• Central de atendimento 24h (011) 4780-5608
  • Cemitério da Saudade

    Consulta Gratuita Benefícios Sociais

    O Cemitério da Saudade está localizado na Zona Leste de São Paulo e atende todas as suas sub-regiões. A área é conhecida por ser uma das concentrações com menor IDH e renda per capita na capital paulista, especialmente a sub-região Zona Leste Dois.

    Mais especificamente, o cemitério é administrado pela subprefeitura de São Miguel Paulista. Na época de sua fundação ele surgiu como uma alternativa aos cemitérios de Vila Formosa e Quarta Parada, hoje já possui 134.000 metros quadrados de área e mais de 222.000 de pessoas sepultadas.

    A necrópole possui mais de 50 anos de existência e continua em expansão. Por atender uma camada mais humilde da população seus valores também são populares.

    cemiterio da saudade

    A necrópole está localizada na Avenida Pires do Rio, 1441, próximo aos Correios e Defensoria Pública do Estado de São Paulo.

    Visitantes que desejem prestar homenagens aos falecidos enterrados no Cemitério da Saudade São Miguel Paulista podem fazê-lo a qualquer hora. O espaço está aberto para visitação 24h por dia. Somente o velório possui horário de funcionamento limitado, estando disponível das 8h às 17h. 

    Como chegar?

    O distrito possui o mesmo nome, São Miguel Paulista, no extro da Zona Leste. É possível chegar lá usando algumas linhas de ônibus, incluindo:

    • Linha Jardim Helena – CERET;
    • Linha Parque Dom João Nery – Metrô Artur Alvim;
    • Linha Jardim Camargo Velho – Metrô Itaquera;
    • Linha Itaim Paulista – Vila Califórnia;
    • Linha Guaianazes – Metrô Patriarca;
    • Linha Vila Curuçá – Terminal Aricanduva.

    Também é simples chegar até o cemitério de carro. Algumas das principais vias da capital levam até ele, como a Radial Leste, Avenida Imperador e Avenida Nordestina. O local é próximo ao Parque Ecológico do Tietê.

    Estacionamento no local

    O estacionamento no Cemitério da Saudade ajuda a simplificar a rotina de quem precisa realizar velórios e sepultamentos. Ele é amplo, seguro e gratuito, apesar de ter vagas limitadas. Também existe a opção de deixar o veículo a pouco mais de um quarteirão do cemitério em um estacionamento privado.

     Por último, resta a opção de deixar o veículo nas ruas e avenidas próximas, mas o mais prático e recomendado é o uso do estacionamento do Cemitério da Saudade.

    História

    Na década de 1960 a Zona Leste de São Paulo já possuía dois cemitérios: o Vila Formosa, o maior da América Latina, e a Quarta Parada. No entanto, os dois ficam localizados em áreas mais centrais da região, fazendo com que enterros e velórios se tornassem algo mais complexo para quem morava em extremos.

    Assim, surgiu o Cemitério da Saudade que tinha como objetivo atender camadas mais simples da população. A subprefeitura à qual o espaço pertence compreende os distritos de São Miguel Paulista, Vila Jacuí e Jardim Helena.

    O distrito iniciou como um agrupamento de índios guaianases que deixaram os arredores da Escola Jesuíta de São Paulo. Em 1560 o Padre Anchieta ergueu a primeira capela no local para marcar a presença cristã na aldeia, que foi batizada de São Miguel e posteriormente São Miguel Paulista.

    Sobre o nome

    O nome Saudade é origem de uma antiga tradição brasileira. Existem dezenas de cemitérios intitulados como “cemitério da Saudade”, especialmente no interior paulista. Isso inclui cidades como Sorocaba, Campinas e Ribeirão Preto, todas com suas respectivas Saudades para honrar os mortos.

    A segunda parte do nome, São Miguel Paulista, é exatamente em referência ao distrito de São Paulo onde a necrópole está localizada. A região é uma das mais pobres de São Paulo, porém uma das mais numerosas. Portanto, existe grande necessidade de serviços públicos, saúde e, também, cemitérios.

    Na semana de sua inauguração o Cemitério da Saudade já recebia os primeiros falecidos para realizar serviços de velório e sepultamento. Desde então a demanda não parou, até chegar ao impressionante número de mais de 222.000 sepultamentos nos dias atuais.

    Consulta Gratuita Benefícios Sociais

    Existe jazigo disponível?

    O Cemitério da Saudade São Miguel Paulista ainda possui jazigos disponíveis. Contudo, ele está bastante lotado e muitos desses jazigos já estão reservados para moradores de bairros próximos. A necrópole frequentemente depende de exumações para garantir que terrenos serão liberados para novas famílias.

    Os jazigos possuem preço popular e podem ser adquiridos permanentemente ou por um período de 3 anos ou mais. Também existe a opção de ossário após realizada a exumação, que custa pouco mais que R$25.

    Para que a exumação ocorra um membro da família deve estar presente. Caso não seja necessário o uso de um ossário particular ainda é possível optar por um ossário público, algo comum em cemitérios da prefeitura de São Paulo. Este não possui custo.

    Velório

    O Velório da Saudade São Miguel Paulista está localizado na Rua Miguel de Carvalho, nº60 e recebeu reformas recentemente. As salas foram alteradas para terem um visual mais moderno e aconchegante. São ao todo 12 salas que funcionam 24 horas por dia.

    Pessoas que visitam o velório agora terão acesso a um espaço mais amplo e preparado para receber o público. Durante as renovações também foi revisado o sistema de drenagem do cemitério e calçadas em suas ruas internas.

    Por que o velório é importante?

    A morte significa uma quebra de vínculos permanente que afeta e muito o dia a dia de uma pessoa. Para dar um significado a essa perda, aprender a lidar com ela e continuar com a vida normalmente todos precisam passar pelo processo do luto. Tudo isso fica mais simples com a presença de rituais que materializem essa necessidade.

    O velório é esse momento de trazer pessoas queridas para perto, conseguir conforto e despedir-se do falecido uma última vez. É através dele que as pessoas conseguem elaborar as perdas e trazer um novo significado para aquele relacionamento em sua vida.

    Não importa o rito ou a crença utilizado, o que importa é reservar um momento para essa despedida. Ela pode durar o tempo que precisar e a presença de família e amigos para trazer mais conforto ao enlutado. No Cemitério da Saudade São Miguel Paulista a família tem a possibilidade de permitir que o velório continue à noite, sem precisar fechar suas salas nesse período. Elas funcionam 24h por dia.

    Ossário

    Após o período inicial de 03 anos a família ou familiares mais próximos ao falecido tem a opção de realizar a exumação dos restos mortais. Ou seja, os ossos são retirados da sepultura e acomodados em ossários.

    O cemitério da Saudade São Miguel Paulista possui ossários à disposição da população. Quando a família não está disponível para contato os ossos são acomodados em um ossário comum. Lá, eles são divididos em sacos devidamente identificados, assim pessoas próximas poderão recuperá-los a qualquer momento.

    Também existem ossários individuais. Estes possuem custo adicional para locação por certos períodos de tempo, em geral de 5 anos.

    Principais curiosidades sobre o cemitério

    São quase 60 anos de atividade no Cemitério da Saudade. Cada um desses anos tem histórias para contar, incluindo algumas curiosidades. Separamos algumas notícias que você precisa conhecer sobre esse cemitério na Zona Leste de São Paulo.

    1.   Velório online

    Durante a pandemia de COVID-19 os velórios foram restringidos para somente 10 familiares e com duração limitada. Assim, muitos foram incapazes de velar seus entes queridos presencialmente. Para casos de COVID-19 o caixão deve ser velado lacrado e o velório tem duração máxima de 10 minutos.

    Além disso, o Ministério da Saúde proíbe que imunodeprimidos, gestantes e idosos participem de velórios presenciais. A alternativa encontrada por muitos no Cemitério da Saudade é o velório online.

    O serviços custa em média R$1.000 e é visto como uma forma de permitir que todos da família participem da despedida do ente querido.

    2.   Denúncias de insalubridade

    Ao longo dos anos o Cemitério da Saudade tem recebido diversas denúncias de insalubridade no local, seja por parte de moradores ou da imprensa. De acordo com tais relatos túmulos se encontrariam quebrados ou abertos, com vegetação em excesso crescendo ao redor e sem caminhos adequados para as quadras.

    A própria administração do cemitério admite os problemas de reparo do lugar e está com processos de melhoria em andamento. Em 2020 algumas reformas já trouxeram mudanças, tanto no calçamento das alamedas entre as quadras quanto em outras áreas de uso comum.

    A intenção é melhorar constantemente para conseguir acolher as famílias com toda segurança e conforto. Por isso, também existem empresas terceirizadas dedicadas à limpeza dos terrenos.

    3.   Classe social

    Por causa de sua localização, o Cemitério da Saudade é considerado como um ponto de atendimento para as classes menos favorecidas de São Paulo. Boa parte dos enterrados no local são pessoas de baixa renda oriundas da própria Zona Leste.

    Existem quadras que reúnem até seis caixões que são somente identificados por placas. Em áreas mais antigas os túmulos foram construídos na forma de mausoléus, porém sem os materiais mais caros e exóticos que podemos encontrar em outros pontos da capital.