• Central de atendimento 24h (011) 4780-5608
  • 4 mitos sobre planos funerários

    Quase ninguém está preparado para lidar com a morte. Apesar de alguns relatarem que não possuem medo, quando ela fica próxima, não existe um ser vivo que não tenha receio do que pode acontecer. 

    Devido a esse medo, os planos funerários sempre foram procurados para que a tensão da partida possa ser um pouco amenizada. Porém, apesar dessa procura, ainda existem alguns mitos que muitos carregam sobre a contratação do plano. 

    Diante disso, o presente artigo irá desmistificar algumas crenças que muitos brasileiros carregam e que podem estar impedindo que mais pessoas conheçam os benefícios que esse serviço pode trazer.

    O que é um plano funerário?

    Os planos funerários são contratos em vida, garantindo a cobertura dos serviços básicos que ela irá necessitar quando a morte chegar. 

    É claro que existe uma variação de valores e tipos de plano, onde cada um irá cobrir determinadas situações. Algumas facilidades que ele oferece é a isenção de pagamento de translado do corpo, gastos com questões burocráticas, sepultamento e outros. 

    Algumas pessoas acabam nutrindo a ideia que a contratação de um plano funerário não seja necessário, mas saiba que ele pode servir de alívio para as famílias do ente querido que se foi. A morte aparece, muitas vezes, de forma inesperada, então ter essa garantia pode ajudar a minimizar os danos. 

    Conheça os 4 mitos sobre os planos funerários

    Apesar da eficiência e segurança que os planos funerários trazem, alguns mitos ainda surgem na cabeça das pessoas, como falado logo no início. Mas será que essas crenças criadas pela sociedade são verdades?

    Conheça agora os 4 mitos mais falados sobre os planos funerários e tire todas as dúvidas que estão impedindo você de contratar um plano. Confira:

    1. É muito caro arcar com os custos mensais dos planos funerários

    Esse é um dos mitos que mais afastam as pessoas de ter uma morte segura e longe de imprevistos. Existe uma grande variedade de preços e coberturas, então é possível encontrar contratos que caibam no bolso. 

    É claro que existem alguns planos funerários que são caros, porém, eles não são a maioria. O ideal é ter bem claro as suas condições financeiras e assinar um contrato que esteja dentro do seu orçamento. 

    Além disso, quando uma pessoa morre e a família descobre que ela não possui nenhum plano funerário, os gastos podem ultrapassar os valores mensais do plano. 

    2. Contratar um plano funerário é desperdício de dinheiro

    A única certeza da vida é a morte, então é muito errado pensar que a contratação de um plano funerário é desperdício de dinheiro. O dinheiro que é gasto todo mês, será convertido em um evento que é certeza de acontecer, a morte. 

    Então nada mais justo do que investir para que esse momento seja só de despedidas e que seus familiares e amigos não tenham dor de cabeça e dediquem todo o tempo para o último adeus. 

    3. Ele traz má sorte 

    O Brasil é um dos países que mais possuem algumas crenças que possuem relação com sorte ou azar. Não se deve duvidar de ninguém, pois cada um possui uma bagagem histórica que faz com que as opiniões e crenças sejam formadas. 

    Mas é muito improvável que a contratação de um plano funerário seja um chamado para o azar.  A grande verdade é que o momento da partida vai chegar, então é melhor estar preparado.

    4. Só pode ser utilizado quando a morte chegar

    Já foi o tempo em que esse tipo de plano só poderia ser utilizado no momento da morte. Hoje em dia, já existem muitos planos que apresentam clubes de vantagens entre os associados, proporcionando vários descontos em compras e demais obtenção de serviços. 

    É fato que isso dependerá da cobertura e do plano escolhido, mas tenha em mente que eles podem trazer benefícios mesmo antes da morte. 

    Então vale a pena a contratação?

    Após ter os quatro principais mitos desmistificados, é obvio que a resposta será sim. A contratação de um plano funerário vale muito a pena e deve ser uma prioridade tanto para jovens quanto para idosos. 

    O ideal é não contar com a sorte e estar sempre preparado para que o pior aconteça e quando chegar o momento, que sele seja de uma forma leve e menos trabalhosa. 

    Deixe um comentário