• Central de atendimento 24h (011) 4780-5608
  • Cemitério da Penha

    Consulta Gratuita Benefícios Sociais

    O cemitério da Penha é considerado um dos mais antigos e mais tradicionais da cidade. Com isso, ele leva consigo grandes histórias e culturas que marcaram e marcam até hoje a cidade de São Paulo. 

    Localizado na zona Leste de São Paulo, o local conta com 124 anos desde sua construção, abrigando cerca de 200 mil mortos de toda a região. Seu ambiente conta com túmulos que vão desde os de chão e gavetas, até os mais exorbitantes compostos por mausoléus.

    Cemitério da Penha São Paulo

     

    O cemitério da Penha encontra-se localizado na Zona Leste de São Paulo, especificamente na Avenida Amador Bueno da Veiga, no número 333, próximo à Igreja Matriz da Penha.

    O cemitério funciona todos os dias para visitação, no horário das 8:00 às 17:00. 

    Como chegar?

    Ele pode ser facilmente acessado através das mais importantes vias de acesso da região, como: a Avenida Penha de França, Rua Dr João Ribeiro, Rua. Caquito, Avenida Aricanduva entre outras.

    Também é possível chegar ao local através das diversas linhas de ônibus da região, como por exemplo: a linha 278 que liga A Penha ao Ceasa, linha 208A que liga Penha ao Terminal Pq. D. Pedro II, linha 208V que liga o Terminal. A. E. Carvalho à Praça da Sé, a linha 242P que liga o Jardim. Helena ao Metrô Penha, entre outros.

    História do cemitério da Penha

    A história da fundação do cemitério da Penha vem de encontro com o crescimento da população da cidade de São Paulo. Onde o seu intuito inicial era atender às famílias dos falecidos da região, principalmente as que ficavam localizadas nos bairros da Penha e proximidades como: Mooca e Pari.  

    Com isso, no dia 10 de abril de 1896, o cemitério da Penha então foi fundado, abrigando uma grande elite da região naquela época, o que colaborou mais tarde para que ele fosse um dos mais caros da região, juntamente com os cemitérios de São Paulo, Quarta Parada, Araçá e Consolação.

    Nos seus 124 anos de história o cemitério da Penha já abrigou cerca de 200 mil pessoas no total. Numero esse que é composto por diversas faixas etárias, com um público que vai das elites paulistanas, até os mais simples moradores.

    Seu crescimento até os dias atuais pôde colaborar para a criação de diversos mausoléus que hoje trazem uma imagem bonita para o local, levando um cenário histórico para aqueles que o visita.

    Sobre o nome do cemitério

    O Cemitério da Penha ganhou este nome por conta do local no qual ele foi criado, que é justamente o distrito da Penha.

    O município, por sua vez, teve sua origem relacionada diretamente à religiosidade, onde sua fundação é marcada por uma lenda local. Nesta lenda, conta-se que há muito tempo atrás, existia um francês que era um católico muito devoto à sua religião que, ao partir para uma viagem à São Paulo carregando a imagem de Nossa Senhora, ele acabou dormindo em uma colina.

    No dia seguinte, ao voltar para o seu trajeto de viagem, ele se deu conta de que sua santa havia sumido e com isso retornou o mesmo caminho percorrido para encontrá-la. O que acabou acontecendo, quando ele a avistou na colina em que havia pernoitado. Esse mesmo fato acabou se repetindo uma outra vez, quando ele havia voltado ao seu rumo de viagem e com isso, o francês denominou o fato como uma vontade da santa que escolheu aquele lugar para habitar.

    Com isso, o lugar ficou denominado como Penha que significa penhasco, rocha ou colina. Local este que mais tarde passou a ser povoado pelas pessoas que ouviam a história e denominavam aquele lugar como bom para se habitar.

    Benefícios Sociais INSS

    Em qual tipo de cemitério o da Penha se enquadra

    Atualmente, o cemitério da Penha é enquadrado no estilo horizontal, que é composto por covas subterrâneas. Ou seja, nelas os corpos são enterrados no solo e sobre a vista dos visitantes ficam apenas os túmulos e jazigos.

    No local em si, os túmulos da maioria dos falecidos são formados por mármore, azulejos ou até mesmo construções, feitas com estátuas e mausoléus. Porém, em alguns espaços é possível ver túmulos sem grandes informações, apenas com a descrição do falecido inserida acima da terra.

    Além do cemitério horizontal, conforme é o do Cemitério da penha, é possível identificar outros tipos, que são caracterizados como:

    Cemitério vertical – Este é um tipo de cemitério feito com o intuito de ocupar menos espaço no local. Assim, ao invés de covas cavadas, são criadas diversas gavetas enfileiradas uma em cima da outra, garantindo um melhor aproveitamento do cemitério em si.

