• Central de atendimento 24h (011) 4780-5608
  • Cemitério Freguesia do Ó

    O cemitério Freguesia do Ó está localizado e funciona há nos no bairro de mesmo nome. O bairro faz divisas com os bairros Vila São Vicente, Nossa Senhora do Ó, Vila Albertina, entre outros.

    O cemitério é administrado pela prefeitura de São Paulo e conta com aproximadamente 15 funcionários que trabalham no local – sepultadores, motoristas, veloristas e funcionários de administração. Os serviços de jardinagem também são administrados pela prefeitura e são efetuados por jardineiros castrados no local.

    cemiterio freguesia do o

    O cemitério Freguesia do Ó está localizado na Avenida Itaberaba, nº 250, no bairro que carrega o mesmo nome do cemitério, na cidade de São Paulo (SP).

    O horário de funcionamento do cemitério é das 8 às 18 horas e o velório funciona 24 horas.

    Como chegar?

    Para acessar o cemitério, os pontos de referência das principais avenidas de acesso são:

    – Av. General Edgar Facó
    – Av. Miguel Conejo
    – Av. Itaberaba
    – Av.Paula Ferreira

    Por ter sido construído em 1901, o cemitério Freguesia do Ó não possui estacionamento, sendo necessário procurar vagas nas ruas vizinhas para fazer a visitação.

    Contexto Histórico

    A Freguesia do Ó é um dos bairros mais antigos de São Paulo.

    O cemitério Freguesia do Ó foi fundado em 01/01/1901, na mesma data de fundação do Largo da Matriz. A fundação foi pela prefeitura e na época o bairro Freguesia do Ó ainda era uma vila bem distante e pequena. O cemitério foi criado para suprir as necessidades das famílias da região, que precisavam de um cemitério para sepultar os seus entes queridos.

    Localizado em uma das colinas do bairro, onde também se encontra a Igreja de Nossa Senhora do Ó, palco de festas tradicionais como Festa do Divino, Assentamento da Cruz e da Nossa Senhora do Ó. Por ter sido construído num lugar alto, o cemitério possui uma bela vista da cidade.

    Velório

    Por possuir uma ótima estrutura, o cemitério Freguesia do Ó é visitado por dezenas de pessoas. O local disponibiliza capela ecumênica e duas salas para velório, com uma média de quatro metros quadrados de largura e profundidade, capaz de ocupar cerca de 50 convidados, assim podendo atender melhor a população. O cemitério realiza em média 4 velórios e 7 sepultamentos por dia.

    Segue o modelo tradicional de sepultamento, sendo que realiza serviços funerais para todas as religiões.

    O velório é um momento muito importante que independendo de qual religião, os familiares e amigos podem realizar as despedidas em memória do ente querido. E essa despedida se torna necessária para a superação de um luto saudável e enfrentar a saudade.

    Como e quando é realizada a exumação

    A morte ainda é um tabu quando temos que falar sobre, mas a maior certeza que temos da vida é a morte. E por isso o processo da exumação ainda gera dúvidas. É fundamental entender como ocorre para saber agir nesses momentos delicados. Por isso, para lidar de forma mais natural possível, vamos explicar um pouco sobre como a exumação acontece

    A exumação é o ato de desenterrar.  O corpo é retirado para alguma finalidade, seja por motivos pessoais ou judiciais ou até mesmo de administração do cemitério como superlotação.

    De acordo com a legislação brasileira – artigo 551 do decreto estadual número 16.017/80 – o prazo para realizar a exumação é de 3 anos após o sepultamento para adultos e 2 anos para crianças (até 6 anos de idade) – apenas em casos excepcionais que o período pode ser menor. Como em casos de solicitação judicial par auxiliar em investigações, morte suspeita, suicídio ou exame de paternidade o prazo pode ser menor.

    Algum membro da família precisa ser informado antes de realizar a exumação – em pelo menos 30 dias antes da realização do mesmo. O procedimento é fotografado se os familiares se recusarem a acompanhar o processo.

    E para iniciar o processo de exumação são solicitados os seguintes documentos: cópia do RG do requerente, cópia do documento que comprove o grau de parentesco, certidão de óbito e cópia do contrato de concessão para o caso dos cemitérios particulares.

    Casos em que a exumação é requerida:

    – Transferência do copo para outra local: se ocorrer superlotação ou mudança de endereço da família, por exemplo.

    – Cremação dos restos mortais: a família pode solicitar a cremação para liberar mais espaço do lote comprado para outros entes queridos.  

    – Questões administrativas: em cemitérios públicos existe um prazo máximo para a permanência do falecido no jazigo.   

    Primeiramente, a exumação começa a ser feita pela identificação com a sepultura e sempre realizando registros fotográficos para a garantia que o corpo exumado é o correto. Importante lembrar que em todo o processo os técnicos e envolvidos utilizam equipamentos para evitar contaminações.

    Depois o caixão é analisado para avaliar o seu estado – se sofreu arrombamentos ou se permanece intacto. Além de analisar as condições do local, tamanho da urna, etiquetas de identificação e outras informações. E assim, o caixão é aberto e a válvula de segurança verificada que depois é desbloqueada com um martelo ou máquina de corte. A tampão do caixão é removida e ventilação de ar é usado para reduzir o odor.

    O caixão é aberto e a válvula de segurança é verificada. Caso não seja possível desbloqueá-la com uso de um martelo, é usado uma máquina de corte.

    E o processo é finalizado com todos os pertences removidos, restos de roupas e peles são levados a um aterro, ossos são colocados em uma urna menor ou levados para a cremação – mas no caso de investigação os ossos vão para o Instituto Médico Legal.

    Tipo de cemitério

    O cemitério possui valor histórico e cultural. Em visitações aos cemitérios, podemos observar o valor histórico e cultural que o cemitério possui. A tradição do sepultamento existe na maioria das religiões e culturas.

    O cemitério Freguesia do Ó possui uma área total de 15 metros quadrados e uma ocupação de 2 metros quadrados. E possui enormes mausoléus e túmulos construídos pelas famílias residentes na Freguesia, ou seja, o cemitério é do estilo horizontal. O estilo horizontal é o tipo mais comum e antigo de cemitério. O corpo é enterrado no solo e sobre ele encontramos túmulos, mausoléus e estátuas – geralmente de mármore. Por estas obras, é super interessante fazer caminhadas e observá-las.

    Existem outros tipos de cemitério como:

    -Vertical: este tipo de cemitério surgiu pela falta de espaço em cemitérios horizontais encontrados nas grandes cidades. Funciona como prédio, ou seja, o caixão é colocado um em cima do outro. E todos os caixões são padronizados para otimizar o espaço.

    -Jardim ou parque: o sepultamento é subterrâneo e coberto por um gramado e um túmulo – geralmente branco – com as informações sobre o falecido. São ótimos para fazer uma caminhada pelo ambiente tranquilo e harmonioso.

    -Ecológico: não é comum no Brasil mas consiste em cremar o corpo e coloca-lo numa urna biodegradável, e assim as cinzas contribuem para o crescimento das árvores. Com o propósito de preservar a natureza também é um ótimo local para fazer caminhadas .

    O objetivo é o mesmo: respeitar e preservar a memória dos entes queridos.

    Principais curiosidades do cemitério Freguesia do Ó

    É um cemitério tradicionalista e muito bem cuidado. Muito arborizado, sendo que os túmulos são cobertos por enormes árvores, algumas delas centenárias. Por ter sido construído em local de altitude elevada, tem-se uma bela vista da cidade.

    Possui uma estrutura artística a céu aberto e a maioria dos jazigos são folheados a bronze.

    Com uma infraestrutura completa, o cemitério Freguesia do Ó abriga sepulturas de pessoas que tiveram grande relevância para a história da região e da cidade de São Paulo.