• Central de atendimento 24h (011) 4780-5608
  • Animais também sentem o luto? Saiba tudo sobre o luto pet!

    Você já viu um animalzinho deprimido? É realmente desolador! Conheça o luto pet e saiba como lidar com um animal de estimação que enfrenta a dor da morte.

    Labrador demonstrando tristeza e falta de motivação.

    Solidão. Ausência. Desânimo. Tristeza. Esses são alguns sentimentos que envolvem o luto pet, afinal, já está mais que comprovado que os animais também sentem o luto e ficam tristes e desanimados. 

    E assim como os humanos, cada animal expressa o seu sentimento a seu jeito, embora seja completamente possível observar sinais do luto pet, como veremos nos tópicos abaixo.

    Volta e meia, algum cientista precisa reafirmar, através de dados e pesquisas, que os animais possuem sentimentos semelhantes aos dos humanos. 

    A prepotência humana diante das outras espécies é tão grande, que vez ou outra é preciso lançar algum estudo para reiterar: animais têm sentimentos sim!

    É sempre necessário trazer a tona que famílias ou indivíduos que adotam animais de estimação precisam ter responsabilidade afetiva para com os bichinhos

    Eles sentem ansiedade quando o dono passa dias fora. Além disso, eles ficam tristes quando se veem abandonados em uma esquina do dia para a noite. E também sentem alegria quando chegam a um novo lar ou quando o dono retorna de viagem.

    Os sentimentos dos animais são tão complexos quanto os sentimentos humanos. Na verdade, o fator biológico dos sentimentos, estudado pela senciência, é semelhante entre os animais de diferentes espécies, sem exceção dos humanos, o próprio Charles Darwin, precursor da biologia moderna, deu indícios disso em suas pesquisas.

    Você é daqueles leitores que adoram curiosidades? Então vai gostar desta dica de leitura: Maiores cemitérios do mundo: em quais desses você teria coragem de ir?!

    O que é o luto pet?

    Pets também sentem o luto, não tão profunda e intensamente quanto nós, que sofremos demasiadamente diante da ausência de uma pessoa querida por questões históricas, sociais e culturais, mas o luto pet é uma realidade inegável. Qualquer um que tem contato com animais pode afirmar isso.

    A partir desse pressuposto, veremos como ocorre o luto animal e como acolher um pet que passa pela dor da perda.

    É importante ressaltar que o luto não acontece apenas em situações de separações por morte, o rompimento de vínculos muito significativos também leva ao luto

    Assim, grande parte dos animais enlutados não vivenciaram a morte de alguém próximo, mas sim passaram pelo descaso e pelo abandono.

    Por outro lado, os animais também sentem, percebem e precisam lidar com a morte, tanto de seus companheiros humanos quanto de outros animais com os quais estabeleceram relações de afeto.

    Conheça a seguir esses dois tipos de luto pet e saiba como lidar com cada um deles.

    O sentimento do luto animal em situações de abandono

    Todo animal cria uma referência em seu tutor, principalmente os domésticos, deslocados da natureza de uma tal forma que se tornaram dependentes dos humanos. Assim, quando abandonados, esses pets demonstram, de maneira totalmente perceptível, a sua tristeza e desorientação.

    A perda de referência, a mudança de realidade, a solidão, a falta e a ausência são sentimentos que descrevem o luto e que também podem acometer animais abandonados. Pets que passam por esse tipo de experiência podem ficar marcados para sempre.

    Eles não controlam os próprios sentimentos, não têm a oportunidade de se comunicar como nós e dificilmente compreendem a totalidade do que acontece quando em um momento estão em suas casas, com as pessoas que lhes são referências e pelas quais têm afeto, e no outro estão sozinhos no meio da rua, correndo perigo de atropelamento.

    É impossível saber exatamente o que se passa na cabeça de um animal, no entanto, profissionais das zoonoses ou de instituições que acolhem animais de rua e os direciona para novos lares afirmam que a experiência do abandono é perturbadora para os pets

    Eles ficam traumatizados com a dor da perda, sentem medo de ser abandonados novamente e demoraram bastante para se adpatar a um novo lar, sempre temendo ser abondonado novamente.

    Cão abandonado demonstra tristeza em canil.

    Conheça diferentes culturas e sua relação com a morte em nosso blog, leia também: A morte do outro lado do globo: conheça o funeral no Japão. 

    Abandono e trauma de cães e gatos

    Em casos de animais abandonados que encontram um novo lar, é comum que eles demonstrem aflição quando veem o novo tutor se afastar

    Latidos incessantes na ausência do dono, choro e solicitação de atenção são algumas características de cães traumatizados pelo abandono, que sofrem a dor do luto.

    Os gatos também demonstram as suas emoções quando vivem a experiência do luto por meio do abandono. 

    Por serem mais independentes fisicamente e mais silenciosos, as pessoas acabam não se atentando aos sentimentos dos gatos, mas a dependência afetiva e emocional também existe nos felinos.

    Alguns sinais de que seu gato está sofrendo uma dor emocional são:

    • Excesso de lambidas;
    • Perda de pelo;
    • Mordidelas e arranhões no tutor;
    • Derrubada frequente e deliberada de objetos;
    • Esconder-se nos cantinhos;
    • Xixi e coco em lugares inapropriados e incomuns.

    Mães e pais de animais felinos precisam ter isso em vista e estar sempre atentos ao estado emocional do pet recém-adotado.

    O sentimento do luto animal diante da morte

    Além do luto causado pela rejeição, os animais também sentem a dor do luto diante da morte, seja de seus tutores ou de seus semelhantes. 