    Cemitério Jardim ou Parque – Já nos cemitérios intitulados como jardim/parque, é possível notar uma grande presença de verde no local. Isso porque eles são criados com o intuito de transmitir uma imagem de paz para aqueles que os visitam. Com isso, seu cenário tende a ser mais arborizado, muitas vezes com a presença de animais como: gansos, patos e afins.

    Sobre os Jazigos

    Com relação aos Jazigos disponíveis no cemitério da Penha, as maiorias em sua parte já estão cheios, estando reservados os demais apenas para moradores da região. Por isso, é muito difícil encontrar um lugar disponível no local para enterrar um ente querido.

    Com relação aos valores, os Jazigos possuem uma média muito ampla, Isso porque, quanto mais informações e decoração tiverem, maior será o seu custo, chegando a um valor de até R$200,00 e podendo aumentar ainda mais de acordo com as vontades dos familiares do falecido.

    Sobre o velório do local

    Apesar de ser um dos cemitérios mais caros da cidade de São Paulo, o cemitério da Penha não conta com um velório no local. Desta forma, quando um ente querido falece e possui um jazigo no local, o velório deve ser feito em um outro ambiente, para, em seguida, ser transportado até o seu túmulo.

    Porém, mesmo que o cemitério da Penha não disponibilize salas de velório, é muito importante que tal ato seja feito. Até porque, ter um momento de despedida é essencial para todos os familiares e amigos, tendo a oportunidade de visualizar aquela pessoa uma última vez.

    Isso sem contar que o velório é um ritual de passagem para aqueles que ficam, podendo assim homenagear aquele que se ama, mesmo em sua partida. Por isso, ter um velório de qualidade e com dignidade para aquele que partiu é um ato essencial.

    O velório e a religião

    Para a religião, o velório possui um significado ainda maior. Isso porque, para as crenças, quando uma pessoa falece, sua alma precisa ir em direção à luz, para assim encontrar a paz. Seja ela ao lado de Deus, ou de outras luzes divinas, o que varia de acordo com cada religião.

    Por isso, para a religião, o ato do velório é o que guiará aquela alma para o caminho certo. Tudo isso através de falas importantes e orações, o que ocorre por meio do culto fúnebre.

    Curiosidades acerca do cemitério da Penha

    Por carregar em si longos anos de história, o cemitério da Penha reúne algumas curiosidades, como:

    Santo Popular – Cleber Thedósio

    O cemitério conta com um santo popular, chamado Cleber Thedósio. Sepultado no local no ano de 2002, ele faleceu por conta de um acidente que ocorreu por meio de uma tentativa de mergulho do rapaz.

    Por ter sido um fato que ficou muito conhecido na cidade, pessoas passaram a fazer pedidos diante do seu túmulo, o que segundo essas pessoas, muitos deles foram atendidos. Com isso, seu túmulo passou a ser visitado por outras diversas pessoas que, quando realizam seus pedidos feitos ao rapaz, colocam uma placa em agradecimento a ele, bendizendo suas graças. 

    Santo Popular – Júlio Cezar Rodrigues (Cezinha)

    Um outro santo popular também muito conhecido no cemitério da Penha é o Júlio Cezar Rodrigues, também conhecido como Cezinha.

    Júlio foi um menino que faleceu muito jovem, aos 5 anos de idade, devido a um surto de meningite que aconteceu por volta da década de 40. Por conta disso, os moradores da região comoveram-se com o ocorrido e muitos deles passaram a levar doces e brinquedos para o seu túmulo, com o intuito de que ele pudesse ter presente consigo a infância que perdeu ao falecer.

    Com isso, surgiu-se então o comentário à cerca de seus milagres e, inclusive, alguns ditados populares dizem que até hoje milhares de pessoas em sua maioria mulheres, vão até seu túmulo para que ele possa realizar o milagre da fertilidade àquelas que possuem dificuldades para engravidar.

    Salas de velório emprestadas

    Pelo fato de não ter salas de velório no próprio cemitério, o local realiza os velórios dos falecidos que serão enterrados em sua estrutura nas proximidades, como no Cemitério da Quarta Parada e na Igreja da

    O cemitério é um lugar pequeno

    Apesar de ser caracterizado como um dos cemitérios mais tradicionais da capital ele ainda assim é considerado um local pequeno. Isso porque, o Cemitério da Penha possui uma área de aproximadamente 16.880 metros quadrados. O que o torna então um dos menores da região.