• Central de atendimento 24h (011) 4780-5608
  • Cremação de ossada: entenda tudo sobre esse procedimento

    Entenda como funciona o procedimento de cremação de ossada após a exumação do cadáver e descubra como ele é realizado!

    A cremação de ossada é uma boa opção quando se faz necessária a exumação do cadáver.

    Perder um ente querido sempre é um assunto delicado. Afinal, a dor da perda é avassaladora e costuma vir acompanhada de diversas medidas que precisam ser tomadas para providenciar o funeral. Nesse sentido, conhecer mais sobre como funcionam procedimentos como a cremação de ossada e outros que podem ser realizados nesse momento tão difícil é essencial para lidar com essa dor.

    Isso porque existem diferentes alternativas que podem ser adotadas para que o ente querido tenha o seu merecido descanso eterno. 

    Portanto, é importante saber antecipadamente o que fazer e, além disso, entender quais são os passos legais para esse momento. 

    Sabendo disso, aqui neste artigo trouxemos tudo que você precisa saber sobre o processo de cremação de ossada, como ele é realizado e o que é necessário para o procedimento.. Confira mais abaixo!

    Solicitação de DPVAT

    Acompanhe também: É mais barato cremar ou enterrar? Respondendo à dúvida que não quer calar

    O que é cremação de ossada?

    De forma geral, o processo de cremação de ossada é um procedimento realizado com os últimos restos mortais do ente querido, sendo feito logo após a exumação. 

    Ele é considerado uma forma mais permanente de proporcionar o descanso eterno, sendo também mais ecologicamente correto, menos poluente e menos invasivo.

    Nesse processo, como o próprio nome indica, é realizada a cremação apenas da ossada do corpo. Ao ser iniciado, comumente o restante dos restos mortais já foi retirado, tendo em vista que é mais comum de ser feito cerca de 3 anos após o falecimento do indivíduo. 

    No entanto, podem existir variações, de acordo com o caso e a necessidade da família solicitante do serviço. 

    Por que a cremação de ossada é realizada? 

    Apesar de o procedimento de cremação de ossada ainda ser desconhecido para o grande público, ele tem se tornado cada vez mais comum, principalmente nas metrópoles e capitais urbanas. 

    Isso porque não é cena rara encontrar cemitérios lotados, e a dificuldade em encontrar um local para descanso eterno do ente querido tem sido enorme, inclusive, com os valores de túmulo cada vez maiores.

    Por esse motivo, muitas prefeituras solicitam a exumação do corpo de um ente enterrado cerca de 3 a 5 anos depois. 

    Assim, quando o procedimento é realizado, o processo de cremação de ossada é uma opção para proporcionar um fim digno e uma morada eterna para o falecido. 

    Em outras palavras, a cremação de ossada é uma alternativa para quem não deseja adquirir um jazigo particular e nem correr o risco de ter que realizar um novo processo de exumação dali a alguns anos. Portanto, é bastante procurado pelas famílias, tendendo a se tornar cada vez mais comum. 

    Outro motivo bastante comum pelo qual a cremação de ossada é realizada é a necessidade de transporte do cadáver de um local para outro, como nos casos em que a família deseja mudar-se para uma cidade distante. 

    Nesse caso, a cremação é realizada como um meio de facilitar o procedimento e ainda assim levar o ente querido para seu novo destino.

    Como é feita a cremação de ossos?

    Como citamos anteriormente, a cremação de ossada costuma ser realizada logo após a exumação do cadáver, sendo ela realizada por diferentes motivos. No entanto, independentemente da razão pelo qual é procurado, o processo é realizado da mesma maneira. 

    Inicialmente, os restos mortais são levados para o crematório. Depois, os ossos ficam expostos a uma temperatura bem alta, entre  1400 oC e 2000 oC por até três horas. 

    Durante esse período todos os ossos, tecidos e outros pertences são reduzidos a cinzas, devido ao calor. Portanto, é importante saber que, caso o falecido possua dentes de ouro, próteses ou pinos, eles também serão queimados. 

    Depois do calor, a ossada ainda costuma ficar com algumas partes inteiras, mesmo que já estejam carbonizadas. 

    Portanto, elas são passadas por máquinas específicas, que realizam a trituração total dos ossos do cadáver. Isso faz com que ele se torne um pó cinza bem uniforme, que será entregue à família no fim do procedimento.