    Barbara J. King acompanhou, registrou e analisou o comportamento de animais de diversas espécies que passaram por diferentes tipos de luto

    A antropóloga estadunidense narrou a tristeza visível no comportamento de uma gata doméstica que passou semanas sofrendo a dor da morte de sua irmã de sangue.

    A autora de “O que sentem os animais” demonstrou como pássaros, macacos, elefantes, entre outros que não são comumente domesticados ficam comovidos e submetidos à melancolia e ao pesar quando vivenciam a morte de um humano ou de outros animais com os quais estabelecerem vínculos

    King comprova, assim, que o luto diante da morte não é exclusividade dos humanos e que o luto pet é tão verdadeiro e intenso quanto o nosso. 

    Gato triste, amuado e recluso.

    Importância de lidar com o luto de seu pet?

    Nós temos rituais, cultos fúnebres, a linguagem verbal, a psicologia, os familiares e os amigos para nos fortalecer e nos ajudar a superar as fases do luto.

    Os animais, por sua vez, não possuem muitos recursos além dos próprios instintos para lidar com a dor e com o sofrimento diante da perda. 

    Por isso mesmo, os donos, tutores, mães e pais de pet — seja lá como se denomine a relação afetiva com o animal — precisam responsabilizar-se pelos sentimentos dos domesticados

    Uma vez sob convívio humano e fora da natureza, esses animais não têm mais condições de desenvolver os seus instintos naturais para lidar com o próprio sentimento. 

    Assim, o luto pet pode ser muito doloroso e cabe ao responsável pelo animal identificar o problema e auxiliar o bichinho a lidar com esse momento de dor e sofrimento.

    Elefante se despede tristemente de seu companheiro falecido. Fonte: Seamos Mas Animales Como Ellos – SMACE.

    Como identificar se um animal está de luto?

    Os sinais a serem observados são muito parecidos com os de um luto patológico em humanos que não conseguem lidar com as cinco fases do luto com naturalidade. Confira:

    • Perda de apetite;
    • Baixo nível de vitalidade;
    • Atividade reduzida, como sinal de tristeza;
    • Escolher um lugar escondido da casa e ali ficar por horas a fio, movimentando-se pouco;
    • Não reage a brincadeiras;
    • Evita o contato com outras pessoas ou animais;
    • Tornou-se incomumente mais arisco;
    • Não atende quando chamado.

    Assim, se o seu animalzinho demonstra alguns desses comportamentos depois da morte de alguém próximo ou de algum companheiro animal, é possível que ele sofra com a quebra do vínculo e esteja vivendo o luto, tal como qualquer humano vive diante do falecimento de uma pessoa querida.

    Como aliviar a dor do luto pet?

    Humanos têm muitos meios para lidar com a própria dor, os animaizinhos domesticados só podem contar com seus donos. Portanto não hesite em acolher o seu pet para aliviar-lhe a dor da perda. 

    Para te ajudar, confira abaixo algumas dicas do que fazer para ajudar um animal enlutado.

    1. Não insista em querer fazê-lo  movimentar-se e sair do lugar, se ele está imóvel em um canto da casa é porque foi a melhor maneira que encontrou para se sentir confortável; 
    2. Verifique constantemente se ele está alimentando-se, bebendo água e dormindo. Se você perceber que o animal tem recusa em se alimentar, motive-o uma vez por dia, acompanhando o momento da alimentação. Caso a falta de apetite persista, o melhor é levar a um veterinário;
    3. Permita que ele fique sozinho, mas procure proporcioná-lo a mesma rotina que ele tinha antes da ocorrência do falecimento, isso pode ser útil para que o animal perceba a normalidade e a continuidade da vida;
    4. Dedique carinho e atenção. Procure-o, solicite-o, mostre que percebe sua presença de vez em quando, principalmente quando ele o procurar. Vez ou outra, acaricie-o, chame-o para brincar, demonstre afeto no momento das refeições e no hora de dormir. O carinho e a atenção são a melhor forma de acolhimento emocional; 
    5. Caso o pet apresente excessiva agressividade, leve-o para um especialista analisá-lo;
    6. Monitore o comportamento do pet e esteja atento a qualquer mudança, seja para melhor ou para pior, essa é a maneira que temos de acompanhar o andamento do luto pet.

    Dificilmente um animal de estimação demorará muito para superar o luto. Tudo depende do grau de intensidade da relação que tinha com o companheiro falecido e da personalidade de cada animal.

    Acolhimento ao luto pet: um dever do tutor

    Se bem cuidado, devidamente acolhido e sob uma atenta supervisão, sem dúvidas o pet enlutado superará a dor com facilidade. A senciência está aí para nos mostrar que precisamos reformar nossas relações com os animais.

    Não podemos mais manter a hierarquia e a superioridade pela força e pelo medo, precisamos ter predileção pelo carinho e pelo respeito por nossos iguais e nossos desiguais

    O sentimento animal é tão importante quanto o sentimento humano e com nossa cognição e tecnologias podemos ir além do que recusar e combater os maus-tratos aos animais, devemos, assim, acolhê-los, cuidá-los, amá-los e contribuir para que tenham uma vida plena e digna.

    Afinal, eles fazem isso conosco diariamente.  

    Não se esqueça: seja com homens, mulheres, crianças ou animais é preciso aplicar a responsabilidade afetiva!

    Ofereça uma homenagem póstuma digna a seu pet. Confira: Cremação de Animais: Preço, como funciona e onde fazer.

    Deixe um comentário