A necessidade desse procedimento é um dos grandes motivos que encarece o processo de sepultamento e que tem levado as pessoas a optarem pela cremação em suas declarações de vontade.

    A reinumação, ao lado da exumação, é praticamente obrigatória e incontornável, a não ser que a família possua um jazigo familiar com capacidade muito ampla, a exumação e a reinumação serão necessárias mais cedo ou mais tarde.

    Saiba como ocorrem os sepultamentos atualmente. Fique bem informado sobre a morte na atualidade com o artigo: Tudo o que você precisa saber sobre sepultamento em tempos de Covid-19.

    Neste artigo, entenda o que é reinumar um corpo, porque esse procedimento acontece e quais são os gastos que envolvem o processo de reinumação. Boa leitura!

    O que é reinumação?

    Reinumar é o ato de depositar mais uma vez embaixo da terra. Derivada de inumar, palavra que vem do latim, é formada por “in” — afixo que tem o sentido de “em” ou “sob” — e por “humus” — que tem o sentido de “terra” ou “solo”. 

    O prefixo “re” adicionado a inumar, expressa o significado de praticar o ato mais uma vez, fazer de novo. Assim, para ser reinumado é necessário ter sido inumado pelo menos uma vez antes.

    Conheça: Túmulos de famosos: confira os 15 mais visitados do Brasil.

    Por que e quando ocorre a reinumação?

    O procedimento da reinumação é necessário frequentemente, em especial nos corpos que não foram sepultados em jazigos perpétuos. O fato é que há um limite de tempo para se ocupar um espaço no cemitério que não seja propriedade privada. 

    Todo corpo inumado em terreno público ou alugado será exumado, ou seja, retirado da sepultura. Normalmente isso ocorre de três a dez anos após a inumação.  

    O tempo que um cadáver terá o direito de descansar em paz depois do funeral depende da demanda de jazigos do cemitério ou do tempo limite para exumação determinado pelos procedimentos de praxe.

    Depois de exumado, a depender do avançar do processo de decomposição, os restos mortais podem ser encaminhados para um ossuário, ou ainda precisarão passar por reinumação. Demandando um novo sepultamento e mais gastos e burocracias para a família.

    Há ainda outras situações em que um corpo precisa ser reinumado. Veja quais são a seguir:

    A reinumação por motivos de investigação

    Quando a causa da morte é duvidosa, em que o falecido passou por uma morte acidental ou violenta que carece de investigação, para ser inumado é necessária liberação policial. 

    No entanto, a investigação pode ser retomada posteriormente, de maneira que é possível que solicitem a exumação do corpo para dar andamento ao processo de análise de um crime em potencial.

    Finalmente finalizadas essas etapas exigidas judicialmente, a família deve dar um novo destino ao corpo, podendo escolher por reinumar ou cremar.

    Antes de continuar a leitura, confira um artigo sobre um assunto relacionado: Catafalco: você sabe o que é? Quais os mais famosos do mundo?

    A reinumação por motivos infraestruturais

    Se a capacidade máxima de um cemitério é atingida, é preciso exumar os corpos inumados há um certo tempo que ocupam vagas públicas ou jazigos alugados. 

    A família tem a opção de escolher reinumar em outro local, a depender das condições do corpo. Há casos em que os restos mortais exumados vão direto para o ossuário, se estiverem em más condições para a reinumação.

    Quando o corpo ainda não estiver totalmente decomposto, é possível reencaminhá-lo para uma reinumação ou uma cremação.

    Uma solução para o problema de superlotação dos cemitérios são as gavetas verticais. Confira: Tudo o que você precisa saber sobre Cemitério Vertical – e os 10 mais famosos do Brasil!

    Como funciona a reinumação em jazigos familiares?

    Mesmo que o corpo esteja inumado em um jazigo familiar perpétuo, é possível que ele precise ser exumado. 

    Já que, esse tipo de jazigo é de direito de muitas pessoas, todos os membros de uma mesma família têm espaço garantido nas diferentes gavetas do jazigo coletivo.

    No entanto, quando o jazigo familiar atinge sua capacidade máxima, é preciso liberar espaço para a nova geração de falecidos, esvaziando gavetas para inumar outros membros da mesma família. 

    Nesses casos, é mais provável que os corpos exumados já estejam enterrados há tempo suficiente para estarem totalmente decompostos. 

