• Central de atendimento 24h (011) 4780-5608
  • Carpe Diem: aproveite cada momento e viva intensamente!

    Entenda o que é Carpe Diem e como essa filosofia de vida pode melhorar o seu dia a dia, a maneira de enxergar a vida e a relação estabelecida consigo mesmo!

    A expressão Carpe Diem carrega consigo um significado mais amplo do que o sentido com o qual a maioria das pessoas está familiarizada. Já que, a tradução inicial do termo é “aproveite o dia”, entretanto, para além de uma visão trivial do Carpe Diem, há lições profundas que essa filosofia traz e que podem ser muito potentes se aplicadas cotidianamente!

    Além disso, adotar um determinado estilo de vida pode ser um ótimo sinal para garantir maior comodidade e mudanças positivas, tanto para o mental quanto para o físico. É por isso que devemos estar sempre em constante aprendizado, garantindo uma longevidade com qualidade.

    Dessa maneira, guardar recordações é essencial, mas saber como viver de uma nova forma, priorizando a própria saúde emocional e mental faz muito mais sentido. Com o acesso às novas tecnologias, será muito mais simples seguir as ideologias traçadas por essa filosofia milenar e assertiva.

    Embora seja um conceito fundamentado em filosofias milenares, o Carpe Diem possui ensinamentos atemporais e muito positivos para quem deseja viver de forma intensa, harmônica e, sobretudo, feliz. 

    Por isso, se você ficou interessado em conhecer mais acerca deste conceito, continue a leitura deste conteúdo e aproveite cada ensinamento dessa filosofia milenar. Boa leitura! 

    Afinal, o que é Carpe Diem?

    Homem de braços abertos com a cabeça voltada para cima

    Originalmente escrita em latim, Carpe Diem é uma expressão que traduzida para o português significa “aproveite o dia.” 

    Esta frase atravessou séculos e permanece muito importante em nossos dias, especialmente por causa dos tempos frenéticos que vivemos, nos quais é quase impossível aproveitar genuinamente os nossos dias. 

    Diante da imprevisibilidade da vida, o Carpe Diem emerge como um convite à viver, funcionando quase como uma terapia para celebrar o presente

    As preocupações com o futuro são inevitáveis, mas viver integralmente o momento em que se está inserido é crucial para que se tenha uma vida equilibrada e feliz, afinal, não possuímos o controle do futuro.

    Obras que foram inspiradas nessa expressão

    Do Renascentismo à Modernidade, o conceito do Carpe Diem inspirou diversos artistas a produzirem clássicos pautados nesta expressão. 

    Dentre as obras inspiradas nos ideais do Carpe Diem que ganharam notoriedade, podemos citar o poema intitulado “To the virgins, to make much of time”, do autor inglês renascentista Robert Herrick, escrito em 1600.

    O poema de Herrick é direcionado às moças virgens de seu tempo. Em seus escritos, ele aconselha as garotas a usufruírem de sua juventude enquanto podem, tendo em vista a efemeridade do tempo. 

    O conselho do poeta é banhado pelo significado do Carpe Diem, que em essência preconiza a ideia de aproveitar os dias.

    Na Modernidade, um ilustre poeta modernista também adotou em sua poética as ideias oriundas do Carpe Diem. 

    Fernando Pessoa, o grande nome da poesia portuguesa moderna, apresentou em sua produção poética, por meio de Ricardo Reis, um dos seus inúmeros heterônimos, a expressão máxima do Carpe Diem, que é colher o dia

    Uma das poesias de maior destaque do autor recebe o título de “Colhe o Dia, porquê és Ele”, em clara referência ao Carpe Diem. 

    A produção literária brasileira foi igualmente atravessada pelo conceito do Carpe Diem. Na obra Marília de Dirceu, do autor neoclássico Tomás Antônio Gonzaga, é possível identificar a presença dos ideais carpedianos. 

    Em alguns trechos da obra, há um clamor para que Marília, personagem que dá nome ao livro, aproveite o seu tempo presente antes que ele roube as forças de seu corpo e a graça de seu semblante, em uma referência ao envelhecimento.

    Origem do termo Carpe Diem

    Muito se ouve falar da expressão Carpe Diem, mas uma boa parte das pessoas desconhece a sua origem. 

    O primeiro registro histórico do termo de que se tem notícia é encontrado em um dos poemas que compõem o livro “Odes” de Horácio, um dos maiores expoentes da poesia produzida na Roma Antiga. 

    Este registro é datado de antes da era cristã efetivamente se iniciar. No poema mencionado, Horácio gentilmente aconselha a sua amiga Leucone, alertando-a acerca da brevidade da vida. 

    O verso que atravessou os séculos e se tornou uma máxima para muitas pessoas diz o seguinte: “Carpe diem quam minimum credula postero”. 