    Quando tudo é concluído, os restos mortais são colocados em uma urna para transporte, a qual é previamente escolhida pelos solicitantes.

    O peso total das cinzas obtidas pode variar bastante de acordo com a estatura do cadáver e o tamanho do corpo que foi entregue. Porém, ele costuma ser bem leve, tendo em vista que o processo de cremação retira toda a água que havia no corpo anteriormente. 

    Como é feita a retirada de itens antes da cremação de ossada?

    Como comentamos, cadáveres que possuem itens como dentes de ouro e pinos em ossos tem os utensílios cremados juntamente com o restante da ossada. No entanto, outros itens particulares podem e devem ser retirados pela família antes da entrega do cadáver. 

    Por exemplo, caso o falecido tenha sido enterrado com relógio, cordão, colar, pulseiras ou aliança, é recomendado pela empresa que os objetos não sejam entregues junto ao ente querido para cremação. 

    Isso porque, quando expostos às altas temperaturas, eles podem danificar e estragar a máquina que realiza o procedimento. 

    Além disso, objetos como marca-passo também são retirados antecipadamente pela empresa antes que seja realizada a cremação, tendo em vista que podem explodir durante o processo. 

    Quanto aos outros objetos, caso sejam entregues junto ao cadáver, ficam sob responsabilidade da empresa, cabendo a ela a decisão de queimar, descartar ou devolver à família, conforme política interna pré-estabelecida. 

    Ademais, é importante dizer também que itens metálicos correspondentes ao caixão, como pregos, puxadores e maçanetas costumam ser queimados juntamente com a ossada. Sendo assim, também passam posteriormente pelo triturador e são entregues à família juntamente com as cinzas do falecido. 

    O que fazer com os restos mortais da cremação?

    Em alguns casos é realizada a exumação e as cinzas voltam ao cemitério depois do processo de cremação.

    Como comentamos anteriormente, lidar com a dor da perda e com todos esses procedimentos nunca é uma tarefa fácil para os entes queridos

    Por esse motivo, as famílias costumam realizar diversas cerimônias com o objetivo de dar uma despedida digna e justa a pessoa que foi tão amada durante a vida. 

    Nesse sentido, quando a exumação e o procedimento de cremação de ossada é realizado, novas cerimônias podem ser feitas como homenagem para a pessoa que se foi. O que é feito, no entanto, pode variar de acordo com as crenças e valores da família que realizou o procedimento. 

    Uma das alternativas mais comuns é o descarte das cinzas no mar, como uma maneira de simbolizar liberdade e descanso eterno para o falecido. 

    Para que essa não se torne uma opção ecologicamente inviável, existem urnas no mercado criadas especificamente para esse tipo de procedimento, as quais são hidrossolúveis e não espalham as cinzas ao redor da praia. 

    Outro método bastante comum e adotado por aquelas famílias mais apegadas ao falecido é o armazenamento das cinzas em casa, dentro de sua urna. Para quem também deseja manter o ente querido por perto, a urna também pode ser deixada em um cemitério da região. 

    Outra opção bastante bacana e que também tem um simbolismo bonito é o enterro da urna em um local e o plantio de uma árvore em cima, para marcar o terreno. Nesse caso, a família mantém seu ente querido por perto, podendo visitar o local sempre que desejar e ainda assim o mantém ao ar livre, como é o desejo de muitas pessoas ainda em vida. 

    Conheça mais sobre esses e outros rituais fúnebres aqui: Rituais fúnebres: conheça a origem desta prática e qual a sua importância 

    Quais são os documentos necessários para realizar a cremação de ossada?

    A cremação de ossada precisa ser expressamente autorizada por um parente de primeiro grau.

    Assim como todos os procedimentos desse tipo, a cremação de ossada também necessita da apresentação de alguns documentos para a empresa que realizará o processo

    No entanto, a lista é bem simples e pode ser providenciada pelo parente de primeiro grau responsável pelo ente querido. 

    Certidão de óbito 

    A certidão de óbito, também chamada de atestado de óbito, é um documento muito importante, emitido logo após o falecimento. É nele que consta a causa da morte, o local, data e horário em que ocorreu a perda do ente querido. 

    Além disso, a certidão é bastante utilizada em diversos processos, desde a comprovação da morte para quitação de dívidas até a entrada de planos funerários. 

    Nesse sentido, para a cremação de ossada também é necessário apresentar uma cópia dela para a empresa que fará o procedimento. Portanto, é essencial guardar o documento muito bem, tendo em vista que poderá ser usado em situações futuras após o falecimento. 

    Dados da exumação

    Como citamos anteriormente, a solicitação de exumação pode ser realizada por diversos motivos, tanto por parte do cemitério quanto por parte da família. 

    De qualquer forma, quando o processo for concluído é necessário que o cemitério forneça alguns dados, como a data e o horário em que o cadáver foi retirado. 

    Esses dados, por sua vez, também precisam ser apresentados para a empresa que realizará a cremação, como uma prova de que tudo está sendo realizado de forma legal

    Autorização de cremação por um parente de primeiro grau 

    Para que a cremação de ossada possa ser realizada é essencial que a família tenha a autorização expressa de um parente de primeiro grau do falecido. Nesse caso, em ordem, são considerados parentes de primeiro grau:

    1. Ex cônjuge;
    2. Os ascendentes;
    3. Seus descendentes;
    4. Seus irmãos maiores de 18 anos, de acordo com a ordem de idades.

    Caso a assinatura venha de um dos irmãos são necessárias mais duas testemunhas ou a presença de mais um descendente direto, como cônjuge, mãe, pai ou os filhos.

    Testemunha 

    Para a realização do procedimento de cremação de ossada é essencial que haja uma testemunha durante o processo. 

    Assim, a maioria das famílias opta por ir em grupo, realizando uma espécie de cerimônia de homenagem ao falecido durante as três horas de cremação. 

    Porém, caso isso não seja possível, é obrigatória a presença de somente uma pessoa, sendo preferencialmente alguém próximo ao ente querido. 

    Certidão negativa criminal 

    A certidão negativa criminal é um documento obrigatório para cremação de ossada apenas em alguns casos bastante específicos. 

    A maioria deles acontece quando há uma morte violenta, sendo usada para comprovar que não existe nenhum processo criminal em andamento, no qual a cremação do corpo atrapalhará as investigações. 

    Caso haja um processo, para a cremação é essencial que a família solicite uma autorização judicial junto ao Fórum Criminal local. 

    Só depois que ela for concedida é que o processo de cremação de ossada poderá ser realizado de forma legal. 

    Quanto custa cremar os restos mortais de uma pessoa?

    Não é à toa que muitas pessoas optam por realizar um plano funerário ainda em vida, pagando parcelas mensais para estar seguro no momento do falecimento. 

    Já que, todos os procedimentos de velório, enterro e preparação do cadáver costumam ser bem caros, muitas vezes deixando a família em uma enrascada caso não estejam preparados financeiramente. 

    Nesse sentido, é evidente que o processo de cremação de ossada também tem seu custo. 

    Esse, por sua vez, fica na mesma média de valor que o processo de cremação comum, que pode variar desde 2.500 reais até 20.000, de acordo com o local e tipo de serviço escolhido. 

    Custos adicionais da cremação

    Além disso, também é importante considerar que existem outros serviços relacionados a cremação de ossada, os quais podem ter um custo adicional. 

    Um deles é o fornecimento da urna, a qual é escolhida pela família e paga a parte em relação a cremação. 

    Outro ponto bastante importante é que os valores podem variar de acordo com a região do país. Nos grandes centros e capitais o custo costuma ser menor, tendo em vista que o serviço é mais comum.

    Já nas cidades menores o valor tem tendência a aumentar, tendo em vista que engloba também o transporte dos restos mortais até o centro de cremação mais próximo, que em muitos dos casos fica em cidades vizinhas. 

    Lidar com os momentos de luto e os procedimentos funerários é muito difícil, principalmente logo após o falecimento de um ente querido. 

    No entanto, quando a exumação e o processo de cremação de ossada são realizados, a família costuma reviver todo o luto e a tristeza pela perda.

    Sendo assim, é essencial ter as informações corretas e escolher uma boa empresa para fazer o procedimento com confiança e segurança. Nesse sentido, se você deseja saber mais sobre esses e outros temas, continue acompanhando o nosso blog! Aqui sempre postamos conteúdos cheios de informação, com tudo que você precisa saber para agir da melhor maneira frente a esses momentos tão difíceis.

    Deixe um comentário