    Assim, o mais comum é preparar os ossos restantes em uma caixa mortuária e reinumar os restos mortais no próprio jazigo, ocupando menos espaço.

    É possível ainda que a família opte por cremar o que restou e reinumar a urna cinerária no mesmo local.

    Para ler depois: Você sabe o que é um columbário? Entenda o que significa agora!

    Restos mortais exumados.

    Quanto custa uma reinumação?

    Esse procedimento é o principal responsável pelo alto custo dos enterros, pois, atualmente, há um problema de superlotação dos cemitérios a nível mundial, fazendo com que a necessidade de remanejamento dos corpos sepultados tem sido cada vez mais frequente, gerando gastos extras para os familiares.

    O processo não condiz somente com a escolha e com o pagamento de um novo lugar para o segundo sepultamento, mas envolve gastos com exumação, translado funerário, construção, compra ou aluguel de um novo jazigo.

    Os valores variam muito de um município ao outro, a depender das taxas governamentais para exumações e reinumações em jazigos públicos ou das tarifas dos serviços cemiteriais para a realização do processo em cemitério privado.

    Além disso, se for preciso transportar os restos mortais isso fica ainda mais caro. O conjunto do processo pode custar de R$500 a R$3 mil, uma quantia mais cara para quem já bancou anteriormente todos os serviços funerários da primeira inumação.

    Saiba mais sobre a demanda financeira após o óbito: O preço da morte: quanto custa um enterro?

    Como facilitar o processo de reinumação?

    No momento em que optar pelo sepultamento, tenha em vista os prazos dados para a ocupação da cova e prepare-se antecipadamente para exumar o corpo, tanto por meio de reserva financeira quanto informando-se a respeito de outros lugares para reinumar.

    Saiba como se preparar para os procedimentos de um funeral, leia também: O que é seguro decesso? Saiba tudo sobre esse serviço para lá de vantajoso!

    Confira algumas dicas:

    1. Procure uma assistência funerária

    As empresas são especializadas para lidar com esse tipo de situação e sabem quais os melhores cemitérios para reinumar, como realizar a transferência dos restos mortais para o ossuário, como garantir um jazigo por longo período de tempo e como diminuir os gastos com o enterro. Informe-se sobre a exumação e a reinumação no momento da contratação de seu plano funerário.

    1. Informe-se sobre as opções dos cemitérios municipais: 

    Cada cemitério tem prazos e procedimentos específicos, de maneira que o melhor é estar ciente de como e quando ocorrerá a reinumação antes do primeiro sepultamento.

    Saiba também: Você sabe quanto custa a cremação no Brasil? Descubra agora

    1. Invista em um jazigo perpétuo:

    Essa é a melhor solução para quem faz questão de ser sepultado. O valor para adquirir uma propriedade particular como essa pode parecer salgado, mas é muito mais vantajoso a longo prazo.

    Isso ocorre pois, o investimento é feito uma única vez, dispensando gastos futuros, desgastes financeiros e emocionais que envolvem a reinumação e acolhendo as próximas gerações da família.

    Entenda quais são os gastos dispensáveis para um sepultamento, sem perder a qualidade dos serviços, leia também: Dicas práticas de como diminuir as despesas com funeral.

    Valas coletivas necessárias por conta do aumento do número de mortes por covid-19.

    A reinumação e a facilidade da cremação

    Quando o funeral envolve a cremação a reinumação fica dispensada. É por isso que muitos optam pela cremação atualmente. Esse procedimento não gera gastos futuros com a exumação, não demanda custos de manutenção anual do jazigo e acaba sendo muito mais vantajosa.

    O processo de reinumação é certo para quem foi sepultado. Seja dentro de cinco ou cem anos, mais dia menos dia o corpo será exumado

    Além do gasto financeiro, reinumar envolve desgastes emocionais, pois a paz condicionada ao falecido é quebrada e os familiares precisam viver novamente as burocracias do funeral e o desconforto de reviver aquela morte, há muito superada.

    Assim, se você procura um descanso duradouro e uma paz absoluta, a cremação é a melhor opção.

    Entenda melhor os detalhes desses procedimentos no artigo: Descomplicando as palavras: qual a diferença entre “exumação” e “cremação”?

    Deixe um comentário