    Ao traduzir para o português, a frase originalmente latina, significa algo como: “aproveite o dia de hoje e confie o mínimo possível no amanhã”. Em outras traduções, o verbo “aproveite” é substituído pelo verbo “colha”, o que dá um sentido ainda mais profundo para o poema.

    Na visão do poeta, confiar a sua felicidade ao futuro é um erro, uma vez que o futuro não é confiável. Não sabemos o que ocorrerá conosco no porvir, por isso não devemos confiar no amanhã. 

    Dessa forma, a escolha mais sábia é viver cada dia em toda a sua plenitude, colhendo todos os seus encantos e sabendo apreciar o momento exato que você está vivendo.

    Carpe Diem em “A Sociedade dos Poetas Mortos”

    A despeito de sua grande propagação na esfera literária, o conceito do Carpe Diem também aparece na sétima arte, sendo representado de forma encantadora no filme “Sociedade dos Poetas Mortos”, dirigido pelo diretor australiano Peter Weir e protagonizado pelo grandioso Robin Williams. 

    O enredo do filme desenrola-se na relação entre um professor de literatura em inglesa e seus alunos, em um contexto de muita rigidez e intransigência, tendo em vista que o colégio interno no qual ambos estavam inseridos preconizava valores morais conservadores e exigia uma disciplina exacerbada de seus internos.

    Em meio a este ambiente inóspito, o professor fez florescer em seus alunos uma nova percepção de vida, convidando-os a aproveitarem o dia e tornarem suas vidas extraordinárias. 

    Assim, aqueles jovens que antes estavam fadados a uma vida meramente pragmática devido ao condicionamento dos valores do colégio, passaram a enxergar as suas vidas como uma aventura que realmente merece ser vivida com intensidade e encantamento.

    Os ensinamentos do professor aos seus alunos são puramente baseados no conceito do Carpe Diem. 

    O convite a viver o agora, o momento presente, a viver com inteireza cada minuto do seu dia foi feito inicialmente pelo poeta Horácio, mas estende-se a todos que ousarem se aventurar a viver a vida desta forma. 

    A relação com o consumismo

    Mulher de braços abertos em meio à natureza

    Era de se esperar que um termo tão abrangente como o Carpe Diem sofresse algumas distorções ao longo da história. 

    A ideia de colher o dia sempre foi, em essência, incentivar as pessoas a aproveitarem o momento presente estando genuinamente presentes. Isso significa dizer que Carpe Diem é sobre efetivamente viver o momento, não só observá-lo, como muitas vezes fazemos.

    Comumente, vemos pessoas mais preocupadas em registrar os momentos vividos do que realmente vivê-los. 

    Assim, a necessidade de expor, mostrar e provar para alguém – ou para si mesmo – que está fazendo algo acaba impedindo a pessoa de viver este momento de fato

    O mesmo ocorre quando nossas experiências sensoriais são substituídas por telas de aparelhos digitais. 

    Além disso, em nome dos lucros, muitas empresas utilizam-se da ideia do Carpe Diem para incentivar o consumismo, fazendo com que o conceito de aproveitar o dia esteja atrelado a realizar a compra de algum objeto. 

    Obviamente, todos temos a liberdade de escolhermos como queremos aproveitar o nosso dia e o que queremos colher dele, contudo, a distorção da ideia do “colher o dia” é uma prática equivocada e que pode ser nociva a longo prazo, pois incentiva o consumo desenfreado.

    Como colocar o Carpe Diem em ação?

    Mulher sentada com os joelhos dobrados

    Viver o Carpe Diem na prática não é uma tarefa tão simples porque já estamos acostumados a ter um estilo de vida apressado, mecanizado e com poucas pausas para a apreciação dos pequenos detalhes da vida. 

    No entanto, aplicar este conceito no cotidiano, mesmo que a passos tímidos, é uma empreitada que pode gerar muitos benefícios para a sua vida em todas as dimensões dela. 

    Assim, para te ajudar, nós listamos abaixo algumas práticas poderosas do Carpe Diem que mostram-se transformadoras e provocam mudanças expressivas na vida daqueles que as praticam.

    Motive-se

    A motivação é um elemento fundamental para a vida de todas as pessoas, afinal, é ela que nos tira da cama todas as manhãs. Já que, todos nós temos razões que movem a nossa vida e nos fazem ter um senso de propósito. 

    Nem sempre é fácil manter-se motivado em tempo integral, principalmente quando nos encontramos em situações favoráveis, mas devemos sempre buscar manter inflamada a chama da motivação dentro de nós, pois é ela que nos mantém acesos diante do mundo.

    Busque ser feliz

    Um dos trechos da canção “Felicidade” do cantor e compositor Marcelo Jeneci traz a seguinte afirmação: “felicidade é só questão de ser”. Por isso, nesse sentido, o caminho para encontrar a felicidade é olhar para si mesmo. 

