• Central de atendimento 24h (011) 4780-5608
  • Guia completo sobre tanatopraxia: confira agora tudo o que você precisa saber

    Conheça mais sobre a arte de cuidar dos cadáveres para fazer um belo velório, que é uma prática essencial em todas as funerárias e faz parte do processo do enterro.

    Você sabe o que acontece com o corpo após a morte? Não estamos falando da parte espiritual aqui, mas sim do momento em que ocorre o falecimento e em seguida a funerária retira o cadáver. 

    Após ser recolhido pela funerária, o corpo vai para as mãos do profissional de necropsia que o higieniza e o veste, deixando-o pronto para o velório. 

    O profissional de tanatopraxia em seguida é acionado para dar início aos reparos no rosto do paciente, como corrigir a cor e adicionar algum contorno ao rosto para que ele pareça o mais saudável possível.

    E se houver machucados e outras feridas, a maquiagem estética e corretiva é utilizada para disfarçar isso também.

    Além disso, também há o processo vulgarmente conhecido como embalsamento, que é a aplicação de produtos no corpo para que o ato de decomposição seja retardado até o velório.

    Esse processo é chamado de tanatopraxia, que é apenas uma das técnicas utilizadas para trazer dignidade ao morto na hora do velório e também deixar a família mais à vontade.

    Você sabia que esse mercado carece de profissionais qualificados? Pois é, essa é uma ótima área para apostar se você pretende crescer na carreira e não tem medo de lidar com os mortos!

    Neste artigo, você descobrirá tudo sobre tanatopraxia, como funciona e quanto esse profissional fatura. Boa leitura!

    O que é tanatopraxia?

    Talvez você nunca tenha ouvido falar em tanatopraxia mas, se já foi a algum velório e viu de perto o corpo de um falecido no caixão aberto, então você já presenciou um trabalho de um tanatopraxista.

    A tanatopraxia tem a função de conservar cadáveres, e esse processo é hoje comum em todas as funerárias que fazem a preparação dos corpos para o velório, ou seja, em qualquer enterro isso ocorre.

    Aliás, se você é fã de séries policiais de investigação criminal, então já deve conhecer a versão retratada por Hollywood da profissão.

    Na prática, o processo não é lá tão glamouroso. 

    Todo o processo de conservação do corpo para o velório é feito com a aplicação de substâncias – como o formol – para “devolver” a coloração da pele e retardar o processo de decomposição.

    Após isso, vem o processo da necromaquiagem, do qual falaremos um pouco mais no próximo tópico. Confira agora!

    O que é necromaquiagem?

    Enquanto a tanatopraxia serve para manter o corpo como está, para que não se inicie o processo de decomposição, a necromaquiagem tem a função de embelezar o rosto e corpo de um cadáver para que ele seja enterrado com dignidade. 

    A maquiagem funerária ou necromaquiagem é utilizada para que o rosto fique o mais natural possível e transmita a essência do que o corpo era ainda em vida.

    A maquiagem para cadáveres pode ser apenas estética – para embelezar e deixá-lo o mais próximo possível do que era quando vivo – ou corretiva, em casos de mortes que tenham de alguma forma deformado o rosto, como assassinatos ou afogamentos.

    E não pense que somente aqueles que eram mais vaidosos em vida recebem essa sessão de cuidados estéticos.

    Mesmo aqueles que não exageravam na make recebem pelo menos um pouco de creme hidratante, corretivo e contorno para melhorar o aspecto da pele.

    No fim da sessão de maquiagem, o falecido estará pronto para ser homenageado pela família.

    Para saber tudo sobre necromaquiagem, acesse nosso artigo completo sobre o assunto.

    Pessoa doente vestindo branco com mãos descontroladas

    Qual a diferença entre o embalsamamento e a tanatopraxia?

    Você já deve ter ouvido falar sobre embalsamento, que é um processo feito para preservar o corpo morto. Quem não conhece os corpos dos faraós que são mantidos conservados até hoje?

    Porém, o embalsamamento e a tanatopraxia são bem diferentes. 

    O embalsamamento é feito para durar bastante tempo, um exemplo atual é o corpo embalsamado de Vladimir Lenin que possui inclusive tem um mausoléu em sua homenagem em seu país natal.

    O procedimento pode durar anos, como no exemplo que demos, e o corpo se manterá como no primeiro dia.

    Porém, é feito um procedimento de manutenção mensal, pois a ciência ainda não foi capaz de desenvolver um tipo de técnica que mantenha o corpo fora da decomposição para sempre.

    Já a tanatopraxia tem objetivo de durar apenas o tempo de um velório, assim como a necromaquiagem que é pensada para durar aproximadamente 3 horas e precisará ser refeita se for necessário que dure um prazo mais extenso.

    Quando surgiu a tanatopraxia?

    No Brasil, a técnica surgiu nos anos 90. Até esse momento, era comum que a maioria dos enterros por acidentes acontecessem com o caixão fechado. 

    Hoje, dependendo do caso, é possível que o profissional de necromaquiagem consiga recuperar a estética e proporcionar um velório memorável.

    Quando chegou em nosso país, a técnica já era comum nos Estados Unidos, na Itália e também na França.

    Técnicas para preservar o corpo da decomposição são comuns desde a pré história, como os faraós que citamos. Porém, o termo tanatopraxia surgiu a partir de 1860, quando começou a se espalhar entre os países.

    Quais são as vantagens da tanatopraxia? 

    Há diversas vantagens no uso dessa prática. A primeira é ampliar a possibilidade de que o enterro ocorra com o caixão aberto.

    Afinal, sem o uso da necromaquiagem até o mais simples machucado prejudicaria a estética do rosto. 

    Além disso, os especialistas dessa área conseguem restituir até mesmo pelos que possam ter sido perdidos por uma doença que fez o morto definhar, por exemplo. 

    Imagine perder um parente para o câncer – que é uma doença conhecida por fazer com que o paciente definhe e aparente estar abatido – e ao chegar no enterro encontrar ele com uma aparência saudável novamente? 

    É esse tipo de alegria que a tanatopraxia pode proporcionar aos parentes enlutados.

    Além da parte simbólica, também devemos levar em consideração que a tanatopraxia envolve retardar a decomposição, que significa o corpo apodrecendo.

    Então a técnica também faz com que o velório ocorra de forma segura sem comprometer a saúde de ninguém com qualquer possível transmissão de doenças, principalmente agora em meio a pandemia.

    Médico negro avaliando substância em microscópio

    Como se tornar um profissional de tanatopraxia?

    Se interessou pela função? Isso é ótimo, pois as funerárias costumam ser o tipo de negócio que são herdados, ou seja, família contrata família e acaba resultando em profissionais que não possuem qualquer capacitação na área.

    Para trabalhar com tanatopraxia, o primeiro passo é se qualificar. 

    Você deve buscar por um curso de tanatopraxia profissional para atuar na área. Neste curso, você aprenderá sobre anatomia, necromaquiagem e higiene, além de técnicas para embalsar e preservar o corpo.

    Algo muito importante que será apresentado a você no curso é como lidar com o luto. 

    Eventualmente algum parente fará algum pedido especial para você – reconstituir um bigode, adicionar uma peruca, usar alguma cor específica de batom – e você precisará ter tato para lidar com esses enlutados.

    Essa é uma daquelas habilidades não ditas mas necessárias para trabalhar com cadáveres e pessoas em luto: você precisa ter respeito e amor pelo que faz.

    Quanto ganha um técnico de tanatopraxia?

    Esses dados variam muito sobre onde você irá trabalhar.

    Se você for trabalhar em uma funerária de luxo na zona sul de São Paulo, ganhará mais do que um tanatopraxista em uma cidade do interior.

    Porém, o salário pode variar entre R$2.200 e R$4.500.

    E se você deseja trabalhar na área, é importante que saiba que  as vagas neste mercado normalmente são por plantões. 

    Afinal, não há horário especial para a morte, então a todo momento a funerária precisa ter alguém no plantão.

    Técnico de tanatopraxia faz necropsia?

    É importante que você saiba que o profissional de necropsia e de tanatopraxia são diferentes e exigem formações completamente diferentes também. 

    O profissional de necropsia é o responsável por verificar a causa da morte – em caso de morte não natural – com a ajuda de um médico legista. 

    Já o profissional de tanatopraxia entra em ação após a descoberta da morte para fazer os preparativos do corpo para o enterro.

    Então, estamos falando de três profissionais diferentes: o médico legista, o técnico de necropsia e o de tanatopraxia.

    Na prática, o médico legista avalia e tenta entender a causa da morte, o responsável pela necropsia é quem maneja o corpo e comprova a teoria do legista e então o tanatopraxista lida com o corpo para ser preparado para a última homenagem.

    Se o sujeito foi baleado, o legista é quem tenta entender o que levou a morte, o técnico de necropsia então investiga o calibre da bala e o que ele atingiu e, com essa resposta, o legista pode emitir o atestado de óbito com a causa da morte correta. 

    Logo após, o corpo fica aos cuidados do técnico de tanatopraxia.

    Como contratar tanatopraxia?

    Hoje, esse é um serviço essencial de qualquer funerária. Então, ao acionar uma você está também pagando pelo serviço destes profissionais. 

    Inclusive, é por isso que o custo de um enterro pode parecer caro: há diversos profissionais envolvidos neste trabalho, então o valor agregado é bem grande.

    Você deve confiar em contratar uma boa funerária para garantir que todo o possível seja feito para que a cerimônia seja impecável e inesquecível.

    O que você achou de saber um pouco mais sobre essa profissão? Acha que seria capaz de trabalhar nessa área? 

    Deixe sua opinião nos comentários e fique de olho para mais artigos interessantes como esse!

    Deixe um comentário