    Por isso, ao olhar para dentro de si, você enxergará a beleza de ser quem você é e entenderá que você está exatamente onde deveria estar agora. 

    Você perceberá que há muitas razões para que você seja feliz e grato e, dessa forma, a vida será conduzida de forma mais leve, suave e, consequentemente, mais feliz. 

    Seja educado e simpático

    Praticar o Carpe Diem é, de certa forma, viver na contramão do sistema no qual estamos inseridos. Neste sistema, a hostilidade é comum, a grosseria é justificável e a má educação impera. 

    Contudo, buscar ser uma pessoa educada e gentil é uma das formas mais eficazes de efetivamente viver feliz e em paz. 

    A gentileza, por vezes, é o melhor presente que ganhamos em um dia ruim. Quando as pessoas são gentis conosco, nós nos sentimos genuinamente felizes. 

    Assim, da mesma forma, quando somos gentis e afetuosos com o outro, sentimentos bons também invadem o nosso interior. 

    Tente sorrir com mais frequência

    O sorriso é a expressão máxima de uma pessoa feliz. Os sorrisos são a marca de um coração alegre, sereno e em paz. Além disso, o sorriso é contagiante. Somos capazes de alterar a atmosfera do lugar em que estamos apenas com o sorriso. 

    É possível que estejamos perto de alguém que não está contente, mas que passa a ser contagiado pela nossa felicidade, tendo o seu humor alterado. 

    Assim, sorrir é praticar o que o Carpe Diem é em essência. Ao sorrir, estamos também colhendo o dia, pois estamos colhendo outros sorrisos e assim a felicidade faz festa em nosso meio.

    Dê valor à natureza

    Estamos tão ocupados na maior parte do nosso tempo que quase nunca lembramos de contemplar a beleza que existe ao nosso redor. As paisagens que nos cercam acabam passando despercebidas pelos nossos olhares desatentos. 

    Mas, apreciar a natureza é essencial para que sejamos pessoas mais alegres. Uma simples caminhada até o trabalho pode ser um momento perfeito para vislumbrar com atenção a natureza que emoldura a cidade. 

    Por isso, contemplar o balançar das árvores, o pôr do sol, as borboletas voando pelo céu, entre outras belezas naturais, é uma prática inerente ao Carpe Diem.

    Assim, se você tem um tempo privilegiado de descanso, aproveite para ir à praia ou até mesmo fazer uma viagem para um lugar bucólico

    Já que, esses momentos certamente serão muito importantes para que você recarregue as suas energias e realmente aproveite bem a sua vida, deleitando-se nos pequenos prazeres que ela oferece. 

    O poema “Carpe Diem”

    Livro com as páginas dobradas em forma de coração

    Como mencionamos anteriormente, a famosa expressão Carpe Diem é oriunda de um poema de Horácio. Originalmente, o poema foi escrito da seguinte maneira:

    1 Tu ne quaesieris — scire nefas — quem mihi, quem tibi
    2 finem di dederint, Leuconoe, nec Babylonios
    3 temptaris numeros. Ut melius, quidquid erit, pati,
    4 seu plures hiemes, seu tribuit Iuppiter ultimam,

    5 quae nunc oppositis debilitat pumicibus mare
    6 Tyrrhenum: sapias, vina liques, et spatio brevi
    7 spem longam reseces. Dum loquimur, fugerit invida
    8 aetas: carpe diem, quam minimum credula postero.

    O poema foi traduzido para diversas línguas, alcançando uma projeção grandiosa e inspirando diversos artistas com a filosofia de vida contida em seus versos. Confira, abaixo, a tradução para a língua portuguesa feita pela pesquisadora e especialista em literatura greco-latina Maria Helena da Rocha Pereira.

    Não pudemos, Leucónoe, saber — que não é lícito — qual o fim
    que os deuses a ti ou a mim quererão dar,
    nem arriscar os cálculos babilônios. Quão melhor é sofrer o que vier,
    quer sejam muitos os invernos que Jove nos der, quer seja o último
    este, que agora atira o Mar Tirreno contra as roídas rochas.
    Sê sensata, filtra o teu vinho e amolda a curto espaço
    uma longa esperança. Enquanto falamos, terá fugido o invejoso tempo.
    Colhe a flor do dia, pouco fiando do que depois vier a suceder.

    O Epicurismo e o Carpe Diem

    O poema de Horácio é fortemente inspirado pela filosofia epicurista. Epicuro, grande pensador grego e precursor do epicurismo, pregava que a plenitude da felicidade era atingida quando os desejos de um indivíduo eram atendidos, assim, ele passava a viver de forma tranquila e satisfatória. 

    Dessa forma, aproveitar os prazeres da vida, na visão epicurista, era a expressão máxima da felicidade, o que possui concordância direta com o Carpe Diem horaciano. 

    Então, aproveite essas dicas e mude o seu dia, aplicando essas técnicas e sendo mais feliz!

    Deixe um